Prémio do Dão: a Associação de Viseu deverá merecer o nosso reconhecimento, pois não é fácil organizar uma prova com esta envergadura

O Prémio do Dão ainda dá que falar, um Prémio que tivemos a ocasião de transmitir teve um excelente traçado, teve até ao momento do engano, uma organização que não ficou nada a dever a outros prémios com mais antiguidade, mais experiência e obrigação de fazerem melhor.

A entidade organizadora, a Associação e Viseu foi até, uma das poucas que se “atreveu” na organização de uma prova para o setor profissional, ao contrário de outras suas congéneres, bem mais antigas, mas que não tiveram  capacidades para colocar uma prova na estrada.

Só por este ” atrevimento”, a Associação de Viseu deverá merecer o nosso reconhecimento, pois não é fácil organizar uma prova com esta envergadura.

Houveram pormenores, como existem em todas as provas, mas os graves problemas existentes, alguns deles foram criados por entidades que deveriam ter mais respeito pelo esforço da entidade organizadora. A exigência da PSP em continuar a querer ” mandar” quando as provas entram no que chamam ” área da sua jurisdição”, foi e será, no futuro, um problema, ao nível da segurança, quer para os participantes, quer para o organizador.

Em Viseu, a substituição da GNR pela PSP foi negativa por vários motivos, um dos quais, fundamental, pelo facto de entrar de rompante uma entidade que não tinha quaisquer meios de comunicação entre o comandante da força e o ” comandante” da corrida, o presidente do colégio dos comissários.  E isto é grave, tão grave que, na sequência do engano, esperou-se meia hora até que aparecesse um agente da PSP.

Este é um ponto fundamental e que a FPC deverá ter em linha de conta, para que, no futuro não existam mais situações do género.

Outro ponto importante tem a ver com a ausência de uma entidade que possa coordenar, orientar, ajudar e apoiar uma organização desta envergadura. Numa circunstancia deste tipo, teria sido importante que alguém se lembrasse de sugerir qual o papel do Diretor da Organização , as suas funções na corrida, numa formação que deveria ser contínua e bem apoiada pela FPC.

O Prémio do Dão chegou ao fim, esperemos que não ao seu final prematuro,e seria bom que, no futuro, ciclistas e diretores desportivos incluídos, pensassem mais no ciclismo e menos em combinações estéreis, que transformam uma prova de ciclismo, num evento de cicloturismo.

 

 

4 comentários a “Prémio do Dão: a Associação de Viseu deverá merecer o nosso reconhecimento, pois não é fácil organizar uma prova com esta envergadura”

  1. Os ciclistas portaram-se muito bem quando andaram à estalada e desobedeceram aos diretores desportivos que não tem mão neles é tudo culpa da PSP

  2. Não se pretende com o artigo colocar a culpa na PSP de Viseu, mas sim porque razão, no nosso território, existe a necessidade de trocar de forças policiais, numa prova sem paragem. Esta é a grande questão . Qual a razão, palpável para a substituição da GNR pela PSP ?

  3. Por favor, não culpem a PSP de Viseu de todas as falhas graves que houveram na corrida.

    Pergunto:
    1. Qual o papel da Associação dos Corredores Profissionais neste processo?
    2. A falta de marcação do percurso é da responsabilidade da PSP de Viseu?
    3. Segundo uma notícia vossa estariam 12 motas bandeira amarela na prova, o que estavam a fazer na corrida na altura do suposto engano?
    4. Os comissários não terem a constituição dos grupos atrasados e o tempo que tinham de atraso para o plutão é também culpa da PSP de Viseu?
    5. Como é dito neste texto vosso o carro da PSP não tinha comunicação directa com o comissario presidente, ao que parece o organizador já sabia que ia haver passagem de testemunho, então porque não providenciou esse pormenor com o carro dos rádios para que lhe fosse montado o equipamento necessário?
    6. Porque motivo ficou parado o director da organização à entrada de Viseu?
    7. Se o percurso não estava marcado, se não havia o policiamento necessário porque não foi a corrida parada mais cedo pelo colégio de comissários?
    8. Qual o papel da federação durante o processo de aprovação do programa do premio?

    RESPONDA QUEM SOUBER E QUISER.

    Se calhar este erro da PSP de Viseu serviu até para esconder outros erros que iriam acontecer no que faltava na prova.

    Por favor, não culpem a PSP de Viseu de todas as falhas graves que houveram na corrida.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *