Em união geral ciclistas contra regra dos 28 anos

Será que aos 28 anos de idade um ciclista já não tem condições para permanecer no ciclismo profissional nacional ?

Esta a grande questão que hoje foi colocada pela Associação de Ciclistas profissionais, numa conferência de Imprensa em Celorico da Beira, que reuniu na mesa de honra , Joaquim Andrade, actual presidente da Associação, Rui Sousa, Filipe Cardoso, José Mendes, João Cabreira, Nelson Vitorino e Ricardo Mestre.

Todos eles com mais de 28 anos de idade, e abrangidos por um legislação da UCi, que obriga que as equipas Continentais observem na sua formação uma maioria de ciclistas com menos de 28 anos de idade, ou mesmo com 27 completados no ano de inscrição de uma equipa.

Atendendo ao atual estado do ciclismo nacional e às elevadas dificuldades económicas que o país atravessa , que condiciona a angariação de novos patrocinadores , as equipas reduzem ao máximo os seus efectivos. Assim, uma equipa com dez ciclistas terá de possuir pelo menos 6 ciclistas com menos de 28 anos, o que pode ocasionar o abandono compulsivo de atletas na plenitude das suas faculdades físicas.

Mostrando a sua preocupação futura, os ciclistas presentes na conferência de imprensa manifestaram o seu receio, e o constante sobressalto em que vivem actualmente.

“ No nosso país não temos grande futuro. Nas equipas Continentais aos 28 anos , podemos de um ano para o outro ser obrigados a deixar de correr, e o problema é que também não podemos correr como amadores, pois aos 30 anos somos impedidos de correr por uma equipa amadora, sendo obrigados a correr em veteranos. Em Espanha, por exemplo, o Moises Duenas teve a possibilidade de baixar a amador, apesar de ter mais de 30 anos. Teve a oportunidade para dar nas vistas e este ano voltou ao profissionalismo”.,
disse João Cabreira.

Estão pois os ciclistas portugueses numa encruzilhada sem saída. Por um lado são considerados profissionais, por outro são discriminados em relação á idade, que os impede de exercer a sua profissão, e o que é mais grave, na plenitude das suas capacidades físicas e, nem mesmo como amadores podem exercer uam atividade desportiva para a qual dedicaram uma vida.

Num extenso e bem elaborado comunicado, a Associação de Ciclistas expôs o problema, esperando, agora que a Federação Portuguesa de Ciclismo desenvolva as suas influências, no próxima Congresso da UCI, marcado para final de agosto.

REGRA DOS 28 ANOS NAS EQUIPAS CONTINENTAIS
O regulamento das equipas continentais diz o seguinte:
Art. 2.17.005 A maioria dos corredores deve ter idade inferior a 28 anos (idade a considerar no ano de registo da equipa continental).

É proibida a inscrição de corredores Sub23 de 1º ano na equipa continental.( Só em Portugal).

Actualmente existem apenas equipas Continentais UCI em Portugal, isto acontece somente por questões financeiras, já que como quase diariamente demonstram os nossos 11 Ciclistas a competir em equipas internacionais, matéria prima não nos faltaria para termos equipas de outros escalões. A comprovar temos o facto de na ultima classificação do UCI WorldTour Ranking (de 22/07/2012) Portugal estar classificado no 10º lugar e termos 2 Ciclistas portugueses nos 50 primeiros: 13º Rui Costa e 41º Tiago Machado.

O regulamento das equipas continentais obriga a que as equipas sejam constituidas na sua maioria por ciclistas com menos de 28 anos. O motivo principal da criação desta regra foi que na origem do ProTour (actual WorldTour) uma das obrigações das equipas desse escalão seria a criação de equipas Continentais que serviriam de rampa de lançamento de jovens ciclistas. A realidade é que apesar de algumas delas terem hoje essas equipas, esta abertura serviu para que paises com menos capacidade financeira passassem a encontrar neste escalão uma possibilidade de fazer equipas profissionais com custos significativamente mais reduzidos.

No ciclismo, modalidade onde endurance e resistência são factores determinantes para alcançar o êxito, normalmente os melhores anos de rendimento de um ciclista, surgem com idades não muito habituais noutras modalidades.

Como exemplos mais recentes temos as vitórias de:
– Bradley Wiggins recente vencedor do Tour de France e que com 32 anos alcança a sua primeira vitória numa grande Volta.
– Ryder Hesjedal que faz 32 anos em Dezembro, ganhou o Giro d’Italia deste ano, também a sua primeira vitória numa grande Volta.
– Ricardo Mestre que vence a Volta a Portugal no ano que fazia 28 anos.

O que acontece é que atendendo á realidade actual do nosso ciclismo, entendemos que esta regra se encontra desajustada, tornando-se injusta e impedindo o direito de alguns ciclistas exercerem a sua profissão, impedimento este baseado num critério de discriminação de idades.

No passado quando existiam muitas equipas profissionais em Portugal o problema era menor, ainda assim e com o objectivo de contornar esta regra, foram várias vezes inscritos ciclistas fictícios que nunca chegavam sequer a correr uma unica prova e outros que apesar de serem na realidade ciclistas, poucas vezes corriam, já que a sua escolha foi meramente feita com fins estatísticos (este caso ainda continua a acontecer).

Mas actualmente só existem 4 equipas Continentais em Portugal, os lugares disponíveis são menos e com o clima de austeridade que se vive no pais e em particular na nossa modalidade a solução mais fácil é dispensar os ciclistas em excesso. Corre-se assim o grave risco de ver homens que dedicaram uma parte importante das suas vidas ao Ciclismo, terem que abandonar a práctica profissional da modalidade quando completam 28 anos, sem terem a possibilidade que tiveram Wiggins, Hesjedal, Mestre, tantos outros e até…de um certo Venceslau Fernandes que inscreveu o seu nome na história do ciclismo aos 39 anos!

Abaixo uma breve análise da situação actual e algumas considerações futuras:

REGRA DOS 28 ANOS NAS EQUIPAS CONTINENTAIS
– Em 2012, em Portugal nas 4 equipas continentais existentes, correm 44 Ciclistas, desses 20
Ciclistas têm 28 anos ou mais e 24 têm menos de 28 anos.

ACTUAL PELOTÃO PORTUGUÊS – 2012
Menos de 28 anos em 2012 – 24 ciclistas . Mais de 27 anos em 2012 – 20 ciclistas.
– Mantendo-se o mesmo pelotão em 2013 seriam: 27 Ciclistas com mais de 27 anos e 17 com
menos de 28 anos.

ACTUAL PELOTÃO PORTUGUÊS EM 2013
Menos de 28 anos em 2013 – 17 ciclistas . Mais de 27 anos em 2013 – 27 ciclistas.
– Sendo assim:
– Para o ano de 2013 passam a fazer parte da lista dos ciclistas com mais de 27 anos os
ciclistas nascidos em 1985.

– Passam portanto a haver mais 7 Ciclistas com mais de 27 anos:
Carmim/Prio/Tavira:
– Samuel Caldeira
Efapel/Glassdrive:
– António Amorim
LA/Antarte:
– José Mendes
– Edgar Pinto
– Bruno Sancho
Onda/Boavista:
– Bruno Lima
– Daniel Silva

EQUIPAS CONTINENTAIS PORTUGUESAS 2012
CARMIM – PRIO – TAVIRA
EFAPEL – GLASSDRIVE
ONDA – BOAVISTA
LA/ANTARTE

TOTAL: 44 CICLISTAS
Portugal: 37
Espanha: 6
Reino Unido: 1

CICLISTAS PROFISSIONAIS PORTUGUESES NOS DIVERSOS ESCALÕES
Fazendo uma análise somente aos ciclistas de nacionalidade portuguesa, verifica-se que:
Em 2012 estão inscritos 48 ciclistas profissionais Portugueses nos diversos escalões: Continental,
Continental Profissional e World Tour.

Desses 48 ciclistas há 11 que correm em equipas Estrangeiras.

Para 2013 desses 48 ciclistas 29 terão mais de 27 anos.

48 CICLISTAS PROFISSIONAIS PORTUGUESES
Escalão Menos de 28 anos em 2013 28 anos ou mais em 2013
Continentais : 17- 23
Continental Profissional :3
World Tour : 2- 3
Total Categorias : 19 – 29.

CICLISTAS PORTUGUESES COM MAIS DE 27 ANOS EM 2013
– André Cardoso – Caja Rural (Continental Profissional – Espanha)
– António Amorim – Efapel/Glassdrive
– Bruno Lima – Onda/Boavista
– Bruno Pires – Saxo Bank (World Tour – Dinamarca)
– Bruno Sancho – LA/Antarte
– Bruno Saraiva – Differdange Team (Luxemburgo)
– Célio Sousa – Onda/Boavista
– Daniel Silva – Onda/Boavista
– David Livramento – Carmim/Prio/Tavira
– Edgar Pinto – LA/Antarte
– Filipe Cardoso – Efapel/Glassdrive
– Helder Oliveira – Onda/Boavista
– Hernani Broco – Caja Rural (Continental Profissional – Espanha)
– Hugo Sabido – LA/Antarte
– Hugo Sancho – LA/Antarte
– João Cabreira – Onda/Boavista
– José Mendes – LA/Antarte
– Luis Silva – Carmim/Prio/Tavira
– Manuel Cardoso – Caja Rural (Continental Profissional – Espanha)
– Nelson Vitorino – Carmim/Prio/Tavira
– Nuno Ribeiro – Efapel/Glassdrive
– Ricardo Mestre – Carmim/Prio/Tavira
– Rui Sousa – Efapel/Glassdrive
– Samuel Caldeira – Carmim/Prio/Tavira
– Sérgio Paulinho – Saxo Bank (World Tour – Dinamarca)
– Sérgio Ribeiro – Efapel/Glassdrive
– Sérgio Sousa – Efapel/Glassdrive
– Tiago Machado – RadioShack-Nissan (World Tour – Luxemburgo)
– Vergilio Santos – LA/Antarte

TOP 15 TOUR de FRANCE 2012
1º Bradley Wiggins 1980 (GBR)
2º Christopher Froome 1985 (GBR)
3º Vincenzo Nibali 1984 (ITA)
4º Jurgen Van Den Broeck 1983 (BEL)
5º Tejay Van Garderen 1988 (USA)
6º Haimar Zubeldia 1977 (ESP)
7º Cadel Evans 1977 (AUS)
8º Pierre Rolland 1986 (FRA)
9º Janez Brajkovic 1983(SLO)
10º Thibaut Pinot 1990 (FRA)
11º Andréas Klöden 1975 (GER)
12º Nicolas Roche 1984 (IRL)
13º Christopher Horner 1971 (USA)
14º Chris Anker Sorensen 1984 (DEN)
15º Denis Menchov 1978 (RUS)
– Apenas 4 Ciclistas têm actualmente menos de 28 anos, e somente 3 em 2013!

TOP 15 VOLTA PORTUGAL 2011
1º Ricardo Mestre 1983 (POR)
2º André Cardoso 1984 (POR)
3º Rui Sousa 1976 (POR)
4º Nelson Vitorino 1975 (POR)
5º Hernani Brôco 1981 (POR)
6º Sérgio Ribeiro 1980 (POR)
7º Vergilio Santos 1976 (POR)
8º Sérgio Sousa 1983 (POR)
9º João Cabreira 1982 (POR)
10º Daniel Silva 1985 (POR)
11º Delio Fernandez 1986 (ESP)
12º Ricardo Vilela 1987 (POR)
13º Alessandro Bisolti 1985 (ITA)
14º Sergey Firsanov 1982 (RUS)
15º Bravo Garikoitz 1989 (ESP)
– Apenas 5 Ciclistas têm actualmente menos de 28 anos, e somente 3 em 2013!

– Dos 30 ciclistas que fizeram o Top 15 da Volta a Portugal 2011 e da Volta a França 2012
apenas 6 terão menos de 28 anos em 2013

8 thoughts on “Em união geral ciclistas contra regra dos 28 anos”

  1. ò senhor diretor, outra vez censura no Jornal de Ciclismo. Não me diga que não gostam, de ouvir as verdades…

  2. Caro Pack Não concordo consigo.
    Penso que esta regra é completamente descabida. Mas de qualquer modo os principais responsáveis pela atual situação do ciclismo profissional em Portugal são os diretores desportivos das equipas continentais.

  3. O grande objetivo das formações Continentais é lançar jovens no profissionalismo e na minha opinião esse será o caminho.

    De que nos vale a nós ser 10º classificados no ranking da UCI e depois nos sub23 nem 1 elemento vamos poder levar aos campeonatos do mundo por falta de pontos? Vai ser a apostar em ciclistas com mais de 28 anos que vamos inverter esta tendência?

    Este artigo é como perguntar aos benfiquistas, se o Benfica é o melhor clube do mundo… perguntem aos sub23, que desejam uma oportunidade no ciclismo, se estão de acordo com a regra dos 28 anos e irão ter as respostas contrárias.

    Apostem nos jovens!!

  4. Sabe-se bem de quem depende a mudança desta regra no regulamento, nomeadamente para Portugal. Pessoa influente nos meandros da UCI, no intervalo de uma “comezaina”, resolve bem esta questão.

  5. Antonio Dirceu de Oliveira Ribeiro
    Brasileiro neto de portugueses e fã do ciclismo da terrinha.
    O saudoso Joaquim Agostinho desta forma jamais teria oportunidade de brilhar ????

Os comentários estão fechados.