Se ela, a Volta

Texto e fotos: Henrique Gomes

Se ela, a Volta, deixou de ser uma rainha, não deixou de ser uma senhora madura, deleitosa, charmosa, atraente.

Como tal, todos nós gostamos de estar próximo dela, acompanhar os seus movimentos, e sentimos a falta dela, quando ausente.

Se ela, a Volta, sendo certo que já viveu melhores dias, todos nós, seus amantes, no entanto, deveremos continuar a acariciar e estimular a nossa dama.

Então, claro, nesta altura, o pico do ano, não faltam pretendentes ao lugar de acompanhante de tão ilustre senhora.

Se ela, a Volta, tinha uns fantasmas a exorcizar, algum trabalho de casa a fazer, nada melhor que entregar o comando das operações a

senhoras: Elas são perfeitas para organizar, limpar, criar novas confusões.

Sella, o italiano,  dava o exemplo de como podemos exorcizar o diabo, mesmo que o diabo possa estar fora do nosso corpo. Embora, muitas vezes parecesse que o italiano tinha o diabo corpo, tantas foram as tentativas de fuga.

Se  ela, a Volta, parecia ter um vencedor

anunciado desde do inicio da competição, na verdade o triunfo só foi selado em Leiria.  Terra com enormes aproximações ao diabo. Sabem que foi aqui que se deu “O Crime Do Padre Amaro”?

Se ela, a Volta, teve senhoras aos comandos, também teve belos textos escritos por senhoras, nomeadamente no Record e no Público.

Foi uma Volta muito no feminino, talvez por isso nada melhor que um vencedor blanco, imaculado, no dia de Assunção de Maria.

Sempre fui péssimo em matemática. Aliás, eu servia de escala: A escala mais baixa começava por mim. Talvez, por isso não consiga contar as vitórias de ciclistas portugueses, nesta Volta. Mas, vocês vão ajudar: Duas vitórias de Sérgio Ribeiro+Meia do Cândido = 2.5 vitórias.

Será possível? Duas vitórias e meia? Alguém me pode ajudar?

Voltando a outros números. O último vencedor português da nossa Volta foi Nuno Ribeiro. Mas, como sou péssimo em números, alguém me pode dizer o ano?

Momento decisivo, segundo Blanco, aconteceu no Alto da Senhora Da Graça. Até lá estava tudo muito empatado e incerto. Aliás, o marcador electrónico assinalava com rigor exacerbado esse estado de coisas.

Para a organização não estava 0a0, estava 0.00 a 0.00 tal era o equilíbrio, antes da chegada ao Monte Farinha. Farinha Blanco. Claro.

Portanto, este monte, serviu para clarificar e dar vantagem a Blanco.

Porém, este monte também serviu, para mostrar

que é muito injusto não haver um patrocínio de uma marca de cerveja nesta Volta.

Pena foi o final de festa para este ciclista holandês, derrubado, não pela cerveja,

mas, por um condutor imprudente. Bulgac, não alinhou na etapa seguinte.

Exemplar.

Que dizer da prestação dos ciclistas portugueses?

Deverão esconder a cara? Ter vergonha? Nem por isso.

Na verdade, a prestação das equipas portuguesas foi mais visível, do que a  dos atletas nacionais.

Só tivemos Sérgio Ribeiro no pódio final, mas as equipas portuguesas, Tavira e Barbot estiveram muito bem.

O Tavira foi sempre uma equipa muita harmoniosa, ritmada,

Entrosada, mesmo contando nas suas fileiras, com o ciclista mais individualista do pelotão.

Os pintores, Barbot, fizeram uma grande obra que causou espanto e admiração geral.

Não só daquele senhor que ladeia Barnabeu.

Estamos todos espantados!

Bela  Volta, no primeiro ano sem Carlos Pinho, mas com Barnabeu, Ribeiro, Ortega, Sousa.

Prestação pouco equilibrada de Oliveira. Foi pena.

Os de Paredes foram sacos, personalizados, cheios de promessas.

Teriam fundo os sacos?

Não serão precisos grandes sacos para receber os lucros da prestação do Paredes nesta Volta.

O Boavista, será um caso para pensar muito a sério, tal foi a passagem fugaz por esta Volta.

Sampaio, como mais velho, sabe bem disso, embora para ele

o problema esteja resolvido: Reforma.

De quem se esperava mais era do Loulé. Grandes resultados internacionais, equipa equilibrada,

mas o único motivo de festa durante a Volta, foi o cumple años de Santi Perez.

Estranho numa equipa que tinha tantas entidades mitológicas como Santiago, Jesus, Piedade, César, Nero, Baptista, Pedro.

Acabou por ser o comum Silva  a fazer figura.

Esta Volta teve demasiado Cândido. Claro que o foguete de Vagarosa, perdão, Rebordosa tem um charme único, desmesurado, exagerado.

Reparem no miúdo ao colo, até ele na sua

inocência, não tira os olhos de Cândido. Um reparo, para que não haja confusão, inocência é no miúdo.

Se Cândido  se retira, quem será a referencia do pelotão nacional?

Tudo à sua Volta é um deserto.

Continua a ser uma lástima que falte sempre bastante às equipas portuguesas para alcançar valores médios europeus, apesar de grandes resultados obtidos esta época por exemplo nas Astúrias pelo CC Loulé, ou prestações individuais dos nossos ciclistas nas grandes competições internacionais.

Há uma contradição enorme entre os resultados esporádicos obtidos e o valor real do nosso pelotão.

Nunca mais fechamos este espaço, antes pelo contrário, afastamo-nos da elite europeia.

Veremos o projecto do Paredes. A estrutura

terá de ser maior e melhor pensada.

Será verdade o projecto Continental Profissional? Ou será apenas uma fuga para a frente, numa fase de ar pesado e quando a equipa estava debaixo de alta tensão?

Duas referencias a ciclistas, jovens que fizeram a nossa Volta: Van Poppel e Nelson Oliveira. Por aqui passará o futuro do ciclismo europeu.

Van Poppel, filho de sprinter com o mesmo nome, é pessoa  afável.

O Nelson é uma simpatia em pessoa.

A Quem não faltou empenho, foi á RTP.

Excelente trabalho, às vezes bem melhor que a competição.

Às vezes com demasiado empenho.

Muito deve o ciclismo á RTP.

Se ela, a Volta, terminar em Agosto, terá sido

Uma bela Volta.

Esperemos só voltar a falar da Volta, quando for apresentada a de 2011.

Se ela, a Volta, assim quiser.

abraço

Henrique Gomes

19 comentários a “Se ela, a Volta”

  1. Eu concordo que a RTP não tem que olhar as audiencias, é uma empresa estatal, que não tem de se preocupar com lucros, isso é certo. Agora vejam o seguinte, só para terem uma ideia da diferença entre o futebol e o cilcismo, em Portugal há prai uns 60 clubes profissionais de futebol, e todas as terrinhas tem o clube local, por sua vez o ciclismo tem 5 equipas profissionais, e amadores nem sequer faço ideia, mas deve dar para contar pelos dedos da mão. Isto deveria dar para ter uma ideia da diferença, e contra factos não há argumentos, digo isto, mas gostava que désse mais ciclismo na tv, agora não posso é, obrigar os outros a comer aquilo que eu quero. AInda assim a volta desceu de nivel mas a tansmissão teelevisiva não, isto foi o presidente da uci, o sr maqcuaid a dizer, eu não precisava de o ouvir dizer porque eu bem sei. è pena mas é mesmo assim. Ah! e outra, o Blanco disse que a transmissão da RTP era melhor que a TVE na vuelta, isto diz muito. A vuelta que é uma das tres melhores competições ciclisticas..:)

  2. A parte do ironico sem H ja estava patente no meu comentário.
    O que voce parece n saber é que n é o futebol que vende, a tv é que vende o futebol, se a RTP apostar no ciclismo n tenha duvidas que o ciclismo tb vai vender e muito. A comunicação social é que nos mete no trono ou no poço.
    Aqui a malta comentou a noticia em si e não o facto do foguete da vagarosa ou rebordosa.
    Deixe lá o homem acabar a carreira descansado, temos que lhe dar merito pois foi o melhor Portugues em portugal nos ultimos 10 anos.

  3. Pesso desculpa pelos erros de portugues, mas nunca fui grande coisa nesta disciplina, ás vezes ainda me pergunto como é que os professores me deixaram ir para a universidade. “E agora não estou a ser Ironico”.

  4. Concordo na parte em que diz que a RTP tem de vender o que o povo gosta, mas e quem disse que o povo não gostava de ver uma prova como a Volta ao Algarve na televisao publica? As pessoas são educadas a gostar disto ou aquilo e a esse respeito a televisão e os meios de comunicação tem muita força e caso houvesse muito dinheiro envolvvido como iamos ver se a RTP não iria querer vender sapatos numa pastelaria.

  5. Meus amigos a RTP fez muito pelo ciclismo, se não faz mais é porque o publico Português não quer, digo as audiencias, a RTP não tem culpa de em Portugal só quererem ver futebol. É como exigir a uma pastelaria que venda sapatos, se ninguem lá os vai comprar, eles tem de vender o que o povo quer, no caso bolos. A RTP mesmo assim dá reportagens de ciclismo todos aos fins de semana, á tarde. Esta reportagem está deliciosa, especialmente na parte em que faz alusão á religião e/com os nomes do loulé. Tambem quando fala do foguete da vagarosa, este foguete é caso unico, é tabu falar dele, ele pode fazer o que quer, dizer mal de quem quer, só porque é português, segundo algumas pessoas aqui, nós não podemos criticar o que está errado porque ele é português. Meus amigos tenham santa paciencia e muita vergonha, o que está mal, está mal! seja ele português ou chinês, e em relação ao Candido, a muito tempo lhe vêm aparando as burrices que ele diz por aquela boca fora, não há ciclista mais egocentrico e egoista que ele, que só trabalhou para o Blanco porque víu que não tinha mais hipoteses, pois caso contrário até era capaz mesmo de estragar a corrida ao Blanco, que só ele é que não via que o Blanco oferecia mais garantias de sucesso que ele. Mas pronto não podemos dizer a verdade (para alguns é dizer mal, para mim a verdade) porque ele é Português. :{P

  6. Concordo letra a letra com o que o Pancho vila escreveu aqui. Já chega de deitarmos a baixo a nossa modalidade, está mais do que na hora enaltece-la, será que só temos coisas más a criticar porque não as encaminhamos e reclamamos a quem de direito e aos responsáveis dessas situações e depois nos calamos e deixamos isso nas mãos das entidades competentes. E é verdade que a RTP faz um bom trabalho em prol do ciclismo mas é como já foi dito aqui este bom trabalho dura 10 dias durante todo o ano. E a RTP vem ao ciclismo por 2 motivos, porque é a televisão do estado e porque recebe euros para isso e pelo que sei muitos euros.

  7. Que faça como fazia antigamente e eu aplaudo mais. Cansa ver tanta futebolada e muito pouco ciclismo.
    Ironico? Brincadeira com os ciclistas? Pk n brinca ele com o Presidente da federação e com aqueles que aquando da apresentação dos projectos da Pad e JN conseguiram aprovar o projecto PAD quando este n tinha metade da capacidade financeira e estrutural do JN?
    Podiam brincar com esses e serem “Hironicos: software japonês” com essa gentalha que anda a cuspir na gamela de onde comem.
    Ha um ditado popular que diz que a brincar a brincar o macaco…. Você sabe o resto.
    Tenho pena que quase todos os outros tenham interpretado mal a reportagem do Sr Henrique Gomes ao invés do Sr e mais um ou dois. Como deve saber eu estava a ser “Hironico” nesta ultima frase. lol

  8. a rtp faz pelo ciclismo sim… pois é a unica televisao que apoia a volta a portugal!! se nao fosse a rtp, nao teria metade das pessoas nas estradas a apoiar o ciclismo!!

    gostei muito da reportagem, tem o seu tom hironico, nos ciclistas sabemos que é uma simples brincadeira.. pena essas pessoas nao interpretarem da mesma forma… hahaha Foguete da vagarosa 😉 óhhh botija!!

  9. Este senhor aamorim quando é para defender casos de doping está por aí. E quando é para concordar com críticas aos ciclistas também está por cá, só porque fica bem porque conhece o jornalista em questão. 
    Concordo com o Pancho vila em tudo. 
    É muito bonito criticar homens que fazem o que fazem por 500 euros ou menos, sem as mínimas condições, e ainda têm que ouvir críticas de entendidos que pensam que o ciclismo é só pedalar pá frente e siga.
    Vão mas é criticar o Pro-Tour. Esses sim têm as melhores condições e as equipas supostamente só contratam os que realmente têm obrigação de ter capacidades acima da média. Agora deixem o nosso ciclismozinho que precisa é de ser apoiado e desenvolvido. Critiquem outros e deixem os ciclistas…

  10. Para que não restem dúvidas, não, não sou o António Amorim, atleta da Barbot (embora, por mero acaso, ele até me conheça e a quem deixo um abraço).
    E o meu único interesse no ciclismo é a própria modalidade e os seus principais intervenientes, os atletas (eles sabem isso), mas sempre e apenas na qualidade de adepto e simples espectador modalidade.

  11. Olé! Força Pancho (não te desejo o mesmo fim do original!). De qualquer forma, como isto anda, a personalidade mais indicada seria o D.Quixote de La Mancha, que já na altura lutava contra moinhos de vento, parados, paradinhos, sempre no mesmo sitio, sempre a dizer a mesmas coisas, inactivos, a não ser para receber o milho, cultivado com o suor dos agricultores!

  12. Eu sei que n é do jornalista habitual, pois esse ainda tem a capacidade de escrever bem e de até realizar um bom trabalho em prol da modalidade.
    Para que me vou identificar? Você ganha alguma coisa com isso? Se isso for sinónimo de você amealhar mais uns euros para completar a sua formação social e profissional terei muito gosto em lhe fazer a vontade.
    Se você quiser discutir ciclismo ou artigos jornalisticos não identifique apenas o nome, marque um cafézinho em algum lado que de certeza chegaremos a bom porto. Eu sou uma pessoa afável que gosta de elucidar os outros sobre os seus erros.
    Não sou mexicano, mas posso-lhe dar umas lições de espanhol. A meu vêr a noticia além de muito mal elaborada, tem o bode espiatório do costume como vilão principal.
    Se vocês querem fazer algo em prol da modalidade e dos nossos atletas, escrevam cartinhas á federação a demonstrar o desgosto que sentem por esta estar a deixar o ciclismo entrar num beco sem saida.
    A modalidade precisa mais de apoiantes como eu do que nós da modalidade. Sabe é que eu não ando no meio do ciclismo a “tachar” á grande e á francesa e a dar palmadinhas nas costas dos ciclistas, para depois vir publicar noticias e comentários onde os ponho de rastos, tal como vocês fazem.
    Eu apoio a maioria dos ciclistas tal como eles merecem. Eles passam bem sem criticas ao seu desempenho pk isso ja eles o fazem quando as coisas correm mal.
    Parabens ao sr. Henrique Gomes por uma vez mais enaltecer o trabalho anual de dez dias da RTP e por meter na lama os ciclistas portugueses.
    Você e aqui o Antonio Amorim são uns grandes homens.

    P.S: este Antonio Amorim n é o mesmo que é ciclista da Barbot, pois esse a beira deste é um grande Homem.

  13. Já há poucos e ainda tinha que aparecer, ou reaparecer, outro Coveiro. Se pelo menos soubessem abrir buracos, mas nem isso. Paz à Vossa inteligência.

  14. Caro Pancho Vila

    Perdeu-se mais uma grande ocasião para se estar calado!
    O artigo não é do jornalista habitual, mas sim de um “grande seguidor” do ciclismo nacional, o sr. Henrique Gomes. Que costuma publicar as suas “crónicas” de ciclismo no fórum da biciclopédia.
    Por vezes vale a pena parar um bocadinho antes de opinar sobre tudo e sobre nada, revelando-se apenas como mais um ignorante da realidade do ciclismo.
    Talvez esteja na hora de voltar para a terra natal (méxico, julgo eu!) onde poderá passar por grande aficionado e expert de ciclismo internacional.

    Parabéns Sr. Henrique Gomes por nos apresentar mais uma das suas crónicas fotográficas de ciclismo, sempre com instantâneos que nos escapam a todos…

    E já agora, porque não cortar os comentários dos anónimos e dos brincalhões, estilo “pancho vila”. Seria interessante todos nós “darmos a cara”, escrevendo sob nome próprio… Talvez já baste do escárnio e maldizer de alguns, poucos, frustrados, escondidos atrás de um teclado e de um nickname, e dos quais a modalidade não precisa…

    António Amorim

  15. Sinceramente, nunca concordo com os comentários, mas o Sr. Pancho vila falou e muito bem.
    Só falam mal dos ciclistas que pouco teem.

  16. concordo com o Pancho Vila, que este texto está muito mal elaborado. nao sou jornalista, mas acho que isto envergonha todos os outros elementos da classe jornalística. e já agora, apesar da pessoa que escreve este artigo nao concordar com a vitoria do candido, nao se pode dizer que foi meia vitoria. isto é como num jogo de futebol em que o arbitro beneficia uma equipa, isso que faz com que ela seja vencedora do jogo. apesar do erro do arbitro nao podemos dar metade dos pontos a essa equipa.

  17. Como texto está muito mal elaborado.
    Dá vontade de rir quando se lê uma noticia destas e o fundo é sp o mesmo, ou seja, falar mal dos ciclistas e dizer que um canal que apenas tem 10 dias de ciclismo para oferecer, faz muito pelo ciclismo nacional.
    Se estamos longe da realidade europeia a culpa n é dos ciclistas, ofereçam-lhes condições como nas equipas europeias, notoriedade como é dada aos melhores europeus, ordenados a condizer e vemos que portugal tem grandes ciclistas.
    Mas como vivemos num pais governado pela Federação Portuguesa de Futebol só vemos esse desporto na tv. Dp temos 2000 miudos nas captações dos 3 grandes e cada vez menos ciclistas nos escalões de formação.
    Mas como sempre vêm estes pseudo Jornalistas falar mal dos mesmos (ciclistas) a ver se ganham algum protagonismo.
    Está na hora de mudar de bode espiatório.

Os comentários estão fechados.