Uma seleção bem acompanhada

Agora que a Volta a Portugal está praticamente no fim,houve um pormenor que passou despercebido à maioria dos críticos em relação às equipas Continentais nacionais, pelo facto de não darem as devidas oportunidades a ciclistas do escalão sub-23.

A Federação Portuguesa de Ciclismo apresentou-se na Volta a Portugal com uma estrutura digna de uma grande equipa profissional, nove elementos no staff técnico ( dois diretores, três massagistas, um médico , assessor de imprensa e dois mecânicos). É obra, pelo menos fizeram ver à totalidade das equipas Continentais, bem mais preocupados com as suas finanças, face aos elevados gastos da presença da equipa numa competição como a Volta.

Contudo, um facto não passou em claro na composição da seleção nacional, com 33,3 % dos seus componentes com idades bem superiores aos sub-23 . Pelos vistos, não teremos tantos jovens como isso, para lançar no ciclismo nacional, a fazer fé pela composição nacional.

8 comentários a “Uma seleção bem acompanhada”

  1. Amigos, eu não referi que se devia ter mais um veiculo, mas de certo modo ele fará com certeza falta.
    E também não me parece que a comitiva seja grande. Nem grande nem pequena. Adequada é o termo mais certo.
    Quanto a comer e a dormir à grande, desconheço os locais de pernoita e sustentação. Alguém sabe?
    Mas o grande problema do ciclismo profissional em Portugal, não resulta daí.
    Resulta em primeiro lugar de sermos mais papistas do que o papa, em remos de regras, regulamentações e ética. Alguém pensa que no Kazaquistão se é mais romano que os de Roma? Claro que não, mas são uma potencia maior que Portugal…

  2. Ó manél,como é que tu queres ter dinheiro para as auto-caravanas ou motorhomes com esse staff todo a comer e a dormir a grande.lol

  3. Penso que o artigo aborda a questão de uma forma torta e o jornalista sabe-o bem.
    A Seleção Nacional leva um staff adequado e alinhado com aquilo que uma equipa profissional das que vieram à Volta leva em termos de staff e meios. Aliás em termos de veículos encontra-se completamente desatualizada com carrinhas velhas e sem uma motorhome ou pelo menos uma caravana. Foi notória também a falta de meios em termos de bicicletas, especificamente as bicicletas de Contra Relógio, mas também as bicicletas usadas eram as dos clubes representados.

    A questão mais grave do meu ponto de vista é a seleção dos ciclistas, uma vez que dado prioridade a ciclistas que já não são Sub 23, como é o caso do Micael Isidoro que tem 30 anos, e a seleção dos ciclistas não deve ser feita uma semana antes a da Volta. Deve existir um lote de pré-selecionados logo no início do ano, sendo alista final, com um ou dois de reserva, divulgada logo após o Campeonato Nacional. Eos ciclistas escolhidos têm que a partir daí seguir um treino específico com estágio e acompanhamento dos técnicos.

    Caso contrário o trabalho de promoção dos jovens ciclistas fica hipotecado e sem os resultados esperados – ajudá-los na colocação das equipas profissionais nos anos seguintes.

  4. Como é possivel,tinham 9 atletas e 9 acompanhantes(1 por atleta)isto sem falar nos dias em que tiveram mais alguns elementos….
    Mas não há problema a liberty paga….por enquanto.

Os comentários estão fechados.