Camisola com História – Amore & Vita

O ciclismo é, há muito, um veículo escolhido para publicitar marcas comerciais. Atendendo à transversalidade de públicos da modalidade e à sua popularidade, podemos mesmo dizer que é uma das melhores formas de dar a conhecer produtos de grande consumo. Isto não é qualquer novidade. Mas foi pegando nestes princípios que o Vaticano resolveu patrocinar uma equipa profissional de ciclismo, de modo a espalhar os seus ideais pelo Mundo. Foi assim que nasceu, em 1990, a Amore & Vita-Fanini. Os seus corredores, quais cruzados dos tempos modernos, tinham a missão de praticar na estrada os valores da paz e da concórdia. Mas, tal como as religiões que tanto apregoam a paz estão na base de muitas guerras, também os corredores da Amore & Vita não eram propriamente santos. Nem sequer iremos especular sobre os seus desempenhos, num país e numa época em que a EPO era rainha e senhora. Mas não resistimos a recordar os espectáculos de “engate” em directo que eram dados por Alessio di Basco – que correu pela Amore & Vita de 93 a 95 – nos pódios da Volta a Portugal. Outro corredor que brilhou em Portugal com as cores algo pias mas pouco santas da Amore & Vita foi o trepador Michele Laddomada, vencedor de algumas etapas de montanha no nosso país, antes de transferir-se para a LA-Pecol. As equipas que veiculam produtos têm nomes compostos com as designações das marcas. A Amore & Vita não escapou a essa regra, mas com algumas nuances… cristãs. Em 1999 e 2000 chamou-se Amore & Vita-Giubileo 2000-Beretta. Uma curiosa mistura, já que a Beretta é uma empresa de carnes… prazer nem sempre tolerado pelo patrocinador principal. Em 2008, sediado na Polónia, o colectivo designa-se Amore & Vita-McDonald’s, o que já é uma evolução, tendo em conta que a cadeia americana tem no cardápio saladas e menus de peixe.

Imagem: http://www.memoire-du-cyclisme.net/