Benfica na estrada em 2017 ? Tudo se conjuga nesse sentido

Depois do regresso do FC Porto e do Sporting, ambos assentes em estruturas desportivas já existentes, o SL e Benfica prepara cuidadosamente o seu regresso ao pelotão nacional, que deverá acontecer na próxima temporada, num projeto do clube, sem recurso a outras estruturas já existentes.

Procurando não perder espaços para os rivais, os dirigentes encarnados ainda tentaram este ano, a possibilidade de um regresso, algo extemporâne, que veio a terminar tão abruptamente, da mesma forma, aliás como se tinha iniciado.Que Luis Filipe Vieira tentou formar equipa esta temporada, foi verdade, mas o escasso tempo para a formação de uma equipa com os pergaminhos que o clube encarnado exige, foi factor decisivo para que suas intenções tenham sido adiadas por um ano. O projeto encarnado aponta, agora, para a formação de uma equipa profissional continental, aventando-se mesmo a hipótese de já existir existência de um sponsor de peso.

Com uma animação algo agitada, pelo menos em relação a anos anteriores, o ciclismo nacional parece caminhar no bom caminho, apesar da crise que ainda assola a nossa economia. Na atual conjuntura todos os agentes desportivos ficaram a lucrar: o público que vai aparecer na estrada em maior quantidade, os jornalistas que dedicarão mais espaço à modalidade, os ciclistas que têm à sua disposição a possibilidade de projetos mais sólidos, quando bem geridos, mas especialmente os organizadores de corridas terão sido os mais beneficiados. Na verdade, é grande a expetativa gerada em volta do ciclismo nacional com o regresso do Porto e Sporting, e a manutenção das restantes formações, para além de mais publico, a maior notoriedade que o ciclismo passará a ter, irá suscitar um maior interesse de potenciais patrocinadores, em especial na Volta a Portugal que, diga-se de passagem, luta com grandes dificuldades para conseguir os apoios necessários para a organização da prova. Com a diminuição da sponsorização da Libert Seguros, não tem sido fácil encontrar um novo patrocinador principal, e os encargos organizativos da Volta são enormes.