Queda nos País Basco provoca indignação no pelotão

A queda que resultou em graves ferimentos numa serie de ciclistas , na 1ª etapa do Tour do País Basco está a provocar a indignação de alguns responsáveis das equipas presentes na prova, e a mais retundante foi a de Yvon Ledanois, diretor da BMC que não poupou criticas à organização:

O que é que esperam estes organizadores ? Que acha mortos ? É alucinante assistir-se uma situação deste tipo. As barreiras foram retiradas, deixando mecos direcionais que não eram visíveis pelos ciclistas. Ora os ciclistas vinham de uma descida e rolavam a 80 kms/h, e há ciclistas no hospital. Devemos esperar por situações graves para que haja necessidade de existir uma regulamentação própria sobre esta matéria. Só se pensa no espetáculo. O meu ciclista, Peter Stetina está num estado lamentável. A sua perna triplicou de volume e está com toda a certeza fraturada. Os outros ciclistas estavam inertes. É revoltante.”

Uma grave falha da organização, e no vídeo que anexamos, na relato da etapa, bem demonstra.

Em Portugal, um caso semelhante acontece todos os anos, com algumas chegadas de etapa verdadeiramente impróprias, como o caso recente da chegada a Mértola, na Volta ao Alentejo, em que o organizador foi ao ponto de colocar uma ambulância, no local onde todos os anos há quedas.