Melhor sprint dos ultimos tempos, foi aqui no Algarve – Greipel rei dos sprinters

sprint

Partindo de trás, com algum atraso para Degenkolb, Gaviria e Dylan  GROENEWEGEN , André Greipel ,com o seu inconfundível estilo, passou tudo e todos, de forma tão autoritária, pleno de força,e sem grande ajudas, que o seu triunfo não mereceu qualquer contestação.

É certo que, á primeira vista, não era fácil descortinar o vencedor, mas a força do alemão foi surpreendente, pela forma como recuperou o atraso, o que não o impediu de ganhar. Um excelente sprint , um grande triunfo de Greipel, e uma linha de meta tão preenchida , que arriscamos afirmar, estarmos em presença de um dos melhores sprints dos ultimos tempos.

A história dos grandes sprinters mundiais tem vindo, cada vez mais, a entronizar a ideia que é, na Alemanha, fazendo recordar os velhos tempos da RDA, que os homens possantes, de grande estatura e impressionante musculatura se fazem valer destas qualidades para se tornarem nos homens mais velozes do mundo, em cima de uma bicicleta. Greipel, Kittel e Degenkolb são disso a prova, porque são, na verdade, os mais fortes. É certo que temos um Cavendish, que às vezes nos interrogamos como é que o britânico, com tamanha diferença de estatura, consegue suplantá-los, nas grandes provas por etapas, o que talvez seja fácil de explicar pela melhor recuperação do ciclista da Dimension Data, em especial no Tour.

Mas sprinters à parte, a etapa de hoje da Volta ao Algarve, a quarta não teve motivos de grande interesse. O pelotão, ou pelo menos uma parte dele, vinha um pouco ” dependurado”, houvessem uns topos na parte final da etapa, e a conversa talvez tivesse sido outra. Um grupo de quatro ciclistas, Ryan Mullen (CDT), Taco van der Hoorn (ROP), Dion Smith (WGG) e  João Matias (LAA) foram os protagonistas do dia, com os três primeiros quase a levaram a água ao moinho, tendo sido alcançados a menos de dois mil metros do risco em Tavira.

Não querendo arriscar, como na primeira etapa, os colegas de Greipel remeteram-se na defensiva, e empurraram a perseguição para a QuickStep, que gastou todas as forças na eliminação da escapada, deixando um pouco Gaviria desamparado. Mas, verdade seja dita, o colombiano ainda não tem a classe e o poder de Greipel e Cª.

Um triunfo que coroa Greipel como rei dos sprinters na Volta ao Algarve. A amarela, essa manteve-se na frente, falta ver amanhã , na escalada para o Malhão, quems será o vencedor da algarvia.

Classificação:

[embeddoc url=”http://jornalciclismo.com/wp-content/uploads/2017/02/Classificações-4ª-Etapa-43ª-Volta-ao-Algarve-2017.pdf”]