Corridas do Mundo

Volta à Polónia
A corrida nacional da Polónia passou do 8 ao 80. O mesmo é dizer que saltou do amadorismo, imposto e acarinhado pelo regime político que ali vigorou durante décadas, para o profissionalismo absoluto de uma competição ProTour, sem dúvida coerente com o capitalismo selvagem que ali vai frutificando. A 64ª edição da Volta à Polónia, última corrida pontuável para o ProTour 2008, sai para a estrada de 14 a 20 se Setembro. Ao longo de sete etapas, normalmente muito competitivas, vai encontrar-se o sucessor da esperança belga Johan van Summeren. Prejudicada pela luta entre organizadores das grandes provas e a UCI, a Volta à Polónia foi usada como arma de arremesso, coincidindo parcialmente com a Vuelta. Com isso, deixa de ser opção para algumas das grandes estrelas da actualidade, embora possa ser usada por outros grandes nomes para a última afinação antes do Campeonato do Mundo, que se disputa na semana seguinte. Nos anos mais recentes, houve um português que se destacou na ronda polaca. Em 2004, Hugo Sabido, então ao serviço da Milaneza-MSS, venceu uma etapa e terminou a Volta na segunda posição, batido apenas pelo veterano checo Ondrej Sosenka.

Paris – Bruxelas
A “Clássica das duas capitais” é uma das mais antigas e prestigiadas corridas do Mundo. Nasceu, para amadores, em 1893, pela mão de dois jornalistas entusiastas do ciclismo, Licensky e Minart. À terceira edição, em 1907, passou a ser disputada por profissionais. Interrompido durante alguns períodos, por exemplo, durante das duas Grandes Guerras, o Paris – Bruxelas soma já 87 edições. A 88ª corre-se no próximo dia 13. Esta corrida de um dia está cotada como prova do escalão HC (Categoria Especial) do circuito Continental Europeu da UCI. O recordista de triunfos é um ciclista que pode ainda somar mais vitórias, uma vez que se mantém em actividade: o australiano Robbie McEwen, que já foi o melhor nesta clássica em quatro ocasiões.