Katusha dividida entre Kittel e Zakarin

A equipa da Katusha-Alpecin viu-se hoje, vive e alimentou um dilema, que carateriza as  equipas sem objetivos bem definidos.

Alinhando com um dos melhores sprinters mundiais, mas que este ano já deu mostras de não sprintar, o seu gabarito assim o justifica, Marcel Kittel, a equipa dividiu-se no apoio ao alemão e ao homem que poderia discutir um lugar no pódio final, Zakarin. Como as equipas são cada vez mais pequenas em termos de composição, hoje foi visível que o russo não teve o apoio que um homem que quer discutir os principais lugares no Tour deveria ter.

Um objetivo que a equipa australiana da Michelton soube desde logo escolher. Na verdade, desde cedo, demarcou-se de Caleb Ewan, apostando em ciclistas de equipa, e num objetivo único, que é lutar pela  geral individual. Com um sprinter pelo meio era impossível aos australianos terem ciclistas disponíveis fisicamente, quando Adam Yates deles necessitar.

Se repararmos num dos melhores ciclistas deste Tour, o holandês Wout Poels, conseguimos rapidamente ver a razão da sua inclusão na equipa: ajudar Froome ou Thomas a conquistar a Volta à França, por isso, todos os dias tem chegado com algum atraso, recuperando para o dia seguinte, de forma a estar disponível quando for necessário acelerar.