Opinião: Contador no Tour?

Contador poderá correr o Tour este ano, se a organização da prova não vetar a sua presença, devido ao facto dos advogados do ciclista espanhol terem solicitado o adiamento da sessão prevista para Junho, de forma a melhor fundamentarem, as suas alegações.

O TAS deverá dar a conhecer na próxima segunda feira as novas datas previstas para a audiência. Recorde-se que Contador foi alvo de um processo interposto pela UCI e pela AMA, resultante da ilibação de culpas,face ao inquérito elaborado pela Federação espanhola de Ciclismo.

Comentário:

Alberto Contador acusou num controlo uma pequena percentagem de um produto proibido, Clembuterol, cuja utilização suscita duvidas se a quantidade que apareceu no organismo do ciclista se ficou a dever à ingestão do produto, com fins dopantes, ou se pelo contrário, se terá ficado a dever à ingestão de carne contaminada com esta substancia, utilizada em rações.
Nestes casos, a justiça desportiva tem um comportamento usualmente diferente do comum tribunal, onde é tida em linha de conta a presunção de inocência do arguido.

Nua e crua, a justiça desportiva normalmente condena sem ter em linha de conta outros pressupostos. Em casos anteriores similares ao de Contador, vários atletas foram ilibados, tendo sido levado em conta a origem da carne, dado que na América do Sul este produto pode ser administrado nas rações dos animais, não estando proibido, e podendo ser detectado no organismo humano, em caso de ingestão destes produtos.
Segundo dados tornados públicos, a quantidade detectada de Clembuterol, na análise de Contador é de tal forma ínfima, que muito dificilmente, poderá ser associada à ministração do produto isoladamente, para fins dopantes.

Segundo, também, dados tornados públicos apenas um laboratório poderia ter detetado a quantidade em causa, dado que a grande maioria não estará habilitado para tal, o que torna ainda mais confusa a situação .
A ajudar a este rosário, aparece um parecer de um técnico insinuando que terão aparecido resíduos plásticos que, eventualmente poderão ser indicativos de ter sido efectuada alguma transfusão sanguínea.
Sobre este ponto, terá de se ter em linha de conta, que este método de deteção não está provado cientificamente, não devendo sequer ter sido posta em circulação esta informação, o que confere uma segunda intenção, numa tentativa de incriminação que não é fundamentada em prova válida.

Repara-se em todo este dossiê uma procura de incriminação, que a concretizar-se provocará duas grandes consequências:

Primeira, o descrédito da modalidade e do seu principal ciclista do momento e o segundo, uma mediatização do problema com resultados positivos para as entidades que analisaram a amostra..
O descrédito para a modalidade poderá ter consequências verdadeiramente diabólicas, no caso de Contador ser condenado; será a sua imediata desclassificação do Giro e do Tour, caso venha a participar, o que contribuirá, para novo ciclo jornalístico de descredibilização da modalidade.
Para o laboratório que efetuou a análise redundará na edição de novos press-releases, informando que a sua luta continua na vanguarda tecnológica…

Texto de opinião de José Santos

11 comentários a “Opinião: Contador no Tour?”

  1. Um controlo antidoping positivo, ou outro tipo de violação de normas de controlo, tem, desde que provado, um efeito imediato de perda dos resultados obtidos na competição onde ocorreu a falha. Como “sanção acessória”, o atleta poderá também perder o direito a prémios, resultados e afins, nas competições que se seguem a essa, até ao inicio da suspensão preventiva ou da suspensão. Tanto quanto sei, e digam-me se estiver errado, o Contador já esteve suspenso preventivamente, e regressou após essa suspensão. Se assim for, em minha modesta opinião, parece-me que não lhe podem retirar os resultado alcançados, por exemplo nesta Volta a Itália ou na Volta ao Algarve, onde regressou após essa suspensão, a não ser que, existisse um controlo positivo nalguma destas competições, o que não é expectável. As comparações feitas com o caso do Heras, que ditaram a vitória do Menchov na Volta a Espanha, não serão as ideais. O Heras foi desclassificado por controlo positivo nessa Volta a Espanha (se bem me lembro).

  2. fdx….a adiar algo certo….a nao ser que lhes paguem mt milhoes………enquanto este foi positivo e negraçado que o ricco n controlou positivo agora,o ballan tbm n,o santambrogio tbm n,o bruseghin tbm n etc……….e se n me engano houve uma pessoazita chamada Fuyu Li que tbm testou positivo a umas milesimaszitas quaisqueres no GP harelbeke acho e que foi expulso pela equipa e que foi,que eu saiba,suspenso……

  3. o ballan nao compete por opçao da sua equipa, nao por qualquer restriçao imposta por qualquer entidade superior.

  4. apenas digo uma coisa,
    se o contador for considerado culpado, acho qe a anulação do giro e injusta.
    a razao é a seguinte, o valverde teve anos a ser investigado de um caso qualqer qe envolveu muitos ciclistas, durante esse tempo de investigação o valverde ganhou uma Vuelta e ninguem lhe anulou essa vitoria.
    portanto apenas qero qe a justiça seja igual para todos,

    Cumpz

  5. Estão á espera de quê para decidir ?
    Ainda falam da justiça portuguesa cambada de corruptos

  6. Não entendo porquê que Ballan e companhia sem nenhuma acusação formal não podem correr, e Contador que quer queiram ou não acusou positivo.
    E se vamos invocar a defesa a modalidade existe outro monstro do ciclismo chamado Armstrong que está a ser atacado á vários anos sem nunca conseguirem provar o quer que seja, e ninguém põe termo a essa palhaçada.

  7. Ainda há muitos interesses (euros) que se sobrepoem. (corrupçao, trafico de influencias, cobrança de favores…)

  8. ora, e já está. arranjaram mais uma “cabala”, ou como lhe queiram chamar para impedir o Contador de ir discutir o Tour. Tao a ve-lo muito forte no Tour, tiveram que arranjar maneira de o impedir de correr. esse tal verdicto, que era para sair dentro de duas semanas agora adiado, e claro, coincidencia, para depois do tou. Bem, mais explicito que isto nao sei. Ora quem será o Papa do ciclismo que toma estas decisoes. È no minimo lamentavel assistir-se a casos deste género.

  9. Concordo com o artigo e com o que ele pretende atingir. É óbvio, está em causa a defesa da modalidade.
    Refere o autor do artigo (que por acaso conheço e para com o qual continuo a ter o maior respeito):

    “Repara-se em todo este dossiê uma procura de incriminação, que a concretizar-se provocará duas grandes consequências:

    Primeira, o descrédito da modalidade e do seu principal ciclista do momento e o segundo, uma mediatização do problema com resultados positivos para as entidades que analisaram a amostra.”

    Pena é que estes pressupostos não tenham sido utilizados no nosso processo doméstico, o da extinta LA-MSS.

    Pena é, também, que quase ninguém faça referência à decisão do Tribunal da Relação do Porto, desta semana, que confirmou a ilibação do Zeferino e do Maynar.

    Nem ninguém se lembre que “quase” existiu um caso Liberty. Quase, porque na verdade nunca o chegou a ser.

    E é uma vergonha que assim seja. Os OCS e as instituições públicas continuam a ser utilizadas para os fins de alguns, “os donos da modalidade”. Que continuam a manipular tudo a seu bel prazer, sempre impunes, sempre cobardemente…

    Lamento que continua a ser assim! O ciclismo continua a definhar, dia após dia.

    Amorim

  10. Apenas uma correcção; no relatório produzido peka RFEC onde são apresentados os argumentos de todas as partes não consta uma só referência aos indícios de resíduos plásticos de que fala este artigo( eu li-o de fio a pavio). Sendo assim, nunca o CAS vai ter esse rumor em conta porque nem a UCI nem a WADA o invocaram. Até porque a suposta presença desses plásticos nunca foi confirmada nem motivou parecer algum, apenas surgiu como consequência da opinião de um expert que afirmou que se tais resíduos fossem encontrados no sangue de um qualquer atleta, tal indiciaria uma forte possibilidade de dopagem,

  11. Acho que o Contador nao devia estar presente no Tour sob pena de ser acusado pelo bife clembuterol e lhe tirarem o Giro 2011, Tour 2010

Os comentários estão fechados.