Selecção quer dignificar o País em tempos difíceis

A Selecção Nacional/Liberty Seguros, hoje apresentada em Lisboa, inicia a temporada internacional já na próxima semana, participando na Toscana Terra de Ciclismo, prova italiana da Taça das Nações de Sub-23.

O Seleccionador Nacional, José Poeira, convocou seis corredores para esta competição de cinco etapas e também para o GP della Liberazione, que se disputará igualmente em terras transalpinas, no dia 25 de Abril. Amaro Antunes (LA-Antarte-Rota dos Móveis), Bruno Borges (Onda-Boavista), Daniel Freitas (Barbot-Efapel), Diogo Nunes (Tavira-Prio), Fábio Silvestre e José Gonçalves (Liberty Seguros/SM Feira) são os escolhidos.

“Partimos sempre com intenção de lutar pelos lugares cimeiros e, desta vez, não será excepção. Teremos na próxima semana o primeiro dos compromissos internacionais da Selecção Nacional/Liberty Seguros numa temporada que, estamos em crer, poderá ter o mesmo sucesso das anteriores, nas quais conquistámos a Taça das Nações de Sub-23 e conseguimos medalhas em campeonatos do Mundo e da Europa”, afirma José Poeira.

A época de 2011 vai continuar a ser de afirmação do ciclismo português internacionalmente, apesar da contenção a que a situação económica obriga. “Mesmo em tempos de dificuldades como aqueles que vivemos, é importante que Portugal se afirme no estrangeiro através da Selecção Nacional. É esse o esforço que estamos a fazer e que só é possível com o patrocínio da Liberty Seguros. Estamos também certos que o Governo tem consciência da importância deste investimento e que celebrará connosco o contrato-programa possível neste momento para nos ajudar a levar a bandeira nacional além fronteiras”, frisa o presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo, Artur Lopes.

As Selecções Nacionais de Elite e de Sub-23 de estrada vão ter um total de 23 dias de competição em 2011, destacando-se a presença nos europeus, nos mundiais e na Volta a Portugal.

Também a Selecção Nacional/Liberty Seguros de Cross Country Olímpico (XCO) foi hoje apresentada. A equipa de BTT trabalha com um objectivo claro, lutar pela qualificação para os Jogos Olímpicos de Londres’2012 , tendo como núcleo duro cinco corredores: David Rosa, Mário Costa, Ricardo Marinheiro, Rúben Almeida e Tiago Ferreira. Para a época em curso, o seleccionador de BTT, Pedro Vigário, assume como meta “continuar o desenvolvimento qualitativo desta vertente, afirmando a Selecção a nível europeu e mundial, e lutar com todas as forças para somar os pontos necessários ao apuramento olímpico”.

O secretário de Estado da Juventude e do Desporto, Laurentino Dias, esteve presente na cerimónia de apresentação da equipa nacional, deixando palavras de incentivo aos corredores. “Vale a pena lutar com afinco e sempre de forma limpa, porque o País fica-vos grato sempre que alcançam um bom resultado, muito mais nos tempos que vivemos, em que as dificuldades são muitas”, salientou o governante.

“É com grande entusiasmo que reforçamos o nosso apoio à Selecção Nacional”, comentou Rodrigo Esteves, Director de Marketing da Liberty Seguros, salientando a importância na aposta nos valores do ciclismo nacional através do “progresso no desenvolvimento desportivo das equipas e dos respectivos atletas para atingirem o mais elevado potencial que acreditamos serem capazes, tanto em provas nacionais como internacionais, e cumprirem os objectivos regidos pelos princípios da ética desportiva. Este compromisso da Liberty Seguros visa apoiar o ciclismo que pretende atingir a excelência, em todas as suas valências, enquanto modalidade desportiva.”

Além da associação à Federação Portuguesa de Ciclismo, a Liberty Seguros apoia a modalidade através de várias iniciativas que têm como objectivo promover e dignificar o desporto e eliminar o doping no ciclismo português. A aposta da Liberty Seguros no desporto tem sido um dos pilares mais fortes e constantes de promoção da marca, materializado em acções de nível nacional e regional.

14 comentários a “Selecção quer dignificar o País em tempos difíceis”

  1. Olá a todos! Li a notícia e todos os comentários que gerou, facto que me leva a escrever o seguinte: Regularmente faço ciclismo de estrada como amador, visando manter-me com saúde e sentir o prazer da liberdade de contar com o meu esforço para ir onde vão máquinas motorizadas, num esforço muitas vezes solitário outras tantas na companhia agradecida de outros ciclistas. Assim, mau-grado as bastas horas de dores sobre um selim, sustos sem fim, fracturas de ossos de quedas sem glória nem grandes culpas, canseiras em rampas no pino do sol de verão ou horas de corpo molhado das chuvas gélidas de inverno, até às chegadas no breu da noite, radiante pela luz dos carros que sem saberem, me mostram os buracos do asfalto, de tudo isso e muito mais conheço, como muitos companheiros que isto lêem. Creio saber valorizar o que é ser ciclista e saber que, ainda assim, há homens e mulheres que decidem fazer desta tão apaixonante quanto difícil actividade a sua profissão. Logo, só posso mesmo aplaudir DE PÉ todos, mas todos mesmo, quantos se dignam vestir uma camisola e assumir responsabilidades publicamente, quer enquanto profissionais duma equipa – cujos sponsores exigem aos directores desportivos critério na escolha dos atletas visando os resultados duma boa projecção da marca – quer enquanto atletas seleccionados para representar um país. Uns e outros merecem-me a maior admiração e profundo respeito. Assim, entendo que as funções de director desportivo tal como de seleccionador nacional sejam por vezes ingratas. Ao estarem tão expostas à opinião pública, têm que se haver com comentários de toda a ordem, tecidos no calor duma parcialidade mal nascida filha duma ignorância natural – afinal ninguém sabe tudo – e dum clubismo/bairrismo que dos eternos treinadores de bancada perpassa para a vista de todos, num verbo pouco esclarecido mas que pode apanhar os menos avisados como se dum ‘o rei vai nú’ se tratasse. O pior é quando esse clubismo tende a ser marcadamente tendencioso. Por amar tanto o amarelo há quem passe a odiar sem saber porquê o azul, nem enxergar que das duas cores nasce um esplêndido verde.

    Fez-me pena ver falar mal dum jovem que muito mais que promissor é já uma certeza que sem favores convenceu os responsáveis duma equipa de ciclismo profissional continental deste país em crise a contratar os seus serviços, e que mau-grado as graves quedas de que foi vítima na passada época e dos infortúnios familiares que fariam qualquer jovem soçobrar desanimado pelo espectro duma doença gravíssima que afecta mãe e irmã do atleta, ainda assim soube gerir o seu crescimento como atleta e como homem nessa mudança para a vida profissional que muitos desejam, mas que nem todos podem ter. Efectivamente, cai mal que alguém que se diga português – fica a dúvida – venha a terreiro falar mal do que pensa que sabe, num momento em que alguém fez a escolha que melhor conseguiu mediante os dados que dispunha, e aqui tal como noutro registo, a hora é de apoiar A TODOS quantos recai a honra e a responsabilidade de envergar as cores que representam mais de 10 milhões de concidadãos. Sendo uma selecção de sub-23, mais fundo foi a ‘pata na poça’ do comentarista que assina ‘Mário’, não se ‘tocando’ que é de jovens como se calhar conhece algum bem próximo que estamos a falar e seria de bom tom deixar às selecções estrangeiras o favor de falar mal por falar, ou crê que alguém faz convocatórias de ciclismo a nível de nacional por critérios estéticos como despeitadamente alude no seu infeliz comentário? Esquece-se que além de tentar dividir para reinar, está a por em causa critérios vistos e revistos mais vezes do que pensa, lançando suspeições sobre pessoas que merecem, até prova em contrário, mais respeito e consideração. Se ainda assim lhe assistisse alguma razão no que escrevinhou, lembre-se que nunca falando mal dos outros se conseguiu ir longe – se é luz de ribalta que quer para alguém que esqueceu de referir. Fica o reparo, que já vai longo! Quanto ao mais, força Portugal! Quem gosta de ciclismo apoia-vos a TODOS os que têm a difícil tarefa de nos representar! Sorte, e boas pedaladas meus amigos!

    P.S. – Força Sr. Amaro Antunes, faça engolir e engasgar-se com o que escrevinhou quem falou mal de si. Aproveite já e sirva a sua prestação pela selecção sub-23 na Taça das Nações, em Itália como prato único, às secas!

    Ah, e seguros é na Liberty, passem a palavra… 😉

  2. Caro mario, concordo em parte ao que o sr. referiu, no entanto há que relembrar um pormenor muito interessante: aquando a passagem de júnior para sub-23 por parte do Nelson Oliveira, existia essa mesma categoria separada da categoria de elites, salvo certas competições em particular. Actualmente um júnior passa para sub-23 e é imediatamente confrontado com o facto de correr igualmente com elites! Imagine o que é estes novos sub-23 com apenas 18 anos subitamente estarem “lado a lado” com elites com uma experiência muito maior e com uma maturidade muito mais elevada do que estes jovens ainda adolescentes! E repare que no entanto, já o ano passado se demonstrou que alguns destes jovens ainda conseguiram afirmar-se no top-10 de algumas provas, e no que toca a classificação de sub-23 nas provas deste ano, o Rafael têm-se mantido dentro do top-10… da sua categoria, e não da geral! É que por vezes são estes pequenos detalhes que passam despercebidos à maior parte das pessoas que acompanha a modalidade pontualmente… (e não, não estou a referir que o sr em particular seja uma dessas pessoas).

  3. Adamastor, o Reis é um grande corredor e no futuro penso que ira mostrar mesmo isso, mas neste momento não demonstrou merecer estar nesta convocatoria, ficaram alguns corredores de fora que mereciam, mas os ciclistas que estão em profissionais pelos vistos e que são bons, esta epoca não vai ser facil representar Portugal, nem o Nelson Oliveira não o fez na primeira epoca o que é compreensivel, mas na proxima epoca e nas proximas sera um dos homens mais fortes na selecção

  4. Senhor douctor Pistoleiro, então é muito simples, mostre o palmares do Amaro, quantas provas ganhou? quantas camisolas ganhou? O que fez ele em prol da equipa?
    Eu respondo a isso mesmo so para si. Vitorias: 0 Camisolas: 1, até le digo onde, volta a feira, camisola da juventude. Em prol da equipa nunca fez nada. Deseja mais algum factor? é so dizer, vergonhoso estou a ser simpactico, pois não tem qualidade para estar numa equipa profissional muito menos para estar a correr na selecção, se ele esta numa equipa profissional, alguns deviam de estar em equipas pro tour, Pistoleiro, vai tratar da tua arma pois não sabes disparar no sentido correcto.tambem dou os meus parabens a alguns corredores mas este não merece. Nunca mostrou que merecia estar na selecção em Sub-23. E se voçe acha o contrario, não esta a ser correcto para com outros atletas. Agora pense e diga algo, se e inteiramente justo ou se é um ciclista MENINO BONITO DO SELECCIONADOR

  5. Boa noite a todos,

    Antes de mais, como sempre que consulto este site, verifico que a ortografia portuguesa anda pelas ruas da amargura… E gostaria de colocar a questão: porque motivo Rafael Reis não está presente nesta convocatória??? Se não me falha a memória, na época transacta foi apenas e só o melhor ciclista português a representar a selecção (tendo terminado todas as provas da Taça das Nações no top-10, entre os quais só a titulo de exemplo o Paris-Roubaix em 6º lugar, já para não mencionar a medalha de bronze na prova de fundo do Campeonato da Europa e ainda o 1º lugar nos jogos olímpicos da juventude (c.r.) e 2º na prova de fundo)  e agora não é convocado, e surge nesta magnífica convocatória um ciclista que esteve suspenso por doping e com o mesmo nível de experiência que o Rafael Reis nesta categoria??? Humm… Estranho….

  6. Boas Noites antes de mais meus caros senhores…

     Mario:   Mais uma vez continuamos assistir ao mesmo, Amaro Antunes na selecção?
    Pistoleiro: AGUENTEM MAIS UNS BONS ANOS, GRANDE CICLISTA.!
    Mario: o que fez ele na epoca passada?
    Pistoleiro: SE NÃO SABE O QUE ELE FEZ VAIA VER O PALMARÉS DELE NA ÉPOCA PASSADA!
    ESTA GENTE EM VER DE APOIAREM TODOS OS CORREDORES DA SELECÇAO SO SABEM E DIZER MAL!!!! VERGONHOSO E VOCE MARIO MÁ LINGUA!
    APOIEM MAIS OS CORREDORES E DEIXEM-SE DE MERDASSSS! A CHAMAREM VERGONHOSOS E O RAIO,,,,,  

  7. A liberty a ser elogiada???? Ate parece que merece, devia era ser julgada pelo doping na sua equipa. Quanto a selecçao desejo-lhes uma epoca cheia de exitos.

  8. Completamente de acordo com o Ze do pedal, outro elemento que o ano passado mostrou o seu grande potencial mas este ano não tem estado tao bem é o borges, apesar de ser um grande corredor e ter merecido a chamada, mas o Amaro que não tem feito nada, nem este ano nem o ano passado, o Freitas apesr de ter apresentado alguns resultados não mereçia ser ja chamado pois estao a dar ma imagem ao jovens ciclistas, mas enfim, este seleccionador anda sempre com os seus meninos bonitos, enfim. Senhor seleccionador acho que devia de deixar esses criterios que tem adoptado ano apos anos, com meninos bonitos

  9. No que respeita às escolhas do seleccionador, não costumo fazer comentários quanto à valia dos atletas, até porque são todos atletas com algum historial de selecção e as escolhas nunca serão do agrado de todos, mas ha um dos seleccionados que na minha opinião não devia constar da convocatória, até porque vem de um castigo por doping e desta forma, parece-me que estamos a dizer que o crime compensa…

  10. Meus amiigos,
    Como é possivel que a federação se esqueça de apresentar a selecção que irá representar Portugal nos Europeus de pista, que por acaso, este ano se realizam em Sangalhos?
    Para alem dos juniores, que estão a morar em Sangalhos, ainda temos a possibilidade de particpar erm SUB-23 e no que respeita a estes ultimos ainda nada foi feito.
    Faltam pouco mais de 3 meses para a prova e ninguem parece ter sido cabordado para se preparar para a competição. Tanto quanto sei, só ha um atleta que se está a preparar especificamente para essa competição, mesmo sem saber se irá ser um dos escolhidos.
    Depois, vêm os responsáveis da Federação dizer que a pista é um sucesso, que a vertente está com muita adesão, etc, etc, é tudo balelas, se não fossem os atletas de estrada da Liberty e da ASC, as provas não teriam mais de 2 ou 3 atletas.
    Realmente acabamos semopre por bater na mesma tecla, mas a Federação precisa MESMO de gente nova, porque assim não vamos a lado nenhum!!!

  11. O selecionador da vertente XCO também tem nome, e os atletas também tem equipas, vamos ter alguma brilho profissional na apresentação das noticias. Há muito tempo que o XCO está em portugal ao mais alto nivel, merecem tanto respeito como os seus colegas de estrada!

  12. Mais uma vez continuamos assistir ao mesmo, Amaro Antunes na selecção? o que fez ele na epoca passada?o que fez ele neste inicio de epoca? vergonhoso, e por ser ciclista profissional? Quantos e quantos ciclistas estão a fazer uma melhor epoca do que ele, e fizeram o ano passado e não vao. Vergonhoso senhor seleccionador, parece que funciona a atraves de cunhas. Começe a olhar para o valor deles, pois se fosse assim o amaro não estaria na selecção.

Os comentários estão fechados.