Malhão: Contador atacou, Colom ganhou

 

 

Antonio Colom sucedeu a João Cabreira, último vencedor no alto do Malhão
Antonio Colom sucedeu a João Cabreira, último vencedor no alto do Malhão

Ao terceiro dia de competição em 2009, o espanhol Alberto Contador superou com distinção o meridiano dos corredores que se apresentam na Volta ao Algarve para ganhar ou, na maioria dos casos, para “rodar”, revelando um ambicioso plano que, inclusive, o levou a pegar na bicicleta de contra-relógio, findo o esforço da terceira etapa, e seguir para treinar na estrada nacional, acompanhado pelo carro de apoio da equipa.

 

No mundo à parte do corredor madrileno, o ciclismo na corrida propriamente dita foi executado com mestria pelo maiorquino Antonio Colom, da Team Katusha, vencedor da terceira etapa da prova, cumpridos 175 quilómetros desde Vila Real de Santo António até ao alto do Malhão.

Colom, 30 anos, já vencedor este ano do Challenge de Maiorca e do Trofeo Inca, uma das etapas do Challenge, não atacou, mas respondeu à ofensiva de Alberto Contador nos últimos 800 metros de corrida, para suplantar o amigo e ex-colega de equipa na Astana.

“Respondi a Contador porque me sentia bem. E só isso. Quero disfrutar esta liderança e não me preocupar com amanhã”, revelou Colom que sucedeu ao compatriota Koldo Fernandez (Euskaltel) no topo da classificação geral.

No terceiro posto, a seis segundos, margem sem grande valor perante as dificuldade do contra-relógio de amanhã, concluiu Rubén Plaza (Liberty Seguros), antecipando-se ao melhor português do dia, Bruno Pires (Barbot-Siper), quarto classificado e que, ultrapassou, já nos últimos 200 metros, Tiago Machado (Madeinox-Boavista), quinto e, agora, melhor jovem da prova. 

A subida foi marcada pela forte aceleração da Astana – equipa que assumiu o comando da corrida durante toda a etapa – que colocou Andreas Klöden como primeiro atacante. O esticar da corda, num jogo de elástico que permitiu o ataque a diversos corredores, acabou por permitir a Alberto Contador, já no último quilómetro, a arrancada decisiva, silenciando os ânimos da concorrência à excepção de Colom.

Antes da ascensão, os protagonistas foram seis estrangeiros – Sébastien Rosseler (Quick Step), Philippe Gilbert (Silence-Lotto), Iñaki Isasi Euskaltel-Euskadi), Sébastien Chavanel (Française des Jeux), Mauro Santambrogio (Lampre-NGC) e Wouter Mol (Vacansoleil) – que percorreram o sobe-e-desce do interior algarvio na dianteira desde o quilómetros 22. A ofensiva durou até o último homem, o belga Philippe Gilbert, por sinal o mais cotado da escapada, deixar-se cair à perseguição da Astana: faltavam apenas 25 quilómetros e a preocupação de uma boa colocação entre os favoritos no início da subida poucas mais liberdades permitiu a eventuais atacantes.

CLASSIFICAÇÃO
3ª etapa: VR Santo – Antonio – Malhão, 175 km

1º Antonio Colom (Katusha), 4h35m42s (Média: 38,085 km/h)
2º Alberto Contador (Astana), mt
3º Rubén Plaza (LIberty Seguros), a 6s
4º Bruno Pires (Barbot-Siper), a 10s
5º Tiago Machado (Madeinox-Boavista), a 12s
6º Simon Gerrans (Cervélo Teste Team), a 17s
7º David Blanco (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), mt
8º Nelson Vitorino (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), mt
9º Damiano Cuneo (Lampre-NGC), mt
10º Sergey Lagutin (Vacansoleil), a 22s

Geral Individual

1º Antonio Colom (Katusha), 14h04m09s
2º Alberto Contador (Astana), a 4s
3º Rubén Plaza (Liberty Seguros), a 12s
4º Bruno Pires (Barbot-Siper), a 20s
5º Tiago Machado (Madeinox-Boavista), a 22s
6º Nelson Vitorino (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), a 27s^
7º Simon Gerrans (Cervélo Teste Team), a 17s
8º David Blanco (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), mt
9º Damiano Cuneo (Lampre-NGC), mt
10º Sergey Lagutin (Vacansoleil), a 32s

1 comentário a “Malhão: Contador atacou, Colom ganhou”

Os comentários estão fechados.