gente a mais, organização a menos

A organização da Volta tem andado um pouco desatenta, após os finais de etapa, ou então a sua prioridade é diferente de todas as outras provas de ciclismo.

Já ontem, na Senhora da  Graça, foi mais importante a saida dos camiões das barreiras, do parque onde estavam estacionados os carros das equipas, que saíram depois .

Hoje, no apertado desvio das viaturas do alto de S.Luzia e quando os carros das equipas se aprestavam para descer para Viana do  Castelo foram surpreendidos por camiões das barreiras, que impossibilitavam a passagem de outras viaturas.

Para sair do alto algumas viaturas optaram por uma estrada florestal, e um pouco a adivinhar lá vieram ter a Viana do  Castelo. Com tantos “seguranças” de serviço, não será que possam fazer um serviço bem melhor, do que apenas pedir as credenciais para acesso à meta ?

Com as etapas a terminarem tardíssimo, era importante que a prioridade da organização tivesse em linha de conta, o trabalho das equipas e a recuperação dos atletas. Noutros tempos, eram as motos da GNR que abriam caminho às equipas, agora ficam na meta estacionadas.

Dá ideia que algumas pessoas da organização pensam que após terminada a etapa, as equipas têm tempo para chegar ao hotel, e que é só tomar banho e sentar à mesa e jantar. Na maioria dos dias, o jantar dos atletas termina por volta das 23.00 horas .