Volta do Futuro arranca com “crono” por equipas no Velódromo

A 18.ª edição da Volta a Portugal do Futuro, que se disputa de 20 a 25 de Julho, começa de forma original, já que o prólogo será corrido em sistema de contra-relógio por equipas, no Velódromo Nacional, Sangalhos. Cada formação terá de completar dez voltas à pista, somando 2,5 quilómetros.

A prova terá um total de 650,9 quilómetros, distribuídos por um prólogo e cinco etapas. A corrida começa na Beira Litoral, encaminhando-se para sul e para o interior, terminando em Reguengos de Monsaraz. Os principais momentos da corrida deverão estar guardados para a chegada ao Alto de Montejunto, na terceira etapa, e para a derradeira tirada, que será disputada em circuito, contando com três subidas à vila medieval de Monsaraz.

Os trepadores estarão em “casa”, já que além daquelas duas etapas mais óbvias terão outras oportunidades para fazerem a diferença. É o caso da primeira etapa em linha, 133,7 quilómetros, entre Anadia e Águrda. A 17,4 quilómetros da chegada, os corredores passam pela subida para Talhadas (3.ª cat.), que permitirá fazer alguma diferença, até porque do topo até à meta é sempre a descer.

A segunda viagem, 142 quilómetros com saída de Águeda e chegada a Pombal, é menos ondulada, agradando, certamente, aos sprinters do pelotão. Segue-se a etapa-rainha, curtos mas duros 108,7 quilómetros desde Porto de Mós até ao Alto de Montejunto. A meta coincide com uma contagem de montanha de primeira categoria.

A quarta tirada é a mais longa da corrida, levando os ciclistas de Rio Maior até Redondo, numa estirada de 169,1 quilómetros sem dificuldades montanhosas. As últimas pedaladas serão dadas no Alentejo com uma etapa de 94,9 quilómetros. Os corredores irão enfrentar um selectivo circuito com partida e chegada nas piscinas de Reguengos de Monsaraz e três passagens no alto de Monsaraz.

A Volta a Portugal do Futuro é aberta apenas a corredores sub-23. Estão inscritas dez equipas, as duas espanholas Caja Rural e CC Spol-Caixanova e oito portuguesas: Palmeiras Resort – Tavira, Crédito Agrícola, Mortágua/Basi, Maia/Bike Team, Aluvia/Valongo, Liberty Seguros/SM Feira, ASC/Vitória/RTL, Gondomar Coração de Ouro e Cartaxo Capital do Vinho/CCJM Nicolau.

Alves Barbosa, vencedor de três edições da Volta a Portugal, é a personalidade escolhida pela organização, a cargo da PAD, para apadrinhar a Volta a Portugal do Futuro.

Foto: PAD/JLS

17 thoughts on “Volta do Futuro arranca com “crono” por equipas no Velódromo”

  1. Os outros ganham pq são bons… Na Aluvia costumam aparecer umas surpresas coincidentes com a epoca de saldos, vão todos as compras lolll. Nos ultimos tempos só lá tiveram um ciclista com REAL valor, Carlos Baltazar… de resto… laboratorio?!

  2. Os outros ganham os nacionais, premios da feira provas da taça….e na aluvia a ementa é k é outra ???? Deixem me rir . lololll

  3. Em 2009 , (no ano passado) houve ciclistas que eram de 4ºano de 3º e nao deixaram fazer a volta ! lembram-se?????? o sr “montejunto” diz:BRUNO SILVA e de 4º ano e mostrou no agostinho estar muito forte .

    Poste on 2010/07/13 at 10.26pm jornalciclismo. Osr.”SEM DUBIDA” diz os jovens da ALUVIA sacrificam em torno do seu lider BRUNO SILVA . SERA QUE SUB23 DE 4ºANO PODEM FAZER A VOLTA SUB23 2010???????

  4. SR. BIMBO QUALQUER UM SABE QUE A ALUVIA É UMA EQUIPA HUMILDE COMPOSTA POR JOVENS QUE SE SACRIFICAM EM TORNO DO SEU LIDER B. SILVA. NA LIBERTY NÃO.

  5. eu ja vi começar a volta a portugal na pista da antas….e estava cheio o estadio,pode ser que atraia mais gente… nada como ver? precisamos de alguma coisa para sair deste marasmo que esta o ciclismo…viva o ciclismo

  6. Só espero que na primeira etapa da volta portugal do futuro não elimine nenhuma equpa devido a quedas…

  7.  Não se esta a inovar nada, pois na historia do ciclismo em Portugal as pistas muintas vezes foram utilizadas em provas por etapas pensso que até sera uma forma de trazer mais pessoas ao ciclismo pois é uma forma de o publico estar mais em contacto com os ciclistas.

  8. Realmente foram infelizes nesta escolha de prologo. Ao menos poupam na segurança policial, poupam no publico que não vai estar presente, e poupam em mais o que? pobre ciclismo!

  9. Realmente esta federação e PAD, estão cada vez mais originais, qualquer dia começamos a volta a portugal do futuro a dar voltas á rotunda do marquês de pombal! Isto não faz qualquer sentido! Ciclismo de Estrada, Volta a Portugal do futuro de estrada! Mas para quê uma etapa na pista?
    Tudo bem que querem usar a pista, mas usem-na de outra maneira, com estágios para selecções, com a criação do CAR que agora está acontecer com cadetes, façam corridas de pista no inverno, agora etapas em pista durante a Volta a Portugal não faz o minimo sentido! Os contra-relogistas mostram a sua qualidade onde? Em 2,5 km’s? Numa pista?
    Não é assim que se divulga e desenvolve, nem o ciclismo de estrada nem o ciclismo de pista!

  10. O Rali de Portugal de 2011 tb vai ter o prólogo no Velódromo em vez do Estádio do Algarve…e até mesmo a prova Portuguesa do wtcc 2011 vai deixar Portimão vindo para Anadia…..e se a Volta 2010 tb tiver Velodromo não estranhem!!!…..enfim

Os comentários estão fechados.