Delmino Pereira será eleito amanhã para um novo ciclo que se espera mais positivo que o anterior

Delmino Pereira vai ser eleito amanhã, para o segundo mandato a frente dos destinos da FPC, para um novo ciclo que se espera seja, no mínimo, tão ou mais positivo que o que acaba de terminar.

Voluntarioso, obstinado, e com ideias por vezes demasiado rígidas, Delmino Pereira conseguiu  dar passos significativos, no desenvolvimento do ciclismo nacional, numa política algo comesinha, tipo Henrique Castro, mas que deu  frutos, preocupando-se não em megalomanias, mas em situações reais, de acordo com as potencialidades, mas sobretudo capacidades financeiras da modalidade. Soube gerir com sagacidade, movendo campanhas de filiação, que guindaram a modalidade a um patamar, nunca antes conseguido. Dirão muitos que haverá lacunas, naturalmente que sim, algumas delas têm sido colocadas  em JC .

Neste segundo mandato, exigir-se-á mais, muito mais, tendo em vista o que o ciclismo necessita, e o que ele sabe que a modalidade precisa. Não chega criticar, é urgente aplicar no terreno, as criticas que veladamente são feitas em surdina.  Com mais  conhecimentos e  experiência, caberá a Delmino Pereira criar, no próximo mandato, um departamento de ciclismo profissional,

uma nova filosofia para a Volta a Portugal,

um código de ética que obrigue equipas e clubes ,

um calendário mais completo para o setor profissional , 

o reconhecimento do trabalho de algumas equipas em prol do desenvolvimento da modalidade

e culturalizar a modalidade .

Será utopia pensarmos que será possível  a concretização  de alguns destes ítens ?  Aguardemos pela resposta, daqui a quatro anos.

JS