Edgar Pinto vence Clássica da Primavera e lidera Taça de Portugal de elite

chegada

Edgar Pinto (Liberty Seguros) ganhou hoje a Clássica da Primavera – Troféu José Zeferino, ascendendo ao comando da Taça de Portugal de elite. O jovem corredor conseguiu o seu primeiro triunfo ao serviço da Liberty Seguros, batendo, num sprint entre um grupo restrito, Mário Costa (Barbot-Siper) e Hugo Sabido (Fercase-Paredes Rota dos Móveis), segundo e terceiro, respectivamente. O anterior líder da Taça de Portugal, Santiago Pérez (Madeinox-Boavista) não participou na prova poveira, cedendo o primeiro lugar da geral a Edgar Pinto, embora estejam os dois em igualdade pontual.

A corrida foi fértil em ataques, desferidos por grupos sempre numerosos, o que dificultou a tarefa às equipas encarregadas de perseguir. O primeiro bloco de escapados com alguma expressão chegou a ter uma vantagem superior a 4 minutos, mas o Palmeiras Resort-Prio-Tavira, que até estava representado na fuga por Ricardo Mestre, entendeu perseguir e anulou a escapada quando estavam percorridos cerca de 85 dos 143,7 quilómetros desta clássica.

O pelotão não se manteve agrupado por muito tempo e ainda antes de estar somada a centena de quilómetros já se tinha adiantado outro bloco de aventureiros. Esta fuga foi ganhando corpo, tendo aderido a ela homens com aspirações, como era o caso de Tiago Machado (Madeinox-Boavista), Héctor Guerra (Liberty Seguros), David Blanco (Palmeiras Resort-Prio-Tavira) e Hugo Sabido. A Madeinox-Boavista e a Liberty Seguros eram as formações com mais elementos na frente de corrida e assumiram as suas responsabilidades. Os boavisteiros lançaram Sérgio Sousa para um ataque solitário que obrigou os rivais a trabalharem na perseguição, que seria bem sucedida. O ciclista tirsense acabaria por ter uma tarde inglória, pois foi alcançado quando a meta estava a cerca de um quilómetro.

Perante um lote de adversários pouco talhados para o sprint, Edgar Pinto, um velocista de reconhecido valor, apesar da juventude, impôs a lei do mais forte. Luís Pinheiro (Madeinox-Boavista) foi o melhor trepador, Alejandro Marque (Palmeiras Resort-Prio-Tavira) Daniel Alves (Mortágua/DR Seguros) conquistou as metas volantes e a Madeinox-Boavista ganhou a classificação colectiva, reforçando, assim, o primeiro lugar colectivo na geral da Taça.

[media id=23]

CLASSIFICAÇÕES
Média de 40.375 km/h
1º Edgar Pinto (Liberty Seguros), 3h33m33s
2º Mário Costa (Barbot-Siper), mt
3º Hugo Sabido (Fercase-Rota dos Móveis), mt
4º César Fonte (Cartaxo – CC JM Nicolau), mt
5º Luis Pinheiro (Madeinox-Boavista), mt
6º David Blanco (Palmeiras Resort-Tavira), mt
7º Sérgio Sousa (Madeinox-Boavista), mt
8º Alejandro Marque (Palmeiras Resort-Tavira), mt
9º Joaquim Andrade (Fercase-Rota dos Móveis), mt
10º Rui Vinhas (Aluvia-Valongo), mt
11º Tiago Machado (Madeinox-Boavista), mt
12º Héctor Guerra (Liberty Seguros), mt
13º Aketza Peña (Cartaxo- CC JM Nicolau), mt
14º Joaquim Sampaio (Madeinox-Boavista), mt
15º Isidro Nozal (Liberty Seguros), a 21s

Geral Metas Volantes
1º Daniel Alves (Cartaxo – CC JM Nicolau)

Geral Montanha
1º Luis Pinheiro (Madeinox-Boavista)

Geral Equipas
1ª Madeinox-Boavista

Geral Taça de Portugal
Individual

1º Edgar Pinto (Liberty Seguros), 25 pontos
2º Santiago Pérez (Madeinox-Boavista), 25
3º Sérgio Sousa (Madeinox-Boavista), 24
4º Mário Costa (Barbot-Siper), 20
5º Nuno Ribeiro (Liberty Seguros), 20
6º Hugo Sabido (Fercase-Rota dos Móveis), 17
7º Nelson Vitorino (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), 17
8º César Fonte (Cartaxo Capital do Vinho-CC José Maria Nicolau), 15
9º Luis Pinheiro (Madeinox-Boavista), 12
10º Eladio Jiménez (CC Loulé-Louletano-Aquashow), 12

Colectiva
1º Madeinox-Boavista, 50 pontos

8 comentários a “Edgar Pinto vence Clássica da Primavera e lidera Taça de Portugal de elite”

  1. ANIMO Aketza otra vez con los mejores, te esperamos para a semana que vem.

    Trabajaste para bien y tu compañero tocara pronto te a ti, segue ANIMO y asi

  2. Animo Aketza otra vez con los mejores, te esperamos para la semana que viene.

    Trabajaste bien para tu compañero y pronto te tocara a tí, animo y sigue asi.

  3. foram muitas as vezes que vimos ciclistas que representavam equipas profissionais virem correr provas com os sub-23, volta a portugal do futuro, nacionais… e agora que o ciclismo português esta a passar por um mau bocado a federação decide que os ciclistas elites não tem direito a correr. quantas provas os elites fizeram até agora? foram 4… dá que pensar… ou eles se aplicam nos treinos, por vezes mesmo indo a provas de btt para rodar…. ou entao vejo um futuro mesmo muito pequeno para muitos elites… só desejo boa sorte a todos os elites

  4. E verdade “Amador” e “Samuel” sao leis que estao a acabar com o ciclismo portugues muito poucos ciclistas e cada vez menos corridas….. e complicado com respeito por todos mas a comissarios que ganham mais num dia que alguns sub-23 no mes todo e ainda se enganam nas classificacoes e vergonhoso… Se formos ver os nossos vizinhos espanhois vemos como sao as equipas sub-23 correm tudo com elites….acho bem a a Volta do Futuro ser so ate 23 anos mas a taca de portugal nao pois ja exite tao poucas corridas….

  5. Concordo com o comentário escrito pelo “amador”. Sou ciclista sub-23 e se quando este ano imprimiram a lei de que ciclistas elites não poderiam correr as Provas da Taça de Portugal Sub23 e a Volta a Portugal ao Futuro até que fiquei contente, pensei: “Bem isto vai ser mais fácil dar nas vistas”, mas à medida que fomos avançando nas corridas comecei a mudar de opinião….Portugal enfrenta 1grave crise no ciclismo…Cada vez há menos corridas e especialmente menos prémios de vários dias….tendo em conta que os corredores elites no pelotão amador até agora ainda só tiveram opurtunidade de mostrar o seu valor na Prova de Abertura, Volta a Albufeira, Volta às Terras de Santa Maria da feira isto já no mês de Abril é sem dúvida muito mau…São poucos, muito poucos dias de corrida, pouco ritmo competitivo, desmotivador…Aleando ao facto de que este ano o Grande Prémio Abimota não se irá realizar, e que os corredores elites ficarão de fora da mais importante prova do caléndario nacional restam poucas hipoteses para mostrar o valor que alguns deles têm….não nos podemos esquecer que o ciclismo está em crise, cada vez são mais os ciclistas que com grande valor, estas por uma ou outra razão, não conseguem lugar no escalão profissional e com estas novas leis, não tarda a que muitos mais ciclistas desistam da modalidade…

    Há que criar condições favoráveis a todos…e se a Federação numa altura de crise decide proteger os ciclistas Sub-23, que deiam um lugar aos ciclistas elites na Taça de Portugal de ELITES. porque afinal e como o nome diz, é a TAÇA DE PORTUGAL ELITE, ou então, que criem uma taça de Portugal Elite para corredores em equipas amadoras….
    No dia de hoje, tivemos um ciclista amador mas com idade de Elite a fazer o 4º lugar,o César Fonte…Imaginemos que este ciclista vence a corrida…não poderia ele vestir a camisola de líder da Taça de Portugal ELITE?porque razão?afinal de contas é 1corredor elite e não parte com nenhuma vantagem sobre os corredores profissionais, muito pelo contrário….
    São leis muito injustas e que desfavorecem em muito estes corredores que desta forma têm cada vez menos opurtunidades de se mostrar e de tentar ganhar 1lugar uma equipa profissional….Vamos ser justos!ou então que se acabe com a hipocrisia e se impossibilite estes corredores de se federar e participar nestas corridas…assim todos eles seguem o seu caminho e desistem deste sonho(estupido sonho este).

  6. O regulamento abrange também os corredores de elite das equipas de clube. Por lapso, não contabilizámos os pontos do César Fonte, mas já está a situação corrigida.

  7. este regulamento da federação dá muito que pensar… ora vamos ver….1º. os ciclistas elites(que correm nas equipas amadoras) não podem fazer as provas da taça na categoria sub-23 porque são elites… até aqui tudo bem…. 2º.os ciclistas sub-23 podem correr as provas da taça dos elites… acho vem, faz com que o pelotão seja mais numeroso… agora só não entendo uma coisa… os ciclistas elites(que correm nas equipas amadoras) não têm direito a qualquer ponto nas provas da taça de elite. e porque? porque correm em équipas amadoras. Agora pergunto eu que não entendo nada de ciclismo. Que visibilidade têm um ciclista sendo é elite que corre numa equipa amadora?… eu respondo… NADA. amigos elites… são estas as regras da nossa federação. são estas as oportunidades da nossa federação. eles é que o ganham e voces é que sofrem… até um dia…

Os comentários estão fechados.