A “SECA” DOS BELGAS NA FLANDRES

 

Na centenária história do Tour de Flandres, os belgas venceram quase setenta edições. As primeiras pedaladas desta competição que começou em 1913, tiveram domínio belga quase absoluto até cerca dos anos 50 do século passado.

Não será a estes dados alheio o facto de, durante muitos anos, esta competição coincidir em data com o Milão-São Remo, divergindo os melhores ciclistas entre as duas provas.

O Tour de Flandres, é das únicas provas que se realizou durante a segunda guerra mundial o que não deixa de ser um facto assinalável, tendo em conta que uma boa parte das grandes batalhas dessa guerra se deram precisamente na Flandres.

Certo é que, de qualquer forma, os belgas têm dominado na Flandres. No entanto, pela primeira vez na longa história da competição vivem uma seca de quatro anos sem vitórias (porque a cerveja, com ou sem vitórias, essa, nunca seca).

O público belga é conhecedor da modalidade e exigente, e acreditem que para eles estar quatro anos sem ganhar, algo que nunca tinha acontecido, é massacrante.

Têm boas expectativas este ano, com Boonen, que pode bater o recorde de vitórias na prova (ficaria em quatro) e que foi o último belga a vencer, Van Avermaet, em grande forma, Gilbert, e outros belgas onde podemos incluir Jasper Stuyven.

Se os planos não resultarem e a seca aumentar para cinco anos, o público e a comunicação social, vão destroçar sobretudo as equipas e os ciclistas belgas, algo a que todos estão habituados, convivendo com a critica com facilidade.
Luís Gonçalves