MUNDIAIS: Austrália começou a ganhar.

O ciclismo australiano vai de vento em popa, êxito atrás de êxito, consolida a sua posição como uma das melhores potências do ciclismo mundial, algo impensável, por exemplo, e já não vamos muito longe, há dez anos atrás.

Longe vão os tempos em que, episodicamente, surgia um ciclista que, normalmente estagiava na equipa amadora da ACBB ( equipa já extinta), para dar o salto para o profissionalismo, como Phil Andersen.

Depois do triunfo de Cadel Evans, no Tour, a Austrália uma verdadeira potência em áreas puramente técnicas e musculosas, como o ciclismo de pista, extravasou para o exterior, o trabalho de anos que, meticulosamente e de forma científica preparou.

Os seus ciclistas durante os últimos anos emigravam para a Europa em busca da aventura, aprendendo em qualquer equipa europeia. Tinham a ambição , que tanto caracteriza os grandes campeões. Vinham à procura de aprenderem e, mais tarde de ganharem dinheiro.

Em Portugal, conhecemos um desses casos, um pouco excêntricos para o nosso ciclismo, como foi o caso de Ben Day, com novos métodos e, sobretudo de outras mentalidades.

Queria conhecer o mundo e pedalar ao mesmo tempo. Nunca atingiu grande notoriedade, mas era, já na altura um excelente especialista na área do C/RI.

Os melhores sprinter e roladores mundiais estão na Austrália, e o resultado foi visível hoje,nos Mundiais da Dinamarca, com o triunfo de Luke Durbridge, no C/RI do escalão de sub-23, e não fosse a queda de Michael Hepburn, os dois primeiros lugares vinham pintados de verde e amarelo.

Foi um resultado em grande escala, que coloca a velha Europa, outrora dominadora em maus lençói .Nos dez primeiros, apenas dois holandeses ( foram sempre bons roladores), um espanhol e um francês. O ciclismo está a mudar.

Dos portugueses, uma prestação não muito conseguida, em especial por parte de Fábio Silvestre, de quem se esperava um pouco mais. O ciclista de Torres Vedras prometeu muito, depois daquela Volta ao Alentejo em 2010, mas faltou a confirmação e … muita falta de trabalho.

José Gonçalves, 45º foi o melhor dos dois portugueses, mas a 4 minutos do vencedor. Esperemos pela variante de estrada, onde se espera as coisas mudem para melhor.
CLASSIFICAÇÕES:
1 DURBRIDGE Luke AUS19910409 AUS 42:47,13 42:47,13
2 QUAADE Rasmus Christian DEN19900107 DEN 43:22,81 00:35,68
3 HEPBURN Michael AUS19910817 AUS 43:33,60 00:46,47
4 VOROBYEV Anton RUS19901012 RUS 43:46,12 00:58,99
5 HAMELINK Jasper NED19900112 NED 44:40,07 01:52,94
6 CHRISTIE Jason NZL19901222 NZL 44:47,61 02:00,48
7 MAS BONET Luis ESP19891015 ESP 44:51,31 02:04,18
8 DUMOULIN Tom NED19901111 NED 44:51,88 02:04,75
9 HOWSON Damien AUS19920813 AUS 44:53,09 02:05,96
10 MOLARD Rudy FRA19890917 FRA 44:56,80 02:09,67
11 NOVAK Jakub CZE19901230 CZE 45:00,25 02:13,12
12 BRANDLE Matthias AUT19891207 AUT 45:01,68 02:14,55
13 PAILLOT Yoann FRA19910528 FRA 45:02,45 02:09,67
14 HOFER Andreas AUT19910208 AUT 45:04,43 02:17,30
15 ERSHOV Artur RUS19900307 RUS 45:13,83 02:26,70
16 JUNGELS Bob LUX19920922 LUX 45:16,08 02:28,95
17 SÜTTERLIN Jasha GER19921104 GER 45:19,33 02:32,20
18 MEINTJES Louis RSA19920221 RSA 45:20,65 02:33,52
19 LE BON Johan FRA19901003 FRA 45:29,87 02:42,74
20 CHAVANNE Gabriel SUI19920120 SUI 45:29,95 02:42,82
21 MAMMINI Matteo ITA19891008 ITA 45:30,00 02:42,87
22 FOMINYKH Daniil KAZ19910828 KAZ 45:33,07 02:45,94
23 KOCH Michel GER19911015 GER 45:37,14 02:50,01
24 DE JONGHE Kevin BEL19911204 BEL 45:38,94 02:51,81
25 DOWNEY Sean Patrick IRL19900710 IRL 45:39,21 02:52,08
26 HOULE Hugo CAN19900927 CAN 45:41,24 02:54,11
27 VALGREEN ANDERSEN Michael DEN19920207 DEN 45:41,71 02:54,58
28 STIMULAK Klemen SLO19900720 SLO 45:44,17 02:57,04
29 CHRISTIAN Mark GBR19901120 GBR 45:46,64 02:59,51
30 LAENGEN Vegard Stake NOR19890207 NOR 45:46,64 02:59,51
31 BRAYAN STIVEN Ramirez Chacon COL19921120 COL 45:47,75 03:00,62
32 LUDVIGSSON Tobias SWE19910222 SWE 45:53,82 03:06,69
33 VAN OVERBERGHE Arthur BEL19900207 BEL 46:03,23 03:16,10
34 JONES Carter USA19890227 USA 46:10,34 03:23,21
35 GOMEZ Yelko PAN19890309 PAN 46:10,46 03:23,33
36 POLANC Jan SLO19920506 SLO 46:17,30 03:30,17
37 FLAKSIS Andzs LAT19910318 LAT 46:19,50 03:32,37
38 DILLIER Silvan SUI19900803 SUI 46:22,62 03:35,49
39 SAUGSTAD Stian NOR19910324 NOR 46:26,66 03:39,53
40 SAKELLARIDIS MANGOURAS Neofytos GRE19890131 GRE 46:38,49 03:51,36
41 COLEDAN Massimo ITA19900817 ITA 46:38,89 03:51,76
42 WILSON Edvin SWE19890425 SWE 46:38,96 03:51,83
43 TOPCHANYUK Artem UKR19890127 UKR 46:52,11 04:04,98
44 GRADEK Kamil POL19900917 POL 46:52,17 04:05,04
45 GONÇALVES José POR19890213 POR 47:00,17 04:13,04
46 FEJES Gabor HUN19890525 HUN 47:00,58 04:13,45
47 QUINTANA ROJAS Nairo Alexander COL19900204 COL 47:05,26 04:18,13
48 VOSEKALNS Andris LAT19920626 LAT 47:07,63 04:20,50
49 SILVESTRE Fabio POR19900125 POR 47:17,83 04:30,70
50 CRADDOCK Lawson USA19920220 USA 47:18,23 04:36,09
51 VAN ZYL Johann RSA19910202 RSA 47:18,63 04:31,50
52 ENGLISH Felix IRL19921011 IRL 47:23,22 04:36,09
53 NOVIKAU Siarhei BLR19891107 BLR 47:23,56 04:36,43
54 JANNAT Hamed IRI19891102 IRI 47:24,16 04:37,03
55 CARRETERO Ramon PAN19901126 PAN 47:29,01 04:41,88
56 FILIN Ievgen UKR19901106 UKR 47:31,58 04:44,45
57 EUGERT Zhupa ALB19900404 ALB 48:02,26 05:15,13
58 JANSE VAN RENSBURG Reinardt RSA19890203 RSA 48:02,66 05:15,53
59 SEFA Ylber ALB 19911102 ALB 48:14,89 05:27,76
60 GONZALEZ SALAS Mario ESP19920606 ESP 48:19,74 05:32,61
61 WIGHT Stuart CAN19920415 CAN 48:42,68 05:55,55
62 SCHWABIK Johann SVK19920725 SVK 49:34,22 06:47,09
63 OKUBAMARIAM ISSAK Tesfom ERI19910228 ERI 50:26,46 07:39,33
64 KOUDELA Tomáš CZE19920401 CZE 50:37,25 07:50,12
65 KRASILNIKAU Andrei BLR19890425 BLR 51:15,50 08:28,37

One thought on “MUNDIAIS: Austrália começou a ganhar.”

  1. Esperava melhor dos dois, mas acho que o José era a principal aposta visto ser o campeão nacional de contra relógio sub-23. Só espero é que um dia mau não acabe com a carreira deste dois excelentes ciclistas, pois tem sido muito dificil a passagem de sub-23 para professional.

Os comentários estão fechados.