Andy Rihs, patrão da BMC, faleceu ontem

Rihs

Foi um dos maiores entusiastas do ciclismo. Fundou a equipa Phonak, uma empresa de aparelhos auditivos, do qual era proprietário, e venceu o Tour em 2006, com Floyd Landis, antes do americano ter acusado positivo.

Não demorou muito a entrar em cena, formando discretamente  em  uma equipa de segunda divisão, a BMC, e em 2011 contrata  Cadel Evans , Gilbert e Hushovd, dois antigos campeões do mundo.

A sua doença prolongada  afasta-o, nos últimos tempos de uma intervenção direta na equipa, e os rumores de desaparecimento da BMC acentuam-se . Com o seu falecimento, muito dificilmente a equipa sairá em 2019, Rihs assegurava os meios financeiros da investindo parte da sua fortuna pessoal na equipa de ciclismo profissional.

Rihs era um dos maiores acionistas da empresa  Sonova, leader mundial de aparelhos auditivos, era proprietário de vários hóteis de cinco estrelas,  criou um relógio com chamadas de urgência, detinha uma marca de vinhos , numa grande quinta em França, La Coquillade, e a sua ligação ao desporto era apaixonante, investindo fortemente na equipa BMC, construindo em Granges, na Suíça um velódromo que depois doou a um clube local para desenvolvimento do ciclismo.