O MUNDO NO ALGARVE, SEM A RTP…

Durante os próximos dias, pode-se dizer que, verdadeiramente, o mundo está no Algarve.

Entre o pelotão da Volta ao Algarve, contabilizando ciclistas, equipas e restante staff, estão representados todos os continentes. Teremos que somar algumas centenas de jornalistas e público abrangente.
Do pelotão, certamente que aquela que será a principal figura de cartaz, até vem dos nossos antípodas, do outro lado do planeta. O simpático australiano Richie Porte, não tem a dimensão mediática global de Froome ou de Sagan, reconhecidos mesmo por quem não está habituado à modalidade, mas não deixa de ser uma figura do ciclismo mundial da actualidade.

Equipas asiáticas, norte americanas, muitos sul-americanos, ciclistas africanos como Meintjes, ou o agora representante da equipa portuguesa Vito-Feirense, o marroquino Soufianne Haddi.

Neste contexto, as equipas portuguesas terão vida difícil. Poucas probabilidades no sprint, tendo em conta o lote de especialistas presentes, tarefa muito complicada no contrarrelógio, restando as etapas da Fóia e do Malhão, onde será mais provável igualar o feito de Amaro Antunes, do qual se sente falta nesta edição. Entre as equipas portuguesas alguns ciclistas com capacidade e sagacidade para vencer uma destas etapas, não podendo esquecer que entre as armadas Worldtour, também existem portugueses aos quais uma vitória, sobretudo numa destas etapas, parece perfeitamente acessível.

Um Granfondo que atrai cada vez mais gente, muitos locais, mas também muitos participantes do Norte do país. Uns de carro, outros de avião, são cada vez mais os que se deslocam ao Algarve, dos outros pontos extremos do país. Aos que se deslocam ao Algarve, não será por uma questão de maior gosto pela modalidade, mas antes, na maioria dos casos, de oportunidade. De tempo e financeira.

A esses restará, num acto sem precedentes, escolher o canal em que querem ver a transmissão da prova: TVI24 ou Eurosport. Mas também aqui, só podem escolher se tiverem acesso a ambos os canais ou, pelo menos, a um deles. Sem desprezo pelo trabalho destes canais, bem pelo contrário, só gratidão (nomeadamente a Eurosport, que transmite para dúzias de países), também se deve dizer que, de facto, em Portugal, deveria ser a RTP, que nos disponibiliza, com fundos públicos, três canais em sinal aberto, a transmitir a prova. É certo que nunca devemos confundir interesse público com despesismo público, mas quantos eventos desportivos disputados em território nacional se podem orgulhar de ter 13 das melhores equipa do mundo em simultâneo?
Luís Gonçalves

1 comentário a “O MUNDO NO ALGARVE, SEM A RTP…”

  1. Pois é uma verdade..RTP que deveria estar ao serviço do Desporto e da Cultura e não só.ate porque e o POVO que paga a RTP com os audio-visuais na conta da Electricidade, ate parece que se esquecem,mas a Televisão Publica serve so para a Politica, infelizmente.sem duvida que se tivesse que haver um confronto de Ideias entre qualquer politico como no presente ano ja houve ai a Televisão Publica esta ao serviço dos Políticos, esquecendo sempre a População em regra Geral,e ate o Futebol e tratado por Excelência bom é o que temos infelizmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *