Tour de l’ Avenir – principais nomes e favoritos

Começou ontem a 54ª edição da Volta a França do Futuro, a competição que faz parte do escalão de sub-23, é composta por 9 etapas. A seleção nacional portuguesa encontra-se a competir na prova e para esta prova foram escalonados seis elementos por parte do selecionador nacional, José Poeira. Os escolhidos foram: Rui Oliveira, André Carvalho, Francisco Campos, Hugo Nunes, Tiago Antunes e José Neves. O objetivo da seleção nacional será alcançar o top-10 final e tentar alguma coisa durante as etapas, visto terem ciclistas capazes de discutir tanto as etapas ao sprint como as etapas mais exigentes de montanha.

Já em relação a seleções de outros países há nomes bastante conhecidos tais como: Franck Bonnamour (ciclista da Fortuneo – Oscaro), Victor Lafay (estagiário na Cofidis desde agosto), Valentin Madouas (estagiário da FDJ e reforço confirmado para 2018 na mesma equipa) Aurelien Paret-Peintre que serão as armas francesas para uma vitória na geral.

Leon Rohde que será a arma germânica para o sprint; os três australianos que estão a fazer uma excelente temporada: Lucas Hamilton, Jai Hindley e Michael Storer que terão uma palavra a dizer na classificação geral; Aurélien Doleatto (estagiário na Ag2r desde agosto) e Rémy Rochas deverão ser os ciclistas para a classificação geral da equipa da região da Auvérnia, eles que são franceses mas que correm na seleção da sua região.

Clement Russo (outro dos estagiários da Ag2r) será a aposta para o sprint da seleção da Auvérnia; Alexandr Riabushenko (estagiário na Bahrain – Merida) será a aposta bielorrussa para esta edição da Volta a França do Futuro; a super equipa belga que conta com nomes como Stef Cras ou Bjorg Lambrecht terá a sua palavra a dizer na classificação geral.

Os ‘escarabajos’ contam em Egan Arley Bernal com o seu líder para esta prova que tem sido um bom sítio para os colombianos se apresentarem às equipas europeias, no entanto este ano não será preciso cartão de visita, visto que tanto Egan Arley Bernal como Ivan Ramiro Sosa ou Daniel Felipe Martinez já são bem conhecidos na Europa e serão capazes de lutar pela vitória eles que já correm em equipas profissionais italianas (Bernal e Sosa na Androni; Martinez na Wilier). Álvaro José Hodeg será a aposta colombiana para os sprints, ele que desde que chegou à europa tem corrido na equipa de desenvolvimento da Quick-Step; Kasper Asgreen e Niklas Eg serão os homens que poderão dar etapas aos dinamarqueses; Neilson Powless, será um dos favoritos à vitória final e a arma americana e que só tem a perder por não existir nenhum CR/I nesta edição;.

Oliver Wood, Christopher Lawless e Jacob Hennessy serão os ciclistas rápidos da seleção britânica que tentarão mostrar-se ao sprint, ao passo que Scott Davies e James Knox liderarão a equipa em busca de um top-10.

Matteo Fabro e Nicola Conci serão a aposta italiana neste Tour de l’Avenir, e ainda Imerio Cima que será o sprinter de serviço; Kristoffer Halvorsen será o sprinter de serviço por parte da seleção norueguesa; Pascal Eenkhoorn será o caça etapas por parte da seleção holandesa; Alan Banaszek (corre na equipa profissional CCC) será o líder polaco ao sprint; Michal Schlegel (outro ciclista que corre na CCC) será o homem de serviço da seleção checa e que poderá imiscuir-se no top-10; nas hostes russas, Artem Nych, Pavel Sivakov e ainda Dmitry Strakhov poderão ser os alvos a abater, em especial Sivakov que tem feito uma temporada de excelência; por fim na seleção helvética Patrick Müller e Marc Hirschi tentarão vencer alguma etapa.

Tiago Ferreira