Dunquerque: Vale a pena ver Stybar a ganhar

Do ciclocrosse para o empedrado: tudo rima com Stybar

A forma clara, possante, numa autêntica capacidade de força, partindo pela frente dos adversários, o pior que se pode fazer, com que Zdenek Stybar (Omega Pharma) venceu a penúltima etapa dos 4 Dias de Dunquerque, demonstrou que o checo, para além de um excelente ciclocrossista é um grande ciclista de estrada.

Já são muitos os atletas oriundos do BTT, dos quais o mais famoso é, sem duvida, Cadel Evans, que têm conseguido grandes performances na variante de estrada, sinal evidente de que as várias vertentes do ciclismo podem decididamente contribuir para uma mais facetada preparação dos atletas, apesar da especialização de cada um, essencial, no atual momento, face ao aperfeiçoamento do treino desportivo, cada vez mais exigente , seletivo e intenso.

Os 4 Dias de Dunquerque é uma prova que alia os pavês do norte de França, aos fortes ventos que sopram de Inglaterra. Competição difícil, que tem perdido alguma preponderância mediática, dada a colocação da sua data, em total menoridade face ao Giro, que corre nas mesmas datas, os 4 Dias de Dunquerque atrai a atenção dos ciclistas belgas, normalmente possantes do ponto de vista muscular, o que lhes permite passar os empedrados com mais facilidade e superar as constantes ” bordures”, com a utilização de grandes desmultiplicações.

São poucas as equipas de grande notoriedade, mas serão talvez nestas provas, tal como cá em Portugal, que a luta é mais intensa. Em cerca de 30 minutos, o vídeo da penúltima etapa, ganha por Stybar, perante grande oposição de Voeckler, e o tenaz sofrimento de Engoulvent (Saur) para conservar a camisola rosa é um bom momento de ciclismo que vale a pena apreciar .

1 comentário a “Dunquerque: Vale a pena ver Stybar a ganhar”

  1. Parabens pela mudança de visual!

    Vai ser dificil habituar-me depois de tanto tempo.

    Acho o fundo um bocado pesado! De resto parece estar interessante.

Os comentários estão fechados.