Nelson Oliveira foi o melhor português em Itália

Angelo Pagani venceu isolado a segunda etapa da prova
Angelo Pagani venceu isolado a segunda etapa da prova

Nelson Oliveira concluiu o Giro delle Regioni na sexta posição, graças ao quinto posto na segunda e última etapa, ganha pelo italiano Angelo Pagani. A corrida, pontuável para a Taça das Nações de sub-23, foi conquistada por outro transalpino, Enrico Battaglin, que confirmou hoje a liderança ontem alcançada.

Os 154,1 quilómetros de hoje revelaram-se mais exigentes do que se pensaria à partida, pois os corredores enfrentaram subidas longas, com rampas que chegavam aos 18 por cento de inclinação, nem todas pontuáveis para o prémio da montanha. Neste terreno pouco adaptado às suas características, Domingos Gonçalves aguentou quase até final no restrito lote dos mais fortes, mas cedeu a cerca de quatro quilómetros da chegada e caiu do terceiro para o 23º lugar da geral.

Melhor esteve Nelson Oliveira. O vice-campeão mundial de contra-relógio conseguiu seguir as movimentações dos melhores, que perseguiam Angelo Pagani, isolado desde o quilómetro 117. Oliveira ainda desferiu ele próprio alguns ataques, conseguindo fraccionar o grupo de perseguidores. Pagani acabou por vencer isolado, mas o compatriota Battaglin fez uma demonstração de força, concluindo a tirada na segunda posição e reafirmando-se como o mais forte da prova. Nelson Oliveira foi quinto e conseguiu ascender ao sexto posto da geral. O terceiro homem da Selecção Nacional/Liberty Seguros foi o algarvio Amaro Antunes, 17º na etapa e 16º na geral.

“A última etapa foi muito dura, mais do que poderíamos esperar. Encontrámos subidas de dez quilómetros, algumas com troços de 18 por cento de inclinação. Obviamente que isso fez uma selecção muito apertada. Quero destacar o facto de termos conseguido colocar três homens entre o restrito lote de pouco mais de vinte ciclistas da frente. Foi pena o Domingos Gonçalves não ter aguentado até ao final, mas acaba por ser natural, pois ele não é um trepador nato. No entanto, conseguimos o quinto lugar na etapa e sexto na geral através do Nelson Oliveira. Além disso, voltámos a conquistar pontos para a Taça das Nações, com a vantagem de grande parte das selecções que estavam à nossa frente na classificação terem perdido terreno nesta corrida”, resumiu o seleccionador nacional, José Poeira.

CLASSIFICAÇÕES
Bagno di Romana – Bagno di Romana, 154,1 km
1º Angelo Pagani (Itália A), 4h08m12s
2º Enrico Battaglin (Itália B), a 27s
3º Siarhei Papok (Bielorrússia), mt
5º Nelson Oliveira (Selecção Nacional/Liberty Seguros), mt
17º Amaro Antunes (Selecção Nacional/Liberty Seguros), a 1m23s
24º Domingos Gonçalves (Selecção Nacional/Liberty Seguros), a 3m10s
48º Marco Coelho (Selecção Nacional/Liberty Seguros), a 23m43s
52º Luís Afonso (Selecção Nacional/Liberty Seguros), mt

Geral Individual
1º Enrico Battaglin (Itália B), 3h18m00s (Média: 42,273 km/h)
2º Jan Tratnik (Eslovénia), a 7s
3º Angelo Pagani (Itália A), a 37s
6º Nelson Oliveira (Selecção Nacional/Liberty Seguros), a 1m04s
16º Amaro Antunes (Selecção Nacional/Liberty Seguros), a 2m00s
23º Domingos Gonçalves (Selecção Nacional/Liberty Seguros), a 2m54s
47º Marco Coelho (Selecção Nacional/Liberty Seguros), a 24m20s
57º Luís Afonso (Selecção Nacional/Liberty Seguros), a 26m26s

4 comentários a “Nelson Oliveira foi o melhor português em Itália”

  1. Pois pois, por essa e por outras assim a puxarem cada um pra seu lado é que a selecção nac. sub 23 leva banhada, fosse eu que escolhesse os atletas a levar e com certeza os resultados seriam pódios sucessivos….agora sairem pra fora á custa do nosso dinheiro e quererem ver quem fica à frente de quem…bem podem comer as patas de galinha….

  2. Jornalistas a dormir! Como se pode falar tão pouco sobre o2º melhor classificado,quando o mesmo é o mais jovem e demonstrou a sua qualidade junto aos melhores do mundo.Cntinua AMARO prova o teu valor em cima (dela),”Exelente corrida” PARABÊNS.

  3. Mais uns pontinhos para a Taça Europa sub-23 e outra boa prestação da selecção nacional. Em Itália seria muito difícil tirar a vitória aos italianos que conhecem bem o terreno, têm espacialistas neste tipo de provas, e são muito fortes neste escalão.

Os comentários estão fechados.