detidos seis membros de equipa italiana amadora, implicados no caso Linas Rumsas

Terminou a primeira fase do inquérito à morte de Linas Rumsas, que levou à detenção de seis componentes técnicos da equipa italiana Altopack Eppela, uma das principais formações italianas de ciclismo sub-23 deste país.

Depois de várias buscas e recolha de depoimentos e outro tipo de provas, a polícia italiana acabou por deter o proprietário da equipa,  Luca Franceschi , o diretor desportivo  Elso Frediani, um farmacêutico,  Andrea Bianchi e o treinador Michele Viola,  suspeitos de terem fornecidos aos ciclistas da equipa , substancias proibidas sem prescrição médica.

Colocados na sua residência, sob vigilância, esperam o resto das conclusões do inquérito, que abrange mais 17 pessoas. O presidente da equipa terá encorajado os ciclistas, na sua grande maioria  jovens, a consumir produtos dopantes, entre os quais hormona de crescimento e medicamentos analgésicos à base de opiáceos.
Ainda segundo as autoridades. o diretor da equipa terá recrutado os corredores mais prometedores, e incentivou-os a tomar drogas , que fornecia, entre as quais Epo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *