para os ” machões ” latinos, tipo” D. Juans “de pacotilha, as meninas irão fazer falta

As hospedeiras, mais conhecidas como as meninas do pódio, é uma profissão cada vez mais em risco, tendo em linha de conta que alguns organizadores, por sinal alguns dos mais poderosos, têm intenção de modificar a forma com que os vencedores das provas deverão ser galardoados quando são chamados ao pódio.

A moda começou na Austrália, e veio por aí acima. Alguns organizadores foram mesmo ao ponto de substituir as formosas donzelas, por jovens do sexo masculino .

As opiniões dividem-se numa modalidade bastante tradicional e pouco dada a inovações. Para muitos substituir as hospedeiras por alguém que desempenha a mesma função, vai ser uma difícil solução. Alguém terá de desempenhar a espinhosa missão, só esperemos que, em vez das habituais hospedeiras, não se lembrem de as substituir por simpáticos e zelosos ” hospedeiros”.

As mais feministas, que vêm nesta missão, uma exploração sensual da voluptuosidade da mulher, isto deverá terminar de vez. Por seu turno, para os ” machões ” latinos, tipo” D. Juans “de pacotilha, as meninas irão fazer falta.

Uma coisa é certa, as hospedeiras, como as que estamos habituados a ver no Tour e até mesmo na nossa Volta a Portugal, que desempenham a sua missão com profissionalismo e sobriedade, não há duvida que fazem falta, pela delicadeza, pelo charme e pela beleza que conseguem transmitir ao ato final de uma prova. Elas sabem quem é  o centro das atenções,e não dividem o espaço com o ciclista, antes pelo contrário, sabem afastar-se no momento próprio, deixando para o atleta o foco das objetivas do público e jornalistas.

Por vezes, até, são os ciclistas que exageram e deixam uma má imagem, como o caso de Sagan, com o celebre apalpão, que deixou embaraçada a zelosa hospedeira.

Afinal que ato mais explorador de uma mulher não são as inexplicáveis obras de arte de uma passagem de modelos. Aí sim, a exploração da mulher é que é posta em causa.

 

 

1 comentário a “para os ” machões ” latinos, tipo” D. Juans “de pacotilha, as meninas irão fazer falta”

  1. Não entendo esta polémica. Certamente que dirão; “A organização exclui as mulheres do pódio por ser machista”. Numa prova masculina 99% as “meninas” completam o “ramalhete”. Seria lógico sim que nas provas femininas os homens substituíssem as hospedeiras. Faz lembrar aquela história do velho, do rapaz e do BURRO(S)…

Os comentários estão fechados.