João Cabreira diz que vai correr Clássica da Primavera

O ciclista João Cabreira (CC Loulé-Louletano-Aquashow), a contas com um processo disciplinar por alegada prática de viciação de amostra de controlo de dopagem, disse hoje à agência Lusa que vai correr a Clássica da Primavera, no dia 19 de Abril. O corredor foi suspenso por dois anos pelo Conselho Disciplinar da Federação Portuguesa de Ciclismo, mas o recurso que apresentou dessa decisão suspendeu a pena. João Cabreira recorreu para o Conselho Jurisdicional da federação e, enquanto aguarda uma decisão definitiva, pode competir.

O recurso já entrou nos serviços federativos antes da Clássica de Vieira do Minho, pelo que, se a equipa louletana quisesse, Cabreira já poderia ter integrado o pelotão nessa prova, bem como no GP de Llodio e na Volta ao Alentejo. Caso o Conselho Jurisdicional reúna antes da Clássica da Primavera e confirme a suspensão aplicada pelo órgão disciplinar, o poveiro ficará imediatamente impedido de defender o triunfo conquistado na edição transacta da corrida que decorre na sua terra natal. Nesse caso, restar-lh-á recorrer para o Tribunal Arbitral do Desporto, algo que Cabreira anunciou ser sua intenção, no caso de o órgão de recurso da Federação Portuguesa de Ciclismo não lhe dar razão.

O processo disciplinar de que foi alvo o ciclista tem a ver com a alegada utilização de uma protease que danifica as amostras antidopagem. De acordo com explicações dadas à imprensa pelo director do Laboratório de Análises e Dopagem, Luís Horta, João Cabreira utilizou uma substância que, em contacto com a urina, elimina eventuais traços de EPO e de hormona de crescimento. A protease em causa foi detectada pelo laboratório de Colónia, Alemanha, que já confirmou haver outro corredor português que recorreu ao mesmo método, num processo do qual se aguardam desenvolvimentos.

Nota da redacção:
A redacção do Jornal Ciclismo agradece os esclarecimentos sobre o artigo 8º do Regulamento do Conselho Disciplinar da Federação Portuguesa de Ciclismo. As precisões tidas em conta dos diversos intervenientes no caso vêm corrigir um lapso involuntário provocado por dois motivos: 1) uma informação errada que dava como certo o levantamento da suspensão antes da Clássica de Vieira do Minho; 2) uma leitura errada do regulamento que corroborou a informação errada em que se baseava esse trecho da notícia (acima rasurado). De facto, a informação fornecida pelo próprio João Cabreira e pela sua advogada após a publicação deste artigo precisam que o atleta não poderia ter competido na Clássica de Vieira do Minho, no GP de Llodio e na Volta ao Alentejo.

58 comentários a “João Cabreira diz que vai correr Clássica da Primavera”

  1. DEIXEM O SRºCABREIRA EM PAZ.NAO ACHAM QUE JÁ SOFREU QUE CHEGUE?A MINHA MORADA TAMBEM É OUTRA,NAO TENHO TEMPO AGORA PARA ANDAR A MUDAR CARTAS DE CONDUÇAO.B.I.E ETC.DÁ MUITO TRABALHO.TER A HUMILDADE DE DIZER QUE QUER CONTINUAR A CORRER É UM GRANDE HOMEM.TOU CONSIGO E ESPERO POR SI PARA O APOIAR NA ESTRADA.AFINAL A VERGONHA DO CICLISMO PORTUGUES O CLAUDIO FARIA NAO CORRE MAIS.ESSE SIM É UMA VERGONHA EM PESSOA,TAO ARMANTE, TANTO ESTILO….ASSIM ATÉ EU FORÇA CABREIRA

  2. nao é dos meus ciclistas favoritos,mas acho q está na hora de deixar o homem em paz,sei q até foi um pouco convencido demais nessas alturas,mas tem q ter mais humildade…..dêm-lhe alguma paz,deixem-no fazer o q mais gosta……andar de bicicleta

  3. A senhora deve ser uma brilhante jurista para avaliar a viabilidade de processos.
    Mas é como lhe dizia: escudam-se em minudências para fugir ao essencial.
    Ainda bem que se juntou à luta contra a dopagem.

  4. Sr.Carlos Sousa, “…eu não dei como certa a relação conjugal…”, ” e segundo SEI esposa do sr.cabreira…” isto dava-lhe um processozito por difamação!! e olhe que em tempo de crise! até ia dar um jeitito, cale-se que o sr. não sabe o que diz homem, eu não preciso confirmar-lhe absolutamente nada, percebeu? a si não lhe devo explicação de nada…quanto a ser amiga do Cabreira, SOU POIS, dele, AFONSO,ROGERIO, TIAGO,PEDRO CARDOSO, PIRES, CLAUDIO FARIA…COMO É QUE NÃO HAVIA DE SER AMIGA DAS PESSOAS QUE TRATARAM TÃO BEM O MEU IRMÃO EM VIVO, E NOS TEM DADO TODO O APOIO COM A SUA PERDA??? portanto não é de si certamente que eu vou ser amiga, porque o senhor não tem, nunca teve sensibilidade nenhuma nas suas palavras…é uma pessoa asquerosa e fria. Passe muito bem, continue com essa sua vida de detective sabichão que “só eu sei a verdade”, pode ser que entretanto a vida lhe ensine a dar mais valor às PERDAS e às AMIZADES. Outra coisa EU SOU CONTRA O DOPING…PORQUE NÃO HAVERIA DE SER? O MEU IRMÃO ESTAVA LIMPINHO, OS OUTROS ATÉ AGORA TÊM SIDO ANALIZADOS À LUPA E……..NADA, portanto não preciso lhe dizer mais nada da minha parte.

  5. Reafirmo: EU SOU CONTRA O DOPING !!! E vocês ???

    Não sei se o Senhor José Carlos Gomes é novo ou velho mas tenho agora a certeza que não sabe o que foi e o que é a censura.
    Uma publicação que, no estatuto editorial se assume contra o doping (!), não deve dar espaço a quem não o merece e que está indiciado por doping. Dedique-o a assuntos nobre do ciclismo, aos justos, por exemplo. Isso não é censura, é opção editorial. Mas se acha que está a contribuir para o progresso do ciclismo, continue a dar palco aos indiciados (volto a recordar que são apenas indiciados) e à asquerosa campanha de os seus acólitos promovem.

    Contrariamente ao que diz o “Pedro Cardoso” (quem quer que ele seja) não vejo qual é o problema de um jornalista responder aos comentários das suas notícias. Até temos por aqui uma senhora advogada a defender os seus clientes e não podia agora o jornalista defender-se ?

    Quanto ao resto, bastou enfiar com umas verdades pela goela para os acólitos se estatelarem e confirmarem o que escrevi anteriormente. Como bons cúmplices, escudam-se em minudências para fugir ao essencial.
    Saber escrever não é o forte dos acólitos mas pelo menos era desejável que soubessem ler. Vamos, então, por partes e devagar para ver se entendem.

    À senhora Cristina Neves e sucedâneos: Não dei como totalmente certa a relação conjugal mas a Senhora Cristina Neves confirmou o que interessava: é grande amiga do João Cabreira. Logo, não se pode afirmar neutral e, repito, essa é uma das circunstâncias que lhe tolda a realidade.
    Obrigado, portanto, por me ter dado razão. Afinal, até vamos estando de acordo nalgumas coisas, embora ainda não a tenha posto a dizer que é contra o doping. Mas tenho esperança nisso. E nas respostas a outras questões que foram por si – e pelos restantes acólitos – secundarizadas por minudências.

    Aos valentes do “zé”, “jose” e “Maria”: não tenho medo das vossas ameaças mas assinalo a vossa cobardia. Dignos desse nome, os verdadeiros Homens e as verdadeiras Mulheres dão a cara, não se escondem em niks. Mas venham daí seus valentões ! Conhecem a história dos balões fortes que rebentam com um alfinete. Fico à vossa espera para vos explicar.

  6. Ah outra coisa muito importante Sr.Carlos Sousa, eu já fui vitima de um crime senão vários crimes… (tudo o que falaram do meu irmão e da minha familia, foi um autentico crime aos meus ouvidos), um dia talvez venha a perceber o que isso é…

  7. Sr.Carlos Alberto Sousa, de facto o Sr. conseguiu fazer comigo uma coisa que já á muito tempo ninguém conseguia…SURPREENDER-ME…DAÍ OS MEUS PARABÉNS PARA SI, mas lamento informá-lo que tenho 37 anos, o Cabreira até é UM RAPAZ JEITOSO, mas ele sabe que eu sou casada à 16 anos com o meu marido e muito bem casada, se souber fazer contas verá que quando me casei o Cabreira ainda andava a aprender a ler e a escrever, e na minha terra casar-se com uma pessoa dessa idade…É PEDOFILIA!!! e graças a Deus posso ter muitos defeitos que os tenho, mas pedofila não sou, e peço a Deus todos os dias e ao meu anjo da guarda que agora tenho a olhar pela minha familia, que proteja o meu filho de 14 anos, sobrinho do BRUNO NEVES, das garras dessas pessoas. Como vê a unica causa que me move neste circo todo é a palavra AMIZADE, já agora CONHECE A PALAVRA? Quanto à associação de que falou…como já sou presidente da escola de ciclismo Bruno Neves que AMIGOS CRIARAM E ME PUSERAM A PRESIDENTE, se quiser puderá inscrever-se e participar quando quiser, também posso associar-me a outra qualquer…não é de tachos que este país vive? porque não eu? Sr.Carlos Alberto Sousa, tome juizo, informe-se melhor das situações, e quando quiser ou melhor falar de mim ou da minha familia, limpe bem os cantos da boca, porque não é qualquer um que fala de nós, sabe porquê? FALTA DE CATEGORIA PARA ISSO, PASSE BEM…e já agora Cabreira meu marido do coração!!!!!um grande beijinho desta tua “esposa” que te adora 🙂 espectacular!!!!!de que mais se lembrarão!!!!!

  8. ate me vieram as lagrimas aos olhos agora….mas foi de me rir…. esta o país a muito a espera que dão sebastião apareca por entre o nevoeiro e salve a patria….. mas ao que parece ele esta aqui…. bem vivo… e a lutar contra os ” afoitos acólitos ” e contra o tal movimento solidário…
    chamem a TVI pa dar a noticia no jornal nacional que dao sebastiao esta vivo….

  9. Pois Sr. José Carlos Gomes, o pior mesmo é que nem essa tal atitude de abertura consegue limpar os efeitos de “lavagens cerebrais” que alguns OCS tentam fazer. Nem toda a gente que segue o ciclismo português é tão ingénua como alguns queriam que fosse.

  10. “Só quem se distrai muito pode achar que esta edição electrónica tem em curso uma campanha contra os ciclistas indiciados por doping. Sinceramente ! Já repararam que ao divulgar notícias desses indivíduos lhes estão a proporcionar um palco que eles não merecem ? Que estão a criar pretextos e oportunidades para eles e os seus afoitos acólitos virem a terreiro denegrir a imagem de entidades credíveis ? Que estão a permitir que continue a ser lançada uma onda de fumo (quiçá também com a tentativa de fazer surgir um movimento solidário) para branquear as situações de que estão indiciados ?
    Ainda não repararam que as fontes das notícias sobre doping são maioritariamente os indiciados ou pessoas ligadas a eles ? E que essas notícias nunca trazem o contraditório ?”

    O Senhor Carlos Alberto, manifestando uma posição de grande correcção na luta contra a dopagem, cai num erro básico: defende a censura. O Jornal Ciclismo continuará a fazer o seu trabalho e a noticiar todos os assuntos que tenham interesse informativo, pautando-se pela seriedade. Fazer o que o senhor Carlos Alberto advoga seria dar razão às vozes ignóbeis que aproveitam a liberdade de expressão concedida neste sítio para desenvolverem campanhas de propaganda que emporcalham a higiene pública. Essas vozes gritam, insultam, esperneiam que o Jornal Ciclismo não é isento e que está ao serviço de alguém. Nem se dão conta que apenas podem vomitar impropérios porque este Jornal é livre e continuará a sê-lo.

    Todos sabemos que há sempre quem aproveite a liberdade para insultar, denegrir, intimidar, mentir. Mas esses são denunciados pelo seu próprio comportamento. Os leitores que nos procuram – e são muitos e cada vez mais – sabem separar o trigo do joio e percebem quem está de boa-fé e quem actua em função de determinados interesses. Portanto, senhor Carlos Alberto, a solução não é a censura, mas a abertura. Cada um depois tira as suas conclusões.

  11. a maior estupidez ate agora :” sr cristina neves casada com joao cabreira” ai meu deus……
    depois do recurso ser analizado pela federaçao, e se ainda for levado para o tribunal arbitral do desporto e derem razao ao cabreira, QUERO VER DOS QUANTOS QUE ESTAO AQUI VEM PEDIR DESCULPAS AO CABREIRA PELA FORMA QUE O TRATARAM E PELA CONDENAÇAO OU NAO PRESUNÇAO DE INOCENCIA ANTES DO TRIBUNAL O CONDENAR OU ILIBAR… QUERO VER QUANTOS O VAO PEDIR DESCULPA….QUERO LER BEM O TEXTO QUE O JORNAL DE CICLISMO VAI PUBLICAR… QUERO VER O QUE O SR. CARLOS ALBERTO SOUSA VAI DIZER…… SE NAO VIER AQUI DIZER NADA HAVEMO-NOS DE ENCONTRAR NA RUA….

  12. “mas é também e segundo sei …. esposa do João Cabreira.” “Talvez sejam estas circunstâncias que toldam a realidade à Senhora Cristina Neves.” Eu já segundo tenho a certeza….. não existe qualquer tipo de relação de parentesco entre ambos. A Cristina é casada e muito bem casada á muitos anos. O que existe é uma forte amizade, dado o enorme carácter de ambos. Sr. Carlos Alberto Sousa, eu é que se contasse as relações do Sr. ao ciclismo, todos percebiam o porquê dessa hipocrisia. Talvez um dia… tenha vergonha!!!! Ah e informe-se melhor antes de falar.
    Boa Páscoa para todos

  13. “mas é também e segundo sei …. esposa do João Cabreira.”

    Sr. Carlos, fale do que sabe…, ridiculo!!

  14. Bom dia. Sr. Nuno, acha mesmo que algum dia faria um comentário destes do João Cabreira?!

    Nunca vi, um jornalista responder aos comentários das suas noticias.
    Mas continue assim, o Sr. sem ajuda de ninguém consegue descridibilizar-se. Pelo menos neste aspecto siga o exemplo do Sr. João Santos. Abraço para todos.

  15. EU SOU CONTRA O DOPING !!!

    Estão todos de parabéns pelo medíocre contributo que dão à modalidade.

    Comecemos pelo Jornal Ciclismo, sendo certo que não esquecerei outros. Só quem se distrai muito pode achar que esta edição electrónica tem em curso uma campanha contra os ciclistas indiciados por doping. Sinceramente ! Já repararam que ao divulgar notícias desses indivíduos lhes estão a proporcionar um palco que eles não merecem ? Que estão a criar pretextos e oportunidades para eles e os seus afoitos acólitos virem a terreiro denegrir a imagem de entidades credíveis ? Que estão a permitir que continue a ser lançada uma onda de fumo (quiçá também com a tentativa de fazer surgir um movimento solidário) para branquear as situações de que estão indiciados ?
    Ainda não repararam que as fontes das notícias sobre doping são maioritariamente os indiciados ou pessoas ligadas a eles ? E que essas notícias nunca trazem o contraditório ?

    Só os democratas travestidos ou de visão turva podem contestar que um estatuto editorial se assuma contra ou a favor de qualquer coisa. Um estatuto editorial é precisamente isso, assumir o que se é … ou pretende ser. No caso do Jornal Ciclismo entendo que pretende ser contra a dopagem mas não consegue, dando guarida ao sentido inverso. Mas o que mais repugna e enoja são alguns comentários deixarem perceber que os seus autores são favoráveis à dopagem. Lutar contra a dopagem é um desígnio obrigatório de quem defende o desporto. Defender o contrário é advogar a batotice, é negar a ética desportiva, é permitir que se ponha em causa a saúde, é consentir a validade de meios ilegítimos, é defender o roubo (como explicitarei mais à frente). Porque não começam os autores dos comentários por afirmar que são contra o doping ?

    A Senhora Cristina Neves abordou duas temáticas interessantes: a imparcialidade e a questão dos “homens que precisam de ganhar a vida e estão impedidos de o fazer”.
    Pois bem, como referi anteriormente, a ausência de neutralidade do Jornal Ciclismo é favorável aos indiciados. A da Senhora Cristina Neves, obviamente, também. Como sabemos, era irmã no malogrado Bruno Neves (sinto e transmito-lhe as minhas sinceras condolências e respeito) mas é também e segundo sei …. esposa do João Cabreira. Este indiciado é o que mais esperneia no lançamento da onda de branqueamento, agora que está investido de enormes poderes e influência na Associação Portuguesa de Ciclistas Profissionais. Talvez sejam estas circunstâncias que toldam a realidade à Senhora Cristina Neves.

    Se houvesse imparcialidade e desapego da sua parte, já a Senhora Cristina Neves estaria a presidir a uma qualquer “Associação Portuguesa dos Presos-Preventivos Impedidos de Ganhar a Vida”. Por exemplo: a ter a Senhora Cristina Neves sido vítima de algum crime (espero que não !) gostaria mesmo de a ver defender o indiciado que, coitadinho, apesar de a ter prejudicado estava impedido de ganhar a vida …
    Pois é. Para quem não sabe, alguém que é considerado dopado (não estou a afirmar que os indiciados o sejam, pois não passam disso mesmo, de indiciados), dizia, os dopados são batoteiros e, é importante dizê-lo, “ladrões”. Um atleta dopado que ganhe uma prova e arrecade um prémio e o prestígio da vitória, está a roubá-los a quem esteve nessa mesma prova a competir de forma limpa. Convêm não esquecer isso e importa perguntar: se os batoteiros arrebanham os prémios e o prestígio da vitória, como ganham os justos a vida ?

    Senhora Cristina Neves e demais directamente interessados na matéria: eu até percebo o problema. No outro dia aconteceu-me uma situação semelhante. Fui apanhado na auto-estrada em excesso de velocidade (segundo dizem, era mesmo um excesso). Eu queria e consegui explicar as minhas razões. Tramei-me na mesma. Paguei uma tremenda multa e foi-me “confiscada” a carta de condução. Estou impedido de ganhar a vida porque preciso de conduzir para trabalhar. E sabem de quem foi a culpa ? É fácil: do GNR ! Não tinha nada que estar ali. Ainda por cima tinha o boné meio decrépito, as botas mal engraxadas e a continência foi mal feita. Era a minha palavra contra a do agente e o comprovativo do radar. É injusto ! Suspeito que os pneus do carro da Brigada estavam quase a ficar carecas, que o nível do óleo do carro da Brigada estava no limite, que a revisão do carro da Brigada não era feita há muito tempo, que o radar estava mal calibrado, que estava vento e isso influenciou o radar, que a chuva influi na velocidade, que o fabricante do radar estava a despedir pessoas por causa da crise, que o agente da GNR aparentava má disposição, que o agente da autoridade não tinha certamente almoçado, que o Comando Geral da GNR fez de propósito para me apanhar, que …, que …, e que … E mais não digo sobre a “campanha negra” que o agente desenvolveu contra mim porque não devo fazer o que critico nos outros: lançar ondas de fumo ou campanhas de branqueamento. É que eu ia mesmo em excesso de velocidade …

    Não respondo à senhora D. Marina Albino pelas seguintes razões: não conheço outros advogados que se dêem ao “trabalho” de andar pela net a defender os clientes, pois o seu local de trabalho habitual não é este. Julgo até que a Ordem dos Advogados terá certamente uma opinião sobre este tipo de comportamento e a eventual desobediência às normas éticas e deontológicas. Talvez um dia a Senhora também tenha que responder – em sede de OA ou Tribunais – pelas “mer…que escreve”! Desculpe … mas a sua expressão fica-lhe tão bem que não resisto a plagiá-la. É evidente que não estou a ser mal-educado consigo … Já agora, preocupe-se antes com os seus patrocínios pois os fundos da Associação Portuguesa de Ciclistas Profissionais não são ilimitados e, qualquer dia, os associados justos questionam a aplicação de verbas na defesa de indiciados por doping.

  16. O senhor Manuel José Madeira ou está com a vista turva ou não percebe português. Seria grave se não fosse risível. Continue a sua campanha. No Veloluso e até nestas caixas de comentários. Faz sempre falta quem faça rir com o descaramento da desonestidade intelectual. Não espere é que o levem a sério.

  17. Nunca soube. Assinante, com as quotas em dia até ao fim, do Jornal Ciclimo, várias vezes o afirmei publicamente no VeloLuso. O José Carlos Gomes falhou várias aulas no seu Curso de ‘Jornalismo’, todas aquelas em que terá sido explicada a diferença entre a notícia e a Opinião. Tem, ninguém lhe negará isso, o José Carlos Gomes TODO o direito a ter uma Opinião seja lá sobre que matéria for. NÃO PODE é travesti-la de ‘notícia’. É desonesto, é criticável, é contra o Código Deontológico dos Jornalistas. E engana que lê. Daí o desonesto…

  18. Diz o José Carlos Gomes:

    Esta conversa do contraditório é, no mínimo, bizarra. A notícia é feita com base numa informação prestada pelo ciclista João Cabreira à agência Lusa e citada, abundantemente, nas edições electrónicas dos jornais generalistas. O corredor diz que vai correr a Clássia da Primavera. Essa é a notícia. Ou seja, a notícia é aquilo que o ciclista afirma.
    Escreve o José Carlos Gomes:
    O ciclista João Cabreira (CC Loulé-Louletano-Aquashow), a contas com um processo disciplinar por alegada prática de viciação de amostra de controlo de dopagem, disse hoje… (logo, ISTO não é a ‘notícia’ que o próprio José Carlos Gomes DIZ – falhou isto na mensagem anterior – ser a… notícia; a conclusão fica ao critério de cada um… querem a minha opinião? ok… o José Carlos Gomes SABE o que é uma notícia, mas o MESMO José Carlos Gomes NÃO SABE (é o mínimo que posso dizer) escrever UMA NOTÍCIA!

  19. Realmente isto já parece uma palhaçada.. ofenças uns aos outros..a Advogada vem para aqui ainda meter mais lenha na fogueira, o Pedro Cardoso com este comentario, muito sinceramente nunca esperei isto do Pedro Cardoso, em fim. O que aconteceu ao Cabreira e á ex- LA/Mss poderia ter acontecido a todas as outras, o que eles fazem os deixam de fazer não me venahm com tretas todos fazem igual…não vale apena agora virem para aqui fazer este tipo de comentários. Deixem o Cabreira, que é um grande ciclista e um grande homem, resolver as coisas da melhor maneira.

  20. isto é tudo uma cambada de incompetentes e de palhaços…so sabem falar em doping…ao menos arranjem uma mulher para cada um e eskeçam este jornal k so s enterram…hahaha…

    Força Cabreira estou ctg

  21. Sr josé c. gomes quanto a federação vos paga?
    voces neste jornal são uns paus mandados, são uns miudos de recados… para confirmar isto reparemos que o Sr. Fernando emilio tb colabora c o jornal!!!

    bjinhos

  22. Doping é sempre um tema e discórdia, penso que quem sofre no meu desta novela toda são os ciclista que com muita bravura e amor à modalidade se mantêm estoicamente sobre as duas rodas a dar alegrias a quem desde sempre ama esta modalidade.

    Parece-me extremamente grave que atletas que ainda não têm qualquer acusação formalizada,estejam suspensos desde a época passada. Que atletas como o João Cabreira não possam desempenhar a sua profissão de uma forma normal, que os meios de comunicação abram os noticiários com noticias de doping e que quando é provado a inocência do atleta nada é dito.

    Eu tenho uma opinião muito pessoal que poderá ser extremamente controversa, mas o o Doping não é branco ou preto, o cinzento impera, seria fundamental que o bom senso imperasse também.
    Viva o ciclismo e força a todos os atletas de alta competição que foram de alguma forma achincalhados publicamente por pessoas que a noticia sensacionalista é mais importante que a vida pessoal dos visados.

  23. Este jornalistas eram bons para as tardes da Julia, só fazem aquilo que querem e não pensam nos outros…….

    Esqueçeram-se que existem vários corredores que já venceram várias etapas seguida!!! E agora esses ciclistas também estão dopados…??? Ou não será antes o fruto de um exelente empenho por parte do ciclista…….

    Tal como o Cabreira eles são profissionais têm o trabalho deles onde se dedicam de corpo e alma, para vencer e dar o maximo rendimento á equipa onde estão……

    OS jornalistas têm que ter mais cuidado com aquilo que escrevem e devem contactar as pessoas envolvidas na noticia e não escrever só porque os outros dizeram ou porque nos apetece……….

    O cabreira é um dos melhores corredores da actualidade portuguêsa, deixem mas é o homem correr e deixem de acusa-lo!!!
    CABREIRA; CABREIRA!!!!

  24. Meus amigos, com isto tudo so andam a fazer a vontade a outros pessoas que querem acabar com o ciclismo. DOPING existe em todas as modalidades, porque so falam de ciclismo?? ou sera que as pessoas que teem algum poder são de tal maneira cobardes para não falarem das outras modalidades??? ou sera que isto e um jogo de interesses?? OU SERA QUE ANDAM PESSOAS NO MEIO CICLISMO QUE EM VEZ DE DIVULGAREM A MODALIDADE SO ANDAM PARA ACABAR COM A MESMA?? NÃO critiquem mostrem que conseguem fazer melhor.

  25. O meu nome é Pedro Santana sou um grande fa de ciclismo e nao escrevi o primeiro comentario que ai esta. e ja agora Aamorim eu interossome pelo assunto pk aqui o assunto é o bom nome do ciclismo cujo já gosto ha alguns anos. vc nao me conhece de lado nenhum para me estar a julgar. da proxima vez que chamar cobarde lembrese que eu lhe digo para ir dar uma volta. aqui os unicos brincalhaos sao os que puseram o processo ao joao cabreira e aos outros todos e que destruiram a equipa LA-MSS. Eu apoio a luta contra o doping e apoio os membros da equipa LA ate alguem me disser o contrario.

  26. Onde se lê “Dra Maria Albino” deve ler-se “Dra Marina Albino”.
    As minhas desculpas pelo lapso.

  27. Acho fantástico que se fale no contraditório, principalmente a quem escreveu o seguinte:

    “Com base neste princípio, não podemos permitir que o Jornal Ciclismo, através das suas caixas de comentários, se transforme numa plataforma branqueadora ao serviço de quem quer descredibilizar a luta contra a dopagem. Mesmo que a intenção não seja essa, muitos dos comentários que têm chegado em catadupa têm esse efeito prático.

    Até aqui temos assumido uma postura de permissividade em relação aos comentários, apagando apenas aqueles que são declaramente insultuosos e difamatórios para as pessoas neles visadas. Outros, apesar de estarem na fronteira do difamatório, têm sido aprovados e estão online.

    Daqui em diante será diferente. Porque as instituições que lutam contra a dopagem, em Portugal e internacionalmente, nos merecem todo o crédito, não mais serão aprovados comentários que visem descredibilizar estas instituições.” E ainda “Assim, de forma fontal, informamos que a aprovação de comentários estará sujeita a este critério aqui explicado.”
    E então, onde fica o contraditórios???
    Palavras para quê?
    Recordo o meu comentário:
    O “assumir-se frontalmente ao lado daqueles qua lutam contra o doping” não é assunto de estatuto editorial, é tão sómente e apenas uma obrigação de qualquer entidade jornalistica.
    A censura do contraditório e opiniões divergentes (desde que, é claro, não sejam insultuosos e difamatórios) é no mínimo lamentável.
    O jornalismo deve informar, nunca “fomentar e defender” posições ou instituições.
    E, se atentarmos bem, no deve e haver das posições “branqueadoras ao serviço de quem quer describilizar” e dos acérrimos defensores do nossos crónicos responsáveis das diversas instituições, não será fácil perceber para que lado pende a balança.
    Com uma diferença, uns agora serão calados e amordaçados, deixarão de ser inconvenientes!!! Digo eu!!!
    E, repare-se, é a primeira vez que comento um artigo neste site. Mas, por questões de princípios, não podia ficar indiferente.
    Fiquei mesmo confuso, chequei a pensar se não teria emigrado para um qualquer país com a autêntica liberdade de expressão que aqui se pretende!!!

  28. Estranho, mesmo muito estranho.
    Julgava eu que conhecia as pessoas e…
    Claro que falei com o Pedro Santana… Que me disse, incrédulo, que colocou o primeiro comentário em nome dele, mas os outros foram obra de algum brincalhão!!! Quem será o infeliz que se diverte a usar o nome daqueles que não se escondem atrás de um nickname ou de um anónimo?
    Enfim, esta novela toma contornos kafknianos!!!
    Rogério, tem calma, nem tudo é o que parece. Alguns divertem-se a brincar com o nome e os sentimentos de terceiros. Pobres coitados. E, ainda duvidam da “teoria da cabala”? Começam a ser muitas as coincidências. Só os responsáveis pelo site poderão dizer se os “Pedros Santanas” são os mesmos!!! Basta verificar os e-mails indicados!
    Enfim, a canalhada diverte-se a brincar com aqueles que levam isto de forma séria e interessada. Vá lá, divirtam-se. Cobardes que agem sob o anonimato, já nem sequer se escondem em nicknames ou no anonimato, agora usam as identidades alheias, dos que não se escondem…
    E, Dra Maria Albino, saiba que há os que se preocupam com a verdade desportiva e não só. Não ligue aos “comentários” infelizes de alguns. Saiba que ainda há os que reconhecem o seu trabalho, de David contra o Golias. Mas, como quem cala consente e é lógico que não se cale com as atordoadas de alguns. Mas, acredite que não vale a pena incomodar-se, esqueça. Infelizmente é o melhor!
    António Amorim (o próprio).

  29. Sr. Carlos Fernandes, confesso que a minha indignação hoje foi maior do que aquilo que é suposto uma senhora ser …contida nas palavras. Todavia se feri a sua sensibilidade, a minha amizade pelo João Cabreira e o seu sofrimento falaram mais alto. Ele tem aguentado estoicamente as frases, os comentários, que têm vindo a ser feitos à sua pessoa e mesmo quando ganha um processo, há sempre alguém que persiste em repisar o assunto pela negativa.
    Efectivamente se verificar, não quis apresentar o caso na praça pública e nem esse era o objectivo. Sou uma simples advogada de provincia e não violei qualquer regra deontológica.De qualquer forma, a minha consciência está tranquila e a Justiça não anda mal por causa de um desabafo. Quanto á situação dos processos a celeridade é sempre desejável o que não tem acontecido e no final ver-se-á quem tem razão, quem não tem,quem assumiu os seus actos e se responsabilizou por eles. Que o ciclismo ficou mais pobre e triste isso é um facto!

  30. Esta conversa do contraditório é, no mínimo, bizarra. A notícia é feita com base numa informação prestada pelo ciclista João Cabreira à agência Lusa e citada, abundantemente, nas edições electrónicas dos jornais generalistas. O corredor diz que vai correr a Clássia da Primavera. Essa é a notícia. Ou seja, a notícia é aquilo que o ciclista afirma. Depois, para que se perceba o que está em causa, faz-se o enquadramento do caso, dizendo por que foi alvo de uma suspensão e acrescentando-se que o ciclista não se conforma com essa medida e que recorerá para outras instâncias caso o Conselho Jurisdicional confirme a sanção aplicada em primeira instância.

    Perante isto, qual foi a outtra parte que ficou por ouvir? Ou será que aqueles que criticam a informação séria que aqui se pratica gostariam que este sítio de notícias de ciclismo fosse apenas antes uma arma de desinformação em massa ao serviço de interesses particulares?

  31. Recomecemos a discussão toda pelo se princípio… São Jornalistas, estes que escrevem neste site? É que, tanto quanto julgo saber, e tendo como amigos alguns Jornalistas, há coisas que os Jornalistas têm, nem que seja a bem do seu nome na praça, obedecer.
    Respeitar o contraditório, logo, ouvir ambas as partes – creio que faz parte mesmo do estatuto de jornalista – e depois, depois… não se refugiarem na, ainda, mal controlada plaaforma da Internet…
    Porque, creio, num jornal tendo como suporte o papel, com obrigatoriedade de registo e arquivo compulsivo, não acredito que a indensatez com que aqui se ‘dizem’ coisas fosse igual. Ou então não estamos, em definitivo, peante Jornalistas.

    Meditem nisto. Depois. e segundo as conclusões a que chegarem, ponderem se, de facto, vale a pena dar importância a quem tudo faz para cair no ridiculo e, consequentemente, não merecer a mínima importância.

    E se os ignorarem, eles, naturalmente, se extinguirão…

  32. Tenho acompanhado o caso João Cabreira e LA-MSS pela comunicação social e pelos sítios da internet que falam do ciclismo português. Não sei quem tem razão porque as versões são contraditórias. Não tenho conhecimentos e muito menos autoridade para me pronunciar sobre o assunto, verifico que as pessoas que aqui escreveram a apoiar as causas são em grande parte as que o fazem nos sitios que falam do ciclismo português. É estranho que uma senhora que se diz ser advogada de João Cabreira venha publicamente apresentar a versão do seu cliente na praça publica. Pelas afirmações que tenho lido na internet, esta situação só é possivel porque o CNAD efectua análises, a federação aplica castigos aos resultados positivos e os jornalistas porque divulgam as noticias. Parece que tudo isto não passa de uma ilusão porque afinal não se passou nada é tudo mentira. Pela linguagem utilizada fico com duvidas se a senhora que diz ser advogada desempenha essas funções, a ser verdade muito mal vai a advocacia e a justiça neste País.

  33. apoiado rogerio…. só estes jornalistas é que ainda nao perceberam o que estao a fazer… é tanta gente a critica-los mas eles ainda nao perceberam… pra eles, na sua consciencia, é que sao os santos, é que sao as pessoas correctas e honestas, sao os que escrevem correctamente… como se costuma dizer “só o meu filho é que marcha bem na tropa, os outros marcham todos mal”

  34. Sr Pedro Santana, ninguem tem casos em tribunal ainda , neste caso. Porque para ir para tribunal temos que primero esgotar todos os recursos na federação. Foi o que agora o Cabreira fez. Nos os Restantes, e vou falar individualmente agora pois não tenho autorização dos meus restantes amigos, eu tou suspenso a 10 meses com uma carta a dizer ( suspenso até conclusão do Inquérito )!!! , eu só quero que me acusem ao menos de qualquer coisa, seja do que for, pois tenho a consciência tranquila, apesar de saber que nem sequer me vão deixar defender e vai logo chover criticas, insinuações, humilhações, etc. Mas não me importo pq também nesse dia vou poder começar a defender-me e punir quem me fez isto. Claro que deste jornal não espero outra coisa senão dizer mal e dar como culpado seja do que for ate o fim do processo, vejam lá que ja dizem isso e tirando o cabreira ainda ninguém foi formalmente punido, por ai ve-se logo A PARCIALIDADE destes jornalistas!!!!

  35. Eu estou do vosso lado, nunca quis que os corredores da ex-LA_MSS fossem suspensos, porque para mim voces sao dos melhores corredores portugueses, e quero que isto se resolva da melhor maneira..por mim isto nunca tinha acontecido…pk eu sei que voces tem familia e nao deve ter sido nada facil…. mas para alem do Joao Cabreira algum de voces tem algum caso em tribunal????

  36. Sr Pedro Santana a única coisa que pedimos aos adeptos do ciclismo, aos jornalistas e todos os outros que numa maneira geral estão a seguir este caso, é que não julguem, não crucifiquem, não maltratem , por muitas noticias que vão surgindo que põe em causa nós os corredores da ex LA MSS , até sermos julgados, até termos hipõtesse de recorrermos para o tribunal civil onde finalmente poderemos ter um tratamento imparcial ( onde sejamos claros recorrer para a própria federação não é imparcial ) ai sim no final se tudo o que dizem ficar completamente provado , finalmente têm razões para dizer mal e porem em causa tantas vitórias fruto do mesmo trabalho e dos mesmos métodos de treino do que qualquer outra equipa. Agora é revoltante quando vêmos maus jornalistas, que deviam defender e lutar por uma cada vez melhor democracia, julga , condena e faz de nós os bombos da festa! Eu deixo uma pergunta no ar, o sr Manuel Zeferino foi julgado por todos, nos os seis somos a face negra do ciclismo e agora pergunto e todos os outros que passaram pelas mãos do manuel zeferino, muitos deles ainda estão no activo, nas melhores equipas portuguesas( um deles na equipa do pai do jornalista do jornal de ciclismo , sr João Santos), eram todos dopados, ou esperem lá nos este ano e que fomos escolhidos a dedo para finalmente enganar o pelotão inteiro!!!! Não meus amigos ,nos treinamos , fomos profissionais, como qualquer outro companheiro de profissão e tinhamos um grande estratega por trás que ajudava muito ao sucesso, que já vem ao longo de muitos anos , não era só deste ano. Por isso eu só peço aos LEITORES que tenham calma porque no final de todo o processo e quando sair finalmente da competência da federação vamos poder provar que nem tudo o que se diz corresponde a verdade, ao sr jornalista continue o seu trabalho, compreendo que se não faz melhor é porque não sabe ou porque também interessa o apoio que a federação dá ao jornal o que também e perfeitamente compreensivel. Os meus cumprimentos

  37. Nao posso ficar quieto com esta situação!!!existe uma coisa que é liberdade de expressao e cada pessoa escreve o que quiser mesmo que em algumas situaçoes nao seja o mais adequado!! Esta luta é entre o Joao Cabreira e a justiça portuguesa(o que resta dela). No dia 3 de março qualquer coisa assim, foi escrita pelo Sr.José Carlos Gomes ” Com base neste princípio, não podemos permitir que o Jornal Ciclismo, através das suas caixas de comentários, se transforme numa plataforma branqueadora ao serviço de quem quer descredibilizar a luta contra a dopagem. Mesmo que a intenção não seja essa, muitos dos comentários que têm chegado em catadupa têm esse efeito prático.” Logo esta conversa é no minimo irrisoria. Depois o titulo da noticia “João Cabreira diz que vai correr…” é uma verdade e um titulo completamente parcial pois nesta altura nao havia nenhuma confirmação oficial de que ele ia correr na classica da primavera pelo menos de que eu tenha conhecimento. portanto o que algumas pessoas estam ai a fazer é apenas ter pretexto para mandar “bocas” ao sr. Jose Carlos Gomes(que fica aqui, ja claro que eu aprecio muito o sr.Jose Carlos Gomes, que construiu com a sua equipa este espectacular site de ciclismo). Ok, existem algumas coisas nesta noticia que estao mal e nao tem base para o seu fundamento, mas tambem nao e preciso por em causa o seu trabalho. Tenho uma pergunta a fazer como e que é possivel pôr em causa e insultar todo o trabalho deste senhor Jose Carlos Gomes dizendo e agora cito”
    Tenha um bom dia e aproveite o mesmo para fazer uma reflexão sobre as mer…que escreve!” e depois ter o descaramento de dizer ”

    nunca fui mal educada consigo! Se entende que a minha frase final é má educada, o Sr. tire as ilações que quiser” epá por favor..isto é uma vergonha. A ultima coisa que eu quero dizer é isto: boa sorte neste caso ao Joao Cabreira que e um dos grandes ciclistas portugueses da actualidade que foi apanhado num daqueles dominos que ao quererem amandar um abaixo vao todos os outros( por outras palavras existem pessoas sem emprego por causa disto) e Bruno Neves(nunca te esqueceremos…descansa em paz).

  38. voces (jornal de ciclismo) gostam é disto…devem-lhes dar um gozo imenso esta novela…
    mas toda a gente ja percebeu que voces sao jornalistas sensacionalistas ( o que ja passou de moda menos em portugal,continuamos a ser parolos..) basta ver a quantidade de artigos, entrevistas e links relacionados com o doping e as inumeras entrevistas ao cnad…. chega aqui algum ciclista jovem e tira um curso de como dopar-se…voces fazem questao de dizer o que se toma, voces gostam mesmo destes assuntos…… voces deviam era fazer jornalismo pa TVI (canal sensacionalista e parolo, onde uma couve com 3metros de altura é noticia…) e outra coisa, em relaçao as vossas opinioes e notas editoriais, voces sao jornalistas, limitem-se ao vosso trabalho pois nao interessa a ninguem a vossa opiniao…e o vosso trabalho é ouvir as duas partes, coisa que nunca fizeram em relaçao ao joao cabreira….. OUVIR AS DUAS PARTES

  39. resposta tipica da parte do Sr.José Carlos Gomes e demais companhia…sem nenhuma humildade e educação, e cheios de presunção “EU POSSO QUERO E MANDO, E TUDO O QUE EU DIGO OU MELHOR OPINO É O CERTO!!!! santa paciência…também não era de esperar outra coisa.

  40. A linha editorial claramente tendenciosa deste site já não é novidade. Não compreendo o motivo de tanta surpresa.

  41. Isto está cada vez mais interessante!!! Basta voltar a este tema e as reacções são sempre as mesmas. Mas também atrevo-me a deixar a minha humilde opinião.
    Este tema foi sempre “bem tratado” nas questões temporais!
    Na altura certa, no momento certo, lá se deixa sair uma noticia para mostrar que o assunto está vivo (e ainda bem que assim é).
    Não tendo eu qualquer interesse pessoal ou relação profissional com os visados (apenas conto com a amizade de alguns) continuo a dar-lhes o beneficio da dúvida.
    Coisa que os Órgãos da Comunicação em geral nunca o fizeram nem o fazem!
    Quem, desinteressadamente assiste por fora a esta “telenovela”, que é o meu caso, não pode deixar de no mínimo “ter a impressão” que há poderes e interesses instalados que estão a manipular todo este processo. A quem interessará manter este processo em curso?
    Em relação ao “Jornal Ciclismo”, permita-me, Sr. José Carlos Gomes, que lhe diga que na minha opinião pessoal este assunto não é nem nunca foi tratado de forma imparcial como compete ao Jornalismo.
    Isso mesmo depreende-se do que escrevi em 3 de Março p.p., em comentário ao artigo “Dopagem: Nota Editorial” (http://jornalciclismo.com/?p=3143#commenting).
    Mas continuo com a esperança que seja apenas e erradamente na minha opinião…

  42. A dr.ª Marina Albino pode discutir os assuntos que quiser na sede que entender melhor defender os seus interesses e os interesses daqueles que representa. Mas se quiser continuar a publicitar os seus serviços junto de potenciais clientes através dos seus comentários também está à vontade para continuar a fazê-lo. Pode ainda continuar com o seu discurso que faz acusações genéricas sem concretizar para gáudio daqueles que lhe pagam. Tem aqui um espaço onde tudo se discute livremente e onde pode dizer tudo o que quiser, desde que os alvos da sua fúria e dos seus insultos continuem a ser o Jornal Ciclismo e aqueles que o fazem ou apenas eu. Posso bem com esses ataques. Passe bem.

  43. Sr. José Carlos Gomes, nunca fui mal educada consigo! Se entende que a minha frase final é má educada, o Sr. tire as ilações que quiser. Na minha vida pauto-me por rigor, seriedade e estudo, muito estudo. A minha média final de curso não é elevada, a minha pretensão na vida não era seguir a vida académica, o meu grande objectivo era lutar pela Justiça! È o que faço em relação ao Sr. João Cabreira, como faço ao indigente, como faço ao Engenheiro ou Doutor.
    O que os meus 42 anos me permitem é já não ter paciência para ir assistindo ao que assisto muitas vezes na sua escrita.
    Os ditos “Flash – Back” que gosta tando de utilizar são geralmente assertivos de opiniões em que nunca o atleta fica bem na foto e o Sr. fica confortado no sentido que os apoios financeiros ao Jornal de Ciclismo não serão cortados por alguns patrocinadores.
    Todavia são interessantes os motivos que o levam a ter cometido o lapso sobre o artº 8 – as informações erradas que lhe dão, sem que tenha a preocupação de aferir a sua validade a a ausência de junto do visado saber a veracidade das mesmas. È que o Sr. toma a liberdade de compor os seus artigos sobre o meu cliente da forma que bem quer, nunca o questionando ou procurando saber directamente dele o que se passa e como tal, as premissas erradas que o Sr. me atribui não são verdade : eu não sou adepta de teorias sobre cabala ou camapnha negra. O meu trabalho fica plasmado nos recursos e trabalho que desempenho com os meus clientes e esse não precisa de qualquer publicidade ou argumento cabalistico ou negro. È sempre tudo muito claro e directo, sendo que o meu desabafo final também o é e assumo-o porque já chega de tantos lapsos e informações erradas. Mais uma vez bom dia sendo certo que a minha participação ficará por aqui e se algum incómodo tiver com os meus escritos serão por conta e no interesse dos meus clientes em sede de ERC ou Tribunais.

  44. É sempre agradável ler os escritos bem educados da dr.ª Marina Albino. Só é pena que a realidade não costume bater certo com algumas premissas que ela utiliza. Por exemplo, onde foi posta em causa a presunção de inocência do ciclista João Cabreira? Descrever a acusação de que ele é alvo, sem esquecer de dizer que são factos alegados pela acusação e ainda não dados como provados sem trânsito em julgado é não respeitar a presunção de inocência? Ou será que tudo o que não diga que há uma “campanha negra” ou uma “cabala” já é um texto parcial?
    Aproveito para agradecer os esclarecimentos sobre o artigo 8º. Vêm corrigir um lapso involuntário provocado por dois motivos: 1) uma informação errada que dava como certo o levantamento da suspensão ántes da Clássica de Vieira do Minho; 2) uma leitura errada do regulamento que corroborou a informação errada em que se baseava esse trecho da notícia.

  45. Ò senhor José Carlos Gomes, não será melhor aconselhar-se com um jurista antes de cometer os erros que comete? O mero facto de se interpor um recurso , não determina de imediato a suspensão. Tem que haver sempre uma apreciação do recurso, até porque a este pode interessar o efeito devolutivo, ou seja o corredor quer continuar a cumprir a pena de suspensão enquanto apreciam o seu pedido.
    Logo não é de imediato suspensivo e carece sempre de apreciação o pedido para o efeito pretendido pelo recorrente.
    No caso concreto do Sr. João Cabreira foi pedido em 16 de Março o efeito Suspensivo, o Conselho Jurisdicional deliberou em 2 de Abril atribuir o referido efeito por não encontrar motivos que não os fizessem deliberar em contrário e tal situação foi notificada ao atleta a 6 de Abril.
    Face a isto o Sr. José Carlos Gomes se pretendeu fazer um trabalho jornalistico, fê-lo de um modo errado e além do mais, nunca o faz respeitando a dignidade do ciclista em causa.
    Assim, de facto e porque o meu cliente está cansado das “estórias ” que este site gosta de contar, é melhor reflectir sobre o trabalho que está a fazer. O Senhor procura a verdade? Não! Sob a capa dos objectivos anti-dopagem do projecto editorial, vai aproveitando sempre que pode para destruir quer a presunção de inocência de quem ainda está a ser julgado, destruindo os corredores a quem nega o respeito e dignidade que merecem.
    Tenha um bom dia e aproveite o mesmo para fazer uma reflexão sobre as mer…que escreve!

  46. Errada leitura do artigo 8.º. Aiás, o mínimo conhecimento de Direito o desmente e, em caso de dúvidas, seria sempre bom tentar esclarece-las. Ates de dae uma “notícia”. Todo e qualquer recurco requer uma decisão. Como aconteceu agora. Daí o vosso erro ao anunciarem – prematuramete – que o ciclista já podia ter corrido aqui e ali. Falso. Enquanto o Cónselho Jurisdicional não decidiu, a suspensão imposta pelo Concelho de Disciplina vingava. Aliás isto é tã claro que nem percebo as dúvidas levantadas.

    Há um castigo. Este vigora até ser revogado pelo órgão compentente e hierarquicamente superior. Insisto, falta um nadinha de rigor neste site. O que é pena. (Ricardo Oliveira Martins)

  47. Tem razão o senhor Rogério Batista. Não é a data de entrega do recurso que conta, é aquela em que, após deliberação favorável, o Conselho Jurisdicional o comunica ao corredor.
    Um pouquinho de rigor, em vez de tendenciosos “flash-back”, só dariam a este site um pouco mais de credibilidade. (Ricardo Oliveira Martins)

  48. impressionante a maneira como é dada a noticia por este “jornal”!!!!!!! impressionante!!!asqueroso, “cabreira diz que vai correr…”, tentem ser mais imparciais em relação a este tipo de noticias, para ver se nós os leitores começamos a dar um bocadinho mais de credibilidade ao vosso trabalho…porque não perguntam, a ser verdade toda este gato e rato, quem vai pagar aos ciclistas que são meros Homens como os senhores que escrevem estas noticias, que precisam de ganhar a vida e estão simplesmente a ser impedidos de o fazer à mais de 10 meses? porque é que os senhores deste “jornal” nunca puseram em questão toda esta história que se arrasta desde o FATIDICO MAIO 2008, dando sempre como certas as noticias “do outro lado da questão” ? o trabalho dos verdadeiros jornalistas é procurar a verdade, mas para procurar a verdade tem que ser com muito empenho, e muita imparcialidade, coisa que nunca vi aqui neste “jornal”, nem em relação ao processo LA MSS, nem em relação à morte do meu GRANDE GRANDE IRMÃO BRUNO NEVES, tão grande como muitos nunca o poderam ser, mas isso dava um livro com muita páginas!!!!! Mentes brilhantes, como as deste jornal, já não acham estranho esta historia toda? andarem um supendo, o outro tira a suspensão…volta-se ao ataque e mais uma suspensão e mais uma anulação porque não existe nada de JEITO NESTE PROCESSO desde o inicio, VALHA-NOS DEUS!!!!!! só os muito pobres de espirito é que não vêem isso.

  49. O sr alem de ser totalmente parcial, tudo o que disse e falso,o joao cabreira so recebeu esta semana a decisao do conselho jurisdicional da federação sobre o efeito suspensivo do recurso, logo nunca poderia ter corrido antes como diz.

Os comentários estão fechados.