MENOS GRAÇA…

A etapa da Sra. da Graça é das mais míticas do ciclismo português. Qualquer cidadão nacional minimamente informado associa esta subida ao ciclismo, e qualquer ciclista amador sonha subir a Sra. da Graça, amealhando popularidade com a serra da Estrela.

O ciclismo tem um público fiel. Onde há uma etapa destas, sobretudo na Volta, estará sempre muita gente. Hoje, em Mondim de Basto, a tradicional receção popular ao pelotão e durante a subida uma boa moldura humana.
Apesar disso, não a de outros anos. Retirar esta etapa do fim de semana, sobretudo de Domingo, não parece ser uma boa jogada de marketing da modalidade. Bem se sabe que será o calendário possível na construção da prova, mas afastou bastante gente do monte Farinha. Bem antes da Volta, já alguns habituais se queixavam disso e da impossibilidade deste ano não poderem ir a uma etapa onde costumavam marcar presença, por ser a um dia da semana. As férias acabam por ser curtas para os trabalhadores.
Na estrada, os ciclistas fazem subidas metódicas. Não fosse o Boavista, como disse o Filipe Cardoso, ou o João Matias (LA-Aluminios) na luta pela montanha e a etapa daria para adormecer. O W52-FCPorto tem, de facto, a melhor equipa. Já se sabia. Tem, por exemplo, para além de ciclistas experientes, três vencedores da Volta a Portugal, em oito. Tão boa, que já não se sabe quem manda. Claríssimo na entrevista de Raul Alárcon. Estão todos bem!
Marque marcou Veloso, na expetativa de outros dias. Estão na luta a poucos segundos do primeiro lugar. Devo confessar que, a dois quilómetros e pelas suas características, pensei que Nocentini ganhava a etapa.
Por ora, com tal domínio azul e branco, sem grandes contrariedades até agora, e sem a Sra da Graça ao Domingo, pode-se dizer que a Volta tem menos graça.
Luís Gonçalves

3 comentários a “MENOS GRAÇA…”

  1. Não sei qual é o motivo de a Sra. da Graça não ser ao fim-de-semana mas era possível. Também menos público tenho visto em outras etapas. Uma certeza é que a Volta de ano para ano tem cada vez menos interesse para o espetador e, tendo em conta o concurso, não tem interesse para outros organizadores. Ora vejamos a possibilidade da Sra. da Graça ao fim-de-semana:
    1ª Etapa – Sexta-feira – Lisboa – Lisboa
    2ª Etapa – Sábado – Vila Franca de Xira – Setúbal
    2ª Etapa – Domingo – Reguengo de Monsaraz – Castelo Branco
    3ª Etapa – Segunda-feira – Figueira de Castelo de Rodrigo – Bragança
    4ª Etapa – Terça-feira – Boticas – Viana do Castelo
    5ª Etapa – Quarta-feira – Lousada – Santo Tirso (Srª da Assunção)
    6ª Etapa – Quinta-feira – Braga – Fafe
    Sexta-feira – Descanso
    7ª Etapa – Sábado – Macedo de Cavaleiros – Srª da Graça
    8º Etapa – Domingo – Gondomar – Oliveira de Azeméis
    Etc.

  2. Com todo o respeito pela opinião vertida, uma volta onde os 6 primeiros estão separados por menos de um minuto e os primeiros 13 por menos de 2 minutos com tanta água para correr debaixo da ponte parece tudo menos uma volta sem graça… com margens tão curtas, qualquer circunstância de corrida pode mudar completamente o curso da prova… da mesma forma que achar que o Nocentini ia ter potência para ganhar ao Amaro e ao Alarcón na fase mais dura de subida antes a meta demonstra de facto grande conhecimento da poda. Venham mais análises.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *