Montijo junta cerca de duas centenas e meia a pedalar

01

Com o mês de Agosto a entrar nos seus últimos dias, depois de duas semanas de descanso, já que em tempo de férias é típico neste mês, o calendário oficial da Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FPCUB) é sempre reduzido, iniciamos novamente as pedaladas semanais, desta vez fomos até ao Montijo, mais propriamente a freguesia do Afonsoeiro, onde o Grupo Cicloturismo Afonsoeiro/Moveis Jolar, levou para a estrada a sua 5ª Clássica cicloturistica denominada de “Afonsoeiro/Canha/Afonsoeiro”, numa extensão de 75 quilómetros percorrido pelo concelho.

02

A concentração ocorreu pelas 8 horas, sendo a partida dada pelas 9,20, à partida alinharam 247 cicloturistas, divididos por equipas e individuais. As pedaladas tiveram inicio com um circuito dentro da freguesia, seguindo depois por Atalaia, Passil, Faias, Loja Nova e Canha, aqui foi feita uma paragem para abastecimento liquido e sólido. Depois de algum descanso, foi tempo de voltar à estrada, com passagem por Vila da Amoreira, Faias, Passil, Atalaia e Afonsoeiro, onde a caravana chegou pelas 13,45.

03

Numa manhã que acordou bem quente, o calor que se fez sentir foi talvez a maior dificuldade para o pelotão, já que o trajecto foi de dificuldade baixa, propício a boas pedaladas, com boas estradas para melhor rolar, e algumas paisagem para apreciar.

Convívio foi o que também não faltou neste passeio, onde os participantes puderam sem duvida conviver entre todos, antes durante e após a pedaladas, as quais acabaram com um magnifico almoço, que decorreu tarde dentro, onde foram entregues as tradicionais lembranças.

vinhas150

Em final de passeio, a nossa reportagem ouviu Aldino Borges, um dos organizadores e responsável pelo Grupo do Afonsoeiro, ao qual nos dizia; “Como objectivos deste passeio, esteve a divulgação da prática do uso da bicicleta, ao mesmo tempo que divulgar a nossa freguesia, o nosso concelho, a nossa terra, algo que temos feito nos últimos anos, tentando desta forma que as pessoas saiam de casa, e pratiquem algum desporto”.
Por fim, Aldino Borges dizia ainda; Temos um balanço positivo, correu tudo bem, tivemos um pelotão bonito, pode-se dizer que estamos satisfeitos, e para o ano cá os esperamos novamente a todos”.

E foi de facto um passeio muito agradável, sem nada de anormal, um passeio que teve algumas dificuldades na sua organização, já que os apoios foram sem dúvida muito difíceis em conseguir, os quais vieram da parte das autarquias, Câmara Municipal do Montijo, Junta de Freguesia do Afonsoeiro, FPCUB, a Salutris, os Moveis Jolar, patrocinador oficial, e um apoio especial da LUSIAVES, a qual patrocinou as lembranças para os participantes, apoio sem dúvida muito essencial, importante e fundamental, o qual a organização não encontra palavras para agradecer.

05

Da nossa parte ficam também os parabéns à organização, com os votos de em 2011 possamos estar novamente presente, na sua 6ª edição, até lá e como sempre, um pouco da história de tradições do Montijo e de Canha.

Bons passeios, boas pedaladas.

Montijo:
Montijo é uma cidade portuguesa pertencente ao Distrito de Setúbal, região de Lisboa e sub-região da Península de Setúbal, com cerca de 26 500 habitantes. Até 1930 chamava-se Aldeia Galega do Ribatejo.
É sede de um município com 348,09 km² de área e 41 432 habitantes (2008), subdividido em 8 freguesias. É um dos poucos municípios de Portugal territorialmente descontínuos (os outros são Oliveira de Frades, Soure e Vila Real de Santo António) e é aquele que o é de forma mais evidente. A porção principal, onde se situa a cidade, é a mais pequena e é limitada a norte e a leste pelo município de Alcochete, a sueste por Palmela, a sudoeste pela Moita e a noroeste liga-se aos municípios de Lisboa e de Loures através do estuário do Tejo. A porção secundária, cerca de 20 km a leste, é limitada a nordeste por Coruche, a leste por Montemor-o-Novo, a sueste por Vendas Novas, a sudoeste por Palmela e a noroeste por Benavente.
A nova ponte sobre o Tejo, a Ponte Vasco da Gama, foi inaugurada em Março de 1998 ligando Montijo a Sacavém.
Montijo é conhecido por terra de touradas, boa comida e fados.

Canha:
A Vila de Canha, cuja padroeira é a Nossa Senhora da Oliveira, é a cabeça da freguesia com maior dimensão do concelho do Montijo e tem de área 207,73 Km2. O nome da localidade deriva do facto de existirem na região grande profusão de canas, daí o topónimo de Villa Nova de Canya. Devido à sua excelente localização geográfica, atraiu desde longa data a fixação do homem, como atestam os diversos vestígios encontrados na proximidade da sua ribeira, datáveis do paleolítico. Do neolítico há a registar a existência de uma sepultura megalítica tipo cista. A presença de um castro neolítico também foi referenciada na região. Do período da ocupação romana do território encontram-se vestígios da sua passagem por Canha, nomeadamente na área do Monte do Escatelar onde se encontra os restos de uma presumível “Villae”. De salientar a existência de um fragmento de mosaico policromo, actualmente inserido numa das habitações do monte e de diversos materiais cerâmicos.

Texto e fotos: José Morais