viviani rei do reino dos sprinters

 

Enquanto na Colômbia ( Ouro e Paz) Fernando Gaviria repetia o triunfo de ontem, a concorrência é bem mais limitada, já no Dubai Tour, Elia Viviani vingou-se do desaire de ontem e venceu à frente de   GROENEWEGEN , que se queixou no final de problemas mecânicos. Um dia feliz para o italiano que conseguiu vencer no dia do seu aniversário.

Quem não tem marcado presença nos sprints até  agora efetuados, é o alemão Marcel Kittel.

Em ambas as provas , o seu início não tem provocado grandes estragos na geral individual, e os respetivos guias serão mais à condição, dado que as principais dificuldades ainda estão para vir.

No Dubai, Dylan  Groenewegem comando com dois segundos de vantagem em relação a Viviani, enquanto, na Colômbia,  Gaviria é o líder incontestado, num momento da prova em que os sprinters dominam.

Chris Froome (Team Sky) in his 2018 race kit

Mas a atenção do mundo velocipédico giro em torno de Froome, e a sua tenacidade em fazer-se à estrada e alinhar na Andaluzia, contra mares e troviscos. As opiniões dividem-se, mas a estratégia da Sky foi, sem margem para duvidas a mais assertiva, senão, equipa e ciclista nunca mais teriam a resolução do seu caso resolvida.

A UCI empata, desdobra-se em inquéritos, em processos e depois, não protege quem deveria proteger, pelo menos enquanto a presunção de inocência dos ” seus ” atletas assim o  justificar.

A oportuna fuga de informação do caso Froome, na passagem do testemunho de Cookson para Lappartient, foi péssimo para a defesa do ciclismo . Disso já se queixou Brailsford, o diretor da Sky de que o caso ” nunca poderia ser do domínio público”. Mas assim não o entendem, alguns proeminentes diretores do ciclismo. Tivesse um caso semelhante acontecido no ténis, ou no futebol e as perspetivas  dos seus dirigentes seriam bem diferentes, numa estratégia de defesa superior dos interesses das suas modalidades.

Esperemos para ver como se vão resolver as coisas. Pelo menos, para já, Froome já deve estar na Andaluzia, onde os promotores da prova tiveram um  “boom” publicitário muito acima do que estariam à espera.

Classificação: Dubai – 2ª etapa:

1 Elia Viviani (Ita) Quick-Step Floors 4:34:31
2 Dylan Groenewegen (Ned) LottoNL-Jumbo
3 Riccardo Minali (Ita) Astana Pro Team
4 Mark Cavendish (GBr) Dimension Data
5 John Degenkolb (Ger) Trek-Segafredo
6 Magnus Cort (Den) Astana Pro Team
7 Alexander Kristoff (Nor) UAE Team Emirates
8 Jean-Pierre Drucker (Lux) BMC Racing Team
9 Sonny Colbrelli (Ita) Bahrain-Merida
10 Adam Blythe (GBr) Aqua Blue Sport
11 Nacer Bouhanni (Fra) Cofidis, Solutions Credits
12 Mehdi Benhamouda (Fra) Team Novo Nordisk
13 Jacob Hennessy (GBr) Mitchelton-Bikeexchange
14 Eric Young (USA) Rally Cycling
15 Jakub Mareczko (Ita) Wilier Triestina-Selle Italia
16 Bert Van Lerberghe (Bel) Cofidis, Solutions Credits
17 Marcel Kittel (Ger) Katusha-Alpecin
18 Truls Korsaeth (Nor) Astana Pro Team
19 Loïc Vliegen (Bel) BMC Racing Team
20 Andrew Fenn (GBr) Aqua Blue Sport

Colômbia Ouro e Paz – 2ª etapa:

1 Fernando Gaviria (Col) Quick-Step Floors 3:49:30
2 Juan Sebastian Molano Benavides (Col) Manzana Postobon
3 Matteo Malucelli (Ita) Androni Giocattoli-Sidermec
4 Andrea Guardini (Ita) Bardiani CSF
5 Mihkel Räim (Est) Israel Cycling Academy
6 Davide Vigano (Ita) Italy
7 Martin Laas (Est) Team Illuminate
8 John Murphy (USA) Holowesko-Citadel p/b Arapahoe Resources
9 Jairo Alonso Cano (Col) EPM
10 Manuel Peñalver (Spa) Trevigiani Phonix-Hemus 1896