abertura: só mesmo tiago machado podia fazer o que fez

Não, quem sabe de quem se trata, deveria pelo menos saber que não se pode dar tanta corda, a um ciclista com o calibre de Tiago Machado. O homem de Famalicão provou, hoje, que não se lhe pode dar um metro, e que é o único ciclista em Portugal, que é capaz de fazer o que hoje tão bem fez, na prova de Abertura: ou seja, fugiu praticamente á partida, e nunca mais ninguém lhe pôs o olho em cima.

Tiago Machado é um dos poucos ciclistas que ainda é capaz de correr, como se corria há alguns anos atrás. É um homem de ataque, que vibra com as corridas e faz vibrar a quem assiste, por isso, hoje quando na Murtosa cortou a meta com os braços no ar, com o pelotão ali a ferrar-lhe os calcanhares, deverá ter sofrido como poucos. Tiago tem ainda um ponto importante a seu favor.: –  É um dos poucos que corre “ lá fora” , mas que gosta de correr no ciclismo do seu país, gosta do povo, dos amigos e isso talvez tenha ajudado um pouco “ à missa”.

Por estas terras, já Tiago Machado tinha dado um show na ultima etapa de um GP CTT, que deu de bandeja ao seu atual diretor, José Azevedo, também nesse dia chuvoso, que reduziu a cacos a equipa do velho e saudoso Emidio Pinto, a Madeinox .

Um Tiago que fez ainda lembrar a primeira etapa de uma Vuelta a Asturias, quando fugiu á partida e reduziu a cinzas a potente Movistar, cortando a meta com mais de um minuto de avanço.

Por isso, hoje o pelotão não lhe deveria ter dado tanto espaço, mesmo com a companhia de César Fonte , de quem se desenvencilhou na subida para Sever do Vouga, que ele conhece tão bem, e partiu sozinho com mais força à procura de um triunfo , no seu país, e que há tanto perseguia.

Hoje, a prova de Abertura valeu pela sua fuga, pela sua tenacidade, pela sua raiva e vontade de vencer em Portugal, um triunfo que ele valorizou mais do que talvez uma etapa no Tour Down Under, de onde chegou à pouco.

…………
Eram 12.15 da manhã, fria e ventosa quando o pelotão abalou de Oliveira do Bairro, e logo surgiram as primeiras tentativas, por parte de Ricardo Mestre do FC Porto e de João Almeida da Seleção Nacional, mas foi sol de pouca dura. Logo de seguida, aí pelos km 15 de corrida foi a vez de Machado e Fonte se escaparem. O duo ganhou avanço, perante a descontração do pelotão que era comandado pelos homens do Sporting, única formação que assumiu a perseguição, mais foi impotente para neutralizar a escapada, que chegou aos seis minutos, depois de uma passagem de nível fechado ter aumentado em cerca de 30 segundos o pecúlio dos fugitivos.

Machado sabia, melhor que ninguém, que tinha de deixar Fonte para trás. Primeiro porque o portista mais km menos km, se iria colocar no sua roda e, depois  , na linha de chegada era mais rápido. Assim aconteceu em Sever do Vouga, em plena subida, onde chegou ao alto com cerca de 50 segundos de avanço em relação a César, que na descida conseguiria reduzir a desvantagem para cerca de 30 segundos, conhecidas que são as sua melhores capacidades neste tipo de terrenos que o famalicense. Mas uma queda no final da descida, deixou para trás em definitivo o ciclista do FC Porto.

Depois, foi a entrada nas retas do Furadouro, com o vento a fazer das suas e a deitar meio pelotão ao chão, em duas quedas em menos de dois kms,algo violentas e que acabariam por atirar com Raul Alarcon para o hospital.

Na chegada, Tiago conseguiu resistir, talvez com uma vantagem de cinquenta metros, sobre um potente João Matias, talvez neste momento o homem mais forte a sprintar.

Classificação:

1.º Tiago Machado (Equipa Portugal), 3h53m09s
2.º João Matias (Vito-Feirense-BlackJack), a 3s
3.º Luís Mendonça (Aviludo-Louletano-Uli), mt
4.º Rui Oliveira (Equipa Portugal), mt
5.º Luís Gomes (Rádio Popular-Boavista), mt
6.º Rafael Silva (Efapel), mt
7.º Daniel Freitas (W52-FC Porto), mt
8.º Samuel Caldeira (W52-FC Porto), a 4s
9.º Óscar Hernández (Aviludo-Louletano-Uli), mt
10.º André Crispim (Liberty Seguros-Carglass), mt

 

 

2 comentários a “abertura: só mesmo tiago machado podia fazer o que fez”

  1. Estranho é ninguém comentar a causa da queda do César Fonte porque será, será por medo.?

  2. Sem tirar o mérito ao tiago apenas o Sporting e o Louletano perseguiram o resto foi roda o caminho todo mas no final alguns foram lá sprintar,talvez se ajudassem e no risco via.se quem ganhava não vão na roda,

Os comentários estão fechados.