MESTRE ALVES BARBOSA

Alves Barbosa entrevistado por Artur Agostinho, no tempo em que os grandes jornalistas marcavam presença na Volta a Portugal.
Alves Barbosa entrevistado por Artur Agostinho, no tempo em que os grandes jornalistas marcavam presença na Volta a Portugal.

Nos próximos dias 26 e 27, em duas etapas, oscilando entre Montemor-o-Velho, Arazede e Sangalhos, realiza-se o Prémio Alves Barbosa, competição destinada a ciclistas Cadetes, que há muitos anos serve de homenagem a um dos maiores símbolos do ciclismo português.

Alves Barbosa é o verdadeiro senhor ciclismo deste país. Não há quase nada que não tenha feito dentro da modalidade. Ciclista notável, para sempre o primeiro português no Tour, onde se classificou em décimo lugar, em 1956, vencedor de três Voltas a Portugal, podendo ter sido mais, não fossem contingências populares em 1955, à entrada dos Carvalhos, ou o então obrigatório serviço militar, que em 1952, logo a seguir à sua primeira vitória, também “castrou” da participação na Volta o grande Alves Barbosa.

Foi treinador, iniciando a carreira no Benfica em 1961, director técnico nacional, por dois períodos, comentador da RTP na Volta a Portugal nos princípio dos anos 90 e, um pouco antes, até estrela de cinema. A sua figura e a imensa popularidade assim o impunham, num tempo não tão distante, mas que parece já surgido de muito longe.

Escreveu livros, assinou outros, é um amante da história do ciclismo e sobretudo da bicicleta, instrumento essencial para a prática do ciclismo. A propósito, diz-se, que fazem por este ano duzentos anos daquilo que se convencionou ser a invenção da bicicleta. Discretas exposições em poucas zonas do país, algumas improváveis, como em Abrantes, assinalam o feito.

Por mais que se escreva, é difícil assinalar a vida de Alves Barbosa. Mais do que tudo convém que sejam os futuros ciclistas a prestarem-lhe a reconhecida homenagem. Convém que para isso conheçam as maiores figuras do ciclismo. Mais do que terem a melhor bicicleta do pelotão, é importante saberem quem é o Mestre Alves Barbosa.
Luís Gonçalves