Fléche Walonne é já amanhã para ver na TV – valverde grande favorito

A Flèche Wallonne é a grande prova que se segue . Tradicionalmente disputada a meio da semana, não é considerada um dos Cinco Monumentos, mas é indubitavelmente uma das grandes clássicas mundiais e só ao alcance dos melhores ciclistas.

Alejandro Valverde, com um ano como nunca teve, é o principal favorito, ou não fosse um habitual vencedor de uma prova que tem tudo talhado para as suas caraterísticas. Dura, com mais de 200 kms, com numerosas pequenas montanhas, ou ” murs” como lhe chamam os belgas e que termina num subida inclinada a perder de vista, com uma pendente média de 9,6 % e com uma passagem a superar os 21 %. O Mur d’ Huy com os seus 1200 metros costuma fazer a seleção dos mais fortes, uma prova que seria também boa para Gilbert, não fosse o recente vencedor da Amstel ter sido obrigado a parar por um período de uma semana, sequelas da queda na prova holandesa, e que lhe afetou um rim.

Uma outra baixa de vulto será Julian Alaphilippe, segundo nas duas ultimas edições da prova, e que se encontra a braços com uma lesão no joelho.

Do lado luso três ciclistas marcarão presença. Um como favorito, Rui Costa, dois com ambições mais reduzidas, André Cardoso e Ruben Guerreiro que faz a sua estreia nas grandes clássicas mundiais  e uma prova para acompanhar com atenção, pois até lhe pode correr de feição.

Esta é a 33ª vez que a  prova termina no jur d’Huy, pois antes de 1985 resumia-se a uma prova plana, discutida por sprinters. Eddy Merckx foi o vencedor mais jovem da competição,  em 1967 venceu com 21 anos.

O acesso ao local da meta será condicionado a partir das 12.00 horas, sendo esperados 15 mil espetadores que estarão espalhados ao longo dos cerca de 100 metros da escalada .

Bolsa de valores:

***** – Valverde

**** Dani Martin

*** – Rui Costa, Tim Wellens, Alexis Vuillermoz

[embeddoc url=”http://jornalciclismo.com/wp-content/uploads/2017/04/star.pdf”]

perfil