” o ciclismo de hoje é muito aborrecido”

A CPA, entidade que representa os ciclistas profissionais manifestou-se hoje, contra a decisão da UCI de  reduzir o numero de ciclistas por equipa, sendo as três grandes provas, Tour,Giro e Vuelta as unicas que poderão alinhar com oito ciclistas.

Esta posição já era esperada, pois vai contra os seus próprios interesses, podendo como é óbvio aumentar a crise no setor, e aumentar o numero de ciclistas desempregados.

Alegando problemas de falta de segurança, com um pelotão mais pequeno, os problemas serão menores, argumento apresentado pelos três grandes organizadores, RCS, ASO e Flandres Classics. Mas a verdadeira razão prende-se com o controlo das grandes equipas, e o bloqueio generalizado das grandes provas. Com menos ciclistas por equipas, as grandes equipas poderão ceder espaço à formações mais modestas, tornando o ciclismo mais ofensivo.

Esta sim, a verdadeira razão que terá levado a que a Volta a Portugal tenha passado do nove ciclistas por equipa para sete em dois anos. Tal como disse Mario Cipollini, no jornal a Marca, “ o ciclismo de hoje é muito aborrecido”,  e isto já se aperceberam os meios que governam a modalidade, os grandes organizadores e os meios de comunicação,  os verdadeiros ” donos” da modalidade.