Dois ciclistas cortaram a meta com uma hora de atraso, enquanto comissários se alhearam do problema

O ciclismo tem de se modernizar e os seus agentes terem a consciência de que a estrada não lhes pertence e que não será, da forma com que hoje se verificou a chegada ao Montejunto, que prestigiamos a modalidade e granjeamos adeptos para a modalidade.

Enquanto os comissários conversavam calmamente na linha de chegada, alheados dos problemas de trânsito na traseira do pelotão, dois ciclistas cortavam a meta, no Montejunto, com quase uma hora de atraso ( 56 minutos), provocando o caos na estrada e um businão das equipas que , estacionadas no alto do Montejunto, eram impedidas de baixar para regresso aos seus hóteis, por dois simpáticos homens da GNR, que estavam ” ali para cumprir ordens”.

Preservar pela imagem do ciclismo, deverá ser uma das tarefas básicas de quem dirige uma corrida de bicicletas. Desta forma pensamos que o ciclismo não saiu prestigiado e que o diga, o antigo presidente da FPC, Dr. Artur Moreira Lopes.

Agora vejam, em plena estrada, um simpático agente com as mesmas ordens destes dois agentes no final da tirada, a impedirem o trânsito de continuar o seu fluxo normal e ter de esperar quase uma hora, para ver passar dois ciclistas a 30 kms/h.