Volta mais dura dos últimos anos espera o pelotão este ano

Já são conhecidas as grandes dificuldades da Volta a Portugal em bicicleta, cujas partidas e chegadas JC publicou em primeira mão.

Embora ainda sem o percurso completo, as principais dificuldades das diversas etapas são apontadas no documento em anexo, com etapas de elevada dificuldade, apresentando-se como uma das Voltas mais duras dos últimos anos.

Fáceis  podem-se  considerar as duas primeiras etapas, nas planícies alentejanas, mas onde o calor pode provocar alguns estragos, e a quinta que começa no Sabugal e acaba em Viseu. O resto é um pouco para esquecer, em todas elas muita montanha, com muitas de grau médio/elevado a poucos kms do final. Referimo-nos, por exemplo, à ligação Sertã – Oliveira Hospital ( 3ª etapa), com uma contagem de 3ª categoria a 4 kms da meta. À 6ª etapa Sernancelhe – Boticas, com uma contagem de 1ª categoria a 10 kms da linha final. A 7ª etapa com chegada em alto, na Santa Luzia em Viana do Castelo. Na tirada seguinte que liga Barcelos a Braga, com a serra da Falperra ( 2ª cat.) a sete kms da meta.

Isto para não falar nas duas etapas rainha, a 4ª Guarda – Penhas da Saúde 168 kms com a subida pela Torre( via Seia) ao km 60, para terminar depois nas Penhas da Saúde.  Mas a etapa que se afigura mais complicada poderá ser a penúltima que termina na Senhora da Graça, com três contagens de 1ª categoria, uma delas inédita, e com os kms a pesar não vai ser fácil.

Por ultimo o C/RI , curto com apenas 17 kms, mas ao que tudo indica muito duros, com possível passagem pelo alto da Pedra Sentada, o que falta ainda confirmar.

Uma Volta muito dura, esta que se avizinha e cuja apresentação será efetuada no dia 30 deste mês.