Hot! Volta ao Algarve na estrada em 2013

A Volta ao Algarve sempre irá para a estrada, com menos um dia, segundo se confidencia, o que não é nada mau, atendendo às dificuldades económicas que o país atravessa. Com a Volta ao Algarve na estrada, não se sabe ainda se a PAD dará ou não uma ajuda à prova, espera-se agora pela Abertura, que tem nos anos anteriores partida marcada para a zona algarvia, e sediada em Loulé.

Pelas bandas de Lisboa, entretanto, já se deve ter começado a pensar na Volta a Portugal, numa altura em que a PAD já se emancipou da João Lagos Sport, pois , até ao momento, nada ainda foi feito para a Volta de 2013, que poderá perder mais um dos seus patrocinadores, a KIA, face à crise que grassa no setor automóvel.Mas, para além da Volta de 2013, Delmino e Gomes, antigos colegas, deverão discutir brevemente nova renovação de organização da Volta por mais um período de cinco ou sete anos.

Com um caderno de encargos extraordinariamente pesado, facto que já aludimos em vários artigos, a Volta a Portugal, só por si, na atual conjuntura não é motivo para grandes negociatas. A época é de crise, e o ciclismo terá de viver com orçamentos apertados, tal como a grande maioria das equipas foram obrigadas a fazer para 2013.

5 Comments

Comments are closed.

  1. Sr. Teixeira, se tem tanta massa cinzenta e faz tão bem a “Alentejana” porque nao partilha as suas ideias para o bem das das provas e modalidade… Ou isso não passara como e normal de apenas uma injecção de capital e para o ano em vez de reduzir um dia cancela-se como em anos anteriores, porque em relação à “Algarvia” todos os anos tem ido para a estrada assim como o “Prémio de Torres”… O que vejo ai da sua parte e apenas e só a mania da perseguição e critica sem fundamento a olhar para o plano pessoal.

  2. Continuo sempre perceber, ou melhor, percebo muito bem, as razões porque se escreve e se fala (TV Internet) tanto da redução de três dias e meio (porque começou ao final da tarde) para três dias do G.P. de Torres Vedras, da redução de cinco para quatro dias da Volta ao Algarve e não se escreve um linha sobre o aumento de quatro para cinco dias da Volta ao Alentejo.
    A omnipresente CRISE serve para “justificar” as reduções de dias e gastos das duas provas, mas, a mesma, a crise, não serve para enaltecer mais um dia de competição e gastos da “Alentejana”.
    Eu percebo que a anunciada morte da Volta ao Alentejo, cuja 27ª edição em 2009, custou a barbaridade de 323.792,55 euros (quase 65 mil contos), quando estavam orçamentados 305.000 euros, à última hora renascida, que completou os 30 anos com 30 vencedores diferentes, cause engulho a algumas pessoas.
    Quais as razões que levam a que uma prova com os melhores corredores e equipas do Mundo, não gera receitas para manter os cinco dias de corrida ?
    Quais as razões que levam a que uma que tem uma entidade com profissionais à sua frente não gera receita para mandar três dias e meio, já digo quatro, de corrida ?
    Quais as razões que levam que uma prova com uma mão cheia, repito, uma mão com cinco dedos, de pessoas a trabalhar consegue gerar receitas para passar de quatro para cinco dias de competição ?
    Não será que as respostas as estas questões não mereciam que a Volta ao Alentejo tivesse outro tipo de acompanhamento escrito e falado.
    Eu não compreendo, ou melhor, eu COMPREENDO muito bem, que a Volta a San Luís na Argentina tenha uma página de destaque. Pois é. Não há almoços grátis.
    Acreditem que gostava que a Volta ao Alentejo tivesse os mesmos corredores e equipas que a Volta ao Algarve, para provarmos, os tais da mão de cinco dedos, conseguiam manter os cinco dias de corrida e já dou de borla, as transmissões televisivas do ano passado. Porque senão é obrigatório perguntar: qual o retorno que essas transmissões tiveram para a prova ? Ao que parece a redução de um dia de competição, para mal dos Organizadores e sei que fazem um enorme esforço para manter a corrida na estrada, dos corredores e equipas lusitanas e dos seus patrocinadores e, em última análise do ciclismo português.
    Quanto à Volta a Portugal de 2013, sei que o Joaquim Gomes vai montar uma Grande corrida. Não é a saída da PAD da Lagos Sport que vai reduzir a capacidade do Quim em encontrar os parceiros certos.
    Teixeira Correia

  3. Ainda bem que a Volta ao Algarve vai para a estrada, assim sempre será possível ver ciclistas e ciclismo a sério em Portugal!

  4. Não sei se este ano a volta é transmitida pela Eurosport ou outra cadeia. De qualquer modo, no caso de ser transmitida, o que seria optimo, propunha à organizaçao uma etapa que não o contrarrelogio no domingo.
    È ao domingo que a maioria das pessoas vê televisão e este tipo de etapas não me parece muito interessante do ponto de vista da emoção.
    È apenas uma sugestão pois gostava que a volta ao Algarve se tornasse uma prova incontornàvel do calendàrio mundial…

  5. Numa época de crise em que o G.P. Torres passa de três dias e meio (ao fim da tarde) para três dias, a Volta ao Algarve reduz de cinco para quatro,curiosamente a Volta ao Alentejo aumenta de quatro para cinco dias.
    Ao contrário do que já li em grandes parangonas sobre Torres Vedras e o Algarve, não li nada sobvre o Alentejo. Eu sei que há quem esteja com grande “dor de
    barriga” por estas bandas porque: 1º- A Volta não acabou, 2º- A Volta continua com o estatuto de Internacional, 2º- A Volta tem e gera patrocinadores e 4º- A Volta passa a ter mais um dia.
    A questão é ????? SErá que em tempos de crise uns não conseguem patrocinios, outros vão desenrascando. Não será que faltará massa cinzenta em alguns sectores?
    Gostava de ter o mesmo plantel de luxo da Volta ao Algarve nas estradas do Alentejo para fazermos um verdadeiro termo de comparação.
    Já agora outra questão ???? Porque será que na TV da moda (internet) não se fala sobre a Volta ao Alentejo, será que haverá dinheiro para fazer a reportagem da Apresentação e Cobertura da “Alentejana” 2013 ?? A ver vamos como dizia o cego e cada vez via menos.
    Desculpem puxar “a brasa à minha sardinha”, mas se nós ALENTEJANOS não o fizermos quem o faz por a gente ?
    Volta a Portugal ? Acredito que o Joaquim Gomes vai montar uma boa corrida.
    Desejos de um Feliz Ano de 2013.
    Teixeira Correia