Thomas de Gendt finta pelotão no Paris – Nice

O belga Thomas de Gendt (Vacansoleil) venceu hoje a primeira etapa do Paris – Nice, coroando de êxito uma fuga empreendida a 40 quilómetros da chegada. O pelotão conseguiu alcançar Jens Voigt (Leopard-Trek) e Jeremy Roy (FDJ), companheiros de escapada do belga, mas não conseguiu absorver o ciclista da Vacansoleil, pois este guardou uma reserva de energia para acelerar em plena recta da meta, quando o grosso da coluna acelerava nas suas costas.

A etapa de 154,5 quilómetros, com partida e chegada em Houdan, foi animada por uma fuga precoce de dois corredores, Dalmien Gaudin (Europcar) e Gorka Izaguirre (Euskaltel-Euskadi), que não resistiram à perseguição e foram reintegrados pelo pelotão a cerca de 50 quilómetros do final. A junção permitiu a de Gendt, Voigt e Roy saltarem para a dianteira.

Enquanto o trio lutava pelo aumentar a diferença, que esteve sempre aquém de um minuto, no pelotão o trabalho não era em prol da perseguição. As movimentações no grande grupo visavam aproveitar as mudanças de direcção e o vento para fragmentar o pelotão. Essa situação sucedeu várias vezes, mas os reagrupamentos também se foram dando. Neste jogo do gato e do rato, os três fugitivos foram aproveitando para se manterem em cabeça de corrida.

Quando o pelotão “acordou” e se organizou na perseguição, muito por acção da HTC-Highroad e da Sky, a iniciativa do trio pareceu destinada ao insucesso. Só que Thomas de Gendt, numa réstia de abnegação e de sofrimento, deu um safanão na recta da meta, esforço suficiente para poder erguer os braços e assumir a liderança.

O português Bruno Pires (Leopard-Trek) foi o 98.º, chegando integrado no pelotão, com o mesmo tempo do vencedor. O compatriota Sérgio Paulinho (RadioShack) foi o 149.º, cedendo 54 segundos. Além de Pires e Paulinho e ainda de José Azevedo, que é um dos directores-desportivos da RadioShack em funções no Paris – Nice, o ciclismo português está representado por Paula Martins, comissária titular nomeada pela UCI.

A segunda etapa corre-se nesta segunda-feira, ligando Montfort L’Amaury a Amilly, ao longo de 199 quilómetros.

(em actualização)

9 comentários a “Thomas de Gendt finta pelotão no Paris – Nice”

  1. Diogo Martins, e tu deves perceber muitoc de ciclismo, sabes o que e recuperação durante a prova e trabalhar para a equipa? Talves por isso ele esta onde esta, lembrast do Tour do ano passado?, o Navarro e os colegas de equipa de contador eram sempre os unicos a descolar em etapas muito faceis, pois sabiam que depois tinham que trabalhar, a isto chama-se inteligenciia, e trabalho de equipa.

  2. O Paulinho conseguiu, como poucos, perder um minuto. É aflitivo como um dos maiores vegetais do pelotão acaba por ser quem trouxe os únicos três bons resultados dos últimos anos no ciclismo português. Mas a verdade é inegável, porra Paulinho, nós sabemos que não vais para ganhar, mas será que custa assim tanto imitar os outros 140 ciclistas e acabar no pelotão ?!?! Que falta de ambição terrível !

  3. o pelotao esteve sempre acordado só que estes tres sao mt bons roladores ,tirando o roy sao ambos mt bons no contra-relogio.
    quem vai vencer a prova vai ser o matteo carrara

  4. o roy fez 2 e o voigt 4,nao foram totalmente absorvidos.
    o haussler que fez 3 é que atacou do pelotao.

Os comentários estão fechados.