sagan entrou para o história do mundial

Foi com um golpe de rins que Sagan levou a melhor sobre Kristoff, conquistando-lhe vinte preciosos centímetros nos ultimos dois metros.
Foi com um golpe de rins que Sagan levou a melhor sobre Kristoff, conquistando-lhe vinte preciosos centímetros nos ultimos dois metros.

Poucas vezes se viu Peter Sagan ao longo dos 266 kms deste Mundial, mas o que interessa mesmo é quem vem na frente nos últimos cem metro de corrida. Sagan não tinha equipa, os outras talvez tivessem trabalhado para ele, mas o certo  é  que não se pode subestimar um ciclista deste quilate, No final o eslovaco agradeceu a todos, aos companheiros e adversários, sem se esquecer de Scarponi.

A história do ciclismo está, agora mais enriquecida, juntando um novo marco a ser ultrapassado no futuro: três êxitos consecutivos, iniciados nos Estados Unidos, uma marca que Sagan deverá ostentar por muitos anos.

Uma corrida sem grande história, com dois ataques muito fortes. O primeiro do belga Tim Wellens, ainda muito longe da chegada. a cerca de 60 klms, e o segundo de Alaphilippe que tudo tentou a cerca de 12 kms do final, mostrando que talvez fosse o homem mais forte da corrida, bem demonstrado pela forma como se desenvencilhou de Moscon, apanhado pelas câmaras de televisão numa situação pouco ortodoxa, momentos antes de entrar na fuga do dia.

Uma divisão de tarefas de equipas ao longo da prova, curiosamente, sem que as formações dos três primeiros estivessem particularmente ativas. Mais em foco estiveram a França e a Bélgica , com a Itália sem um objetivo bem definido, na falta de um corredor tipo para esta prova. Talvez um pouco forte demais para os sprinters, que o diga Gaviria que conseguiu chegar com o pelotão, mas sem forças para sprintar, foi nono, e não tão duro para que homens como Alaphilippe e Kwiatkwoski  fizessem a diferença.

Correndo em casa, o campeão da Europa quase ia levando a água ao seu moinho. Kristoff surpreendeu, não estará já na linha de um sprinter puro, mas a sua resistência quase lhe ia valendo um título, que Michael Mattews também viu por um canudo. Para o mundo do ciclismo, hoje o triunfo de Sagan deu muitas alegrias a nível global.

Rui Costa foi o melhor luso e o único que conseguiu chegar no grupo da frente . Pouco para quem tanto se esperava, de Rui Costa e da própria equipa, com alguns ciclistas em nítida queda de forma, cansados e desmotivados.

Classificação: