Tour com oito ciclistas e Paris-Roubaix com sete por equipa em 2017

O planeamento tático das provas para 2017 poderá ser radicalmente alterado, em relação aos ultimos anos, depois dos Organizadores de Corridas terem reduzido o numero máximo de ciclistas nas suas provas.

Assim, as provas World Tour e outras organizadas a nível internacional passaram a ter os seguintes efetivos : Giro – Vuelta e Tour de nove ciclistas por equipa passaram a oito ciclistas como máximo, as restantes provas de oito, passaram para sete ciclistas.

Os argumentos apresentados pelos Organizadores foi privilegiarem a segurança, mas nada os impedirá de apresentarem na linha de partida, em vez das habituais 21 equipas, nas provas Wordl Tour,mais duas , de forma a nunca ultrapassarem o máximo de 200 ciclistas por prova, o máximo autorizado pela UCI.

Na mira contrária a esta decisão  está a Associação de Ciclistas, cujos interesses foram prejudicados, temendo por uma contratação em menor escala de ciclistas por parte das equipas.

Seja como for, esta decisão terá um condão positivo :  será mais dificil o controlo por parte dos grandes blocos e as provas tornar-se-ão mais abertas. Sete ciclistas afigura-se um numero pequeno para uma grande equipa, controlar provas como o Paris-Roubaix, Tour de Flandres.Milão-S.Remo, etc.