Carta aberta de Joaquim Andrade aos associados da APCP

Carta aberta de Joaquim Andrade aos ciclistas da APCP (Associação Portuguesa de Ciclistas Profissionais) aquando da sua eleição e disponibilizada ao Jornal Ciclismo.

Caros Colegas,

Como a maioria de vocês sabem vou-me candidatar no próximo dia 12 de Julho à Presidência da APCP. Este é um cargo de muito prestigio mas acima de tudo de muita responsabilidade, principalmente agora que a nossa modalidade vive um dos momentos mais difíceis da sua história.

Fui um dos fundadores desta Associação e estive sempre ligado a ela, procurando dar o meu contributo na defesa dos direitos dos Ciclistas.

A APCP tem feito um trabalho importante na resolução de vários problemas e é hoje respeitada, quer a nível nacional quer internacional.

Acredito que para que a APCP possa alcançar uma posição de maior relevo no futuro da nossa modalidade, precisa da participação e do empenho dos Ciclistas mas também da manutenção de um diálogo aberto com as Associações, Equipas mas acima de tudo com a Federação Portuguesa de Ciclismo e também com a UCI.

A minha experiência recente como Ciclista, deu-me a percepção de como é difícil para um atleta preocupar-se com assuntos alheios ao seu objectivo principal: treinar, cuidar-se e competir. Por esse motivo, e por acreditar que posso contribuir para que a APCP seja uma Associação cada vez mais forte, me candidato à sua liderança, mas para isso preciso do apoio de todos vocês.

Não posso deixar de vos focar um ponto que acho muito importante:
-O Ciclismo é a modalidade que mais se tem empenhado no combate ao Doping e tem sido pioneira em métodos e testes, como tal tem sido muito fustigada e muitas vezes incompreendida pela opinião pública. Qualquer situação relacionada com este tema na nossa modalidade, é muitas vezes injustamente rotulada pela Comunicação Social como Doping. Num esforço para serem compreendidos os Ciclistas de todo o Mundo, têm abdicado de muita da sua privacidade e dos seus direitos como cidadãos. Nesse sentido acredito que a APCP, deve-se empenhar na divulgação da importância do respeito das regras e reforçar a ideia de que quem as viola, prejudica-se a si próprio, mas também á sua equipa e toda a nossa modalidade.

De igual forma, acho que a APCP deve estar atenta para que as autoridades competentes respeitem e cumpram essas mesmas regras, com o mesmo rigor, com que vós Ciclistas vos empenhais em as cumprir e respeitar.

Com o vosso apoio, posso garantir-vos todo o meu empenho, dedicação e entusiasmo no esforço para que a nossa modalidade seja cada vez mais forte e respeitada.

Os meus cumprimentos,

Joaquim Andrade