Já em 2017, Alentejo antes do Algarve ? Ideia antiga, mas será positiva para o ciclismo nacional ?

Joaquim Gomes, diretor técnico da Volta ao Alentejo, aventou hoje  ao siteTV Ciclismo , a possibilidade de antecipar a Volta ao Alentejo, de forma a enquadrar a prova antes da Volta ao Algarve, esperando, desta forma, ter de mão beijada, um pelotão semelhante ao da prova algarvia.

A ideia não é nova, pessoalmente já nos batemos por ela há mais de  uma boa dezena de anos, numa altura em que o nosso calendário tinha uma série de provas por etapas . Seria, na altura, uma possibilidade de podermos ter tido a possibilidade de potenciarmos os campos de concentração das equipas internacionais, no nosso país, tirando algum protagonismo ao que, em Espanha já se vai fazendo há muitas temporadas, impulsionando o turismo nacional, para daí tirarmos alguns dividendos,

Na altura,  ideia não agradou a quem de direito, mas agora, com o êxito da Volta ao Algarve, parece que tudo se encaminha para que o ciclismo possa ter mais uma prova de grande impacto, com equipas com assento na Liga dos Campeões a participar, com equipas da 3ª divisão.

Mas se a ideia na altura me era grata, na altura, agora vejo com alguma preocupação que, para se beneficiar o calendário internacional, se prejudica seriamente o calendário nacional, e o equilibrio da competição interna. Na verdade, com duas provas tão juntas, logo no início do ano, se a “Algarvia ” se disputa a meio de fevereiro, teriamos a “Alentajana,” na primera semana. Um acelerar de competição que não teria, depois , a continuidade tão necessária ao equilibro competitivo das equipas nacionais, criando-se um hiato no calendário de todo reprovável. Se já não há provas em abril, teríamos todo o mês de março sem provas, ou seja dois meses seguidos sem competições.

É que, se o atual calendário nacional, já é fraco, com esta antecipação iria ficar muito mais frágil, a não ser que seja promovida a realização de mais algumas provas, tarefa que a Podium bem poderá promover, em parceria com a FPC.

JS

4 comentários a “Já em 2017, Alentejo antes do Algarve ? Ideia antiga, mas será positiva para o ciclismo nacional ?”

  1. Queixam.se de mes de marco sem corridas
    Os ciclistas que eu saiba ganham de janeiro a outubro .qual a diferenca de estar sem corer em marco ou estar sem correr em janeiro ou fevereiro qiandp alguns correm a volta alguns circuitos em inicio de agosto e nao correm mais
    Meio ano sem competir e a ganhar
    Ganha.se pouco em portugal .mas la fora corre.se de janeiro a novembro
    Se se preparam para a volta alguns sem competir um mes para se prepararem podem fazer uma preparacao para estas datas de depois descansarem

  2. Espero que este esquema do Joaquim Gomes de querer colocar a Volta ao Alentejo antes da Volta ao Algarve não venha a prejudicar a nossa prova! Só querem saber do Algarve para vir para a praia e qualquer evento que tenha sucesso aqui é para arrasar pelos poderes instituídos em Lisboa e do Norte! Não tenho nada contra a Volta ao Alentejo e muito menos contra o Alentejo e os seus habitantes, mas parece-me que estão a usar essa prova para prejudicar a Volta ao Algarve, e com isso, talvez , forçar a nossa região a desinvestir na sua volta para, quem sabe, transferir esse investimento para a paupérrima e lastimável Volta a Portugal do Sr. Joaquim Gomes!

  3. O Connandele
    Em Março depois teriamos a realização do trofeu guadiana que e 2.2 e depois podiam voltar com a classica de loule e o costa vicentina ( estas todas em Março) e andas a dizer que não haveriam provas em Março.
    Em Abril não a provas Uci em Portugal porque as equipas portuguesas vão competir o mês quase todo em Espanha .

    Se a volta ao alentejo passar para antes da volta ao algrave qualquer coisa A federação arranja estas provas que já aqui referi ou umas novas. Nunca deixara de haver provas em Março .

  4. Eu acho a ideia positiva: assim as equipas portuguesas e as internacionais teriam já rodagem competitiva para a Volta ao Algarve.

    Assim todos começariam a época praticamente na mesma altura…

    O único ponto negativo é a ausencia de provas nos meses de Março e Abril. E porque nao nessa altura as equipas portuguesas atravessarem a fronteira e mostrar os bons ciclistas que cá temos?

    Boas pedaladas

Os comentários estão fechados.