Largas centenas de comprimidos apreendidos no caso LA-MSS

Os espanhóis da equipa, como Vicioso (na foto), não foram investigados
Os espanhóis da equipa, como Vicioso (na foto), não foram investigados

O Jornal Ciclismo consultou a acusação do Ministério Público contra o director-desportivo Manuel Zeferino e contra o médico Marcos Maynar e revela quais as sustâncias, utensílios e documentos apreendidos pela Polícia Judiciária nas buscas efectuadas no dia 19 de Maio de 2008. Entre os produtos encontrados encontram-se centenas de comprimidos ou cápsulas de anabolizantes, seringas com insulina pronta a ser injectada, medicamentos da família da EPO, substâncias mascarantes e destruidoras de amostras recolhidas para análises antidopagem. Grande parte dos produtos com que se depararam os investigadores não são sequer fabricados pela indústria do medicamento, aumentando ainda mais os riscos de danos graves para a saúde dos utilizadores.

Pedro Cardoso foi o corredor em cuja residência estavam armazenadas mais substâncias dopantes. Nas habitações de Tiago Silva e de Rogério Batista não foram encontrados nenhuns medicamentos proibidos, mas na urina de Rogério Batista foi detectada, pelo Laboratório de Colónia, uma protease – a mesma encontrada na urina de João Cabreira – capaz de fazer desaparecer as moléculas de EPO da amostra enviada para análise.

O médico Marcos Maynar guardava em casa três tipos diferentes de proteases e tinha documentos comprometedores no computador. Escritos em código, estes documentos, de acordo com a acusação do Ministério Público, eram os planos de dopagem individual de cada corredor. O Ministério Público indica que no computador do médico havia uma pasta com o nome de cada um dos corredores da equipa. A acusação apenas refere os corredores portugueses alvo de buscas, não especificando se o médico não tinha qualquer referência aos espanhóis da LA-MSS e a Bruno Pires, ciclistas que não foram visitados pelas brigadas de investigação.

Manuel Zeferino e Marcos Maynar começam hoje a ser julgados. Cada um é acusado de 16 crimes de manipulação de substâncias alimentares e de administração de dopagem. A moldura penal para estes crimes, à data dos factos, varia entre um e oito anos de prisão.

Documentos e produtos apreendidos a Manuel Zeferino:
– Documento redigido em castelhano e em código, que o Ministério Público, após consulta a peritos, entende ser um plano detalhado de dopagem
– Documento com plano de doping de Danail Petrov, relativo a 2006, no qual se indicava a toma de um comprimido anabolizante por dia
– 6 comprimidos de substância glucocorticosteróide
– 1 embalagem com dois frascos, um com água bacterioestática para injecção e outro com um medicamento contendo o glucocorticosteróide metilpredenisolona
– 2 seringas embaladas, uma de 20 ml e outra de 10 ml
– 3 agulhas para injecções intramusculares, embaladas individualmente
– 8 borboletas embaladas individualmente, agulhas para administração endovenosa de substâncias ou infusões

Documentos e substâncias apreendidos a Marcos Maynar:
– Ficheiros informáticos com plano de treinos individual dos corredores seguido daquilo que o Ministério Público identifica como o plano de dopagem individual de cada corredor
– Ficheiro informático, dentro de uma pasta designada por “farmácias”, em que o médico indica endereços electrónicos onde é possível encontrar à venda um produto que aumenta o volume globular. À cautela, porque não conhece a composição exacta do produto, o médico aconselha os corredores a deixarem de tomar uma semana antes da competição, para não correrem riscos de um positivo por uma substância ilegal não referida na composição deste produto, alegadamente feito com ervas medicinais

Substâncias e equipamentos apreendidos à equipa
No veículo com matrícula 10-FD-78 foram encontrados:
– 90 cápsulas brancas de um glucorticosteróide sem designação comercial e, por isso, sem controlo sanitário
– 3 Fracos de um substituto do plasma, usado para diluir o sangue
– 1 saco de seringas, contendo um dispositivo para suporte temporário de agulhas, após a respectiva utilização
– 10 prolongadores para infusão intravenosas com gravidade (método proibido)
– 12 sistemas para infusão com gravidade
– 5 seringas de 20 ml para administração endovenosa
– 79 seringas de 1 ml, desitnadas à administração de substâncias em volumes muito reduzidos, com agulhas de baixos calibre e dimensão (raramente usadas na prática quotidiana da medicina desportiva)
– 8 sistemas de infusão tipo “butterfly” para administração endovenosa
– 1 centrifugadora de sangue que permite medir os valores de hematócrito e centrifugação do sangue em microtubos

Substâncias e equipamentos encontrados na residência de Pedro Cardoso:
– 2 frascos com 251 cápsulas vermelhas contendo dehidroepiandrosterona (DHEA) – agente anabolizante. Tratavam-se de um manipulado, sem designação comercial e sem controlo das competentes autoridades públicas
– 1 frasco com 4 cápsulas de cor laranja contendo oxandrolona – agente anabolizante – e 26 cápsulas vermelhas contendo dehidroepiandrosterona (DHEA) e androstenediona – agentes anabolizantes. As cápsulas constituem manipulado, sem designação comercial e sem controlo das competentes autoridades públicas
– 1 frasco com 68 cápsulas de cor laranja contendo oxandrolona e dehidroepiandrosterona (DHEA) – agentes anabolisantes. As cápsulas constituem manipulado, sem designação comercial e sem controlo das competentes autoridades públicas
– 7 frascos com a mesma rotulagem, cinco fechados e dois abertos. Nos abertos (87 + 16 cápsulas brancas e verdes), após análise laboratorial verificou-se que o preparado não condizia com a rotulagem, que anunciava o anabolizante Acetato de Metenolona, 25 mg. Mais uma vez era manipulado, sem designação comercial e controlo das autoridades públicas
– 3 frascos com a designação “60 cápsulas – Andriol 40 mg/Undecanoato de testosterona”. Dois estavam fechados. O aberto continha 62 cápsulas cor de tijolo compostas pelos agentes anabolizantes undecanoato de testosterona e de testosterona
– 9 ampolas de dehidroepiandrosterona (DHEA)
– 40 comprimidos, em lamelas, de metandienona e de metiltestosterona – agentes anabolizantes.
– 1 frasco com 58 comprimidos amarelos compostos por Oxymetholona e mestanclona – agentes anabolizantes. A cápsulas constituem manipulado, sem designação comercial e sem controlo das competentes autoridades públicas
– 1 frasco de vidro com pó branco: protease do Bacillus amyloliquefaciens, substância usada na manipulação de amostras antidopagem.
– 13 comprimidos de efedrina, substância que pode ser utilizada até ao limite de 10 microgramas por mililitro
– 1 frasco com pó branco composto por metiltestosterona e oximesterona, esteróides anabolizantes
– 1 frasco com 120 comprimidos de pregnenolona, glucocorticosteróide.
– 1 frasco com dehidroepiandrosterona (DHEA) líquida. O produto constitui manipulado, sem designação comercial e sem controlo das competentes autoridades públicas
– 14 cápsulas laranja embrulhadas em papel de prata. Tratava-se do anabolizante oxandrolona. As cápsulas constituem manipulado, sem designação comercial e sem controlo das competentes autoridades públicas
– 5 ampolas do medicamento Dinistenil, cujo princípio activo é o anabolizante dehidroepiandrosterona (DHEA)
– 77 agulhas tipo butterfly para administração endovenosa de substâncias ou infusões
– 9 tubos de ensaio
– 10 conjuntos de administração de sangue para sacos de sangue: dispositivos para transfusões sanguíneas
– 30 seringas para para administração de volumes muito reduzidos, com agulhas de baixo calibre e dimensão (raras vezes necessário na prática de medicina desportiva)
– 1 seringa de elevado volume, normalmente utilizada para administração de infusões por via endovenosa ou para a realização de drenagens
– 1 frasco de soro fisiológico, que é normalmente usado para recuperar de desidratações ou de casos de diminuição de volume sanguíneo, mas que serve para diluição de substâncias para administração intravenosa
– 1 saqueta de gel com testosterona e 4-hidroxitestosterona. Esta via de administração de testosterona está referenciada na literatura científica corno uma forma de administração da referida hormona originando pequenas alterações no perfil endógeno de esferóides e urna excreção rápida da substância dificultando, desse modo, a detecção da substância proibida pelos laboratórios antidopagem
– 2 sistemas de infusão com agulhas tipo butterfly
– 1 agulha estéril para injecções intramusculares
– 223 cáspulas de cafeína (substância de utilização livre)

Substâncias e equipamentos encontrados na residência de Cláudio Faria:
– 7 ampolas contendo hormonas proibidas FSH e LH
– 2 comprimidos cor de tijolo contendo efedrina. Comprimido de origem desconhecida
– 14 cápsulas laranja embrulhadas em papel de prata contendo o anabolizante oxandrolona. Trata-se de um manipulado, não submetido a qualquer controlo por autoridades em matéria de medicamento, com todos os perigos inerentes para a saúde daí resultantes
– 1 Seringa guardada numa caixa de gelado. A seringa continha insulina
– 1 frasco acondicionado numa caixa de flores. Dentro do frasco um líquido contendo testosterona e insulina. Desconhece-se a origem da substância. A associação de insulina com testosterona não é produzida no mercado legal do medicamento
– 1 frasco com um líquido amarelado contendo dihidrotestosterona, anabolizante. Trata-se de um manipulado, não submetido a qualquer controlo por autoridades em matéria de medicamento, com todos os perigos inerentes para a saúde daí resultantes
– 1 bolsa com uma unidade de sangue. Realizada análise a uma amostra de 3 ml do sangue contido na bolsa, verificou-se um ligeiro aumento da GOT, da CPK e da sideremia. Estão descritos aumentos da GOT em utilizadores de esteróides anabolisantes, por alterações do metaboloismo do fígado. Estão descritos aumentos da siderémia (ferro sérico) em utilizadores de eritropoeítina, em virtude da administração de elevadas doses de ferro, necessário para a síntese dos novos glóbulos vermelhos estimulada por aquela substância
– 6 seringas contendo um líquido com a designação “NeoRecormon 10000”, produto com epoeitina beta. Medicamento que apenas pode ser vendido em farmácias hospitalares, para administração hospitalar ou em centros de hemodiálise
– 1 seringa contendo um líquido com a designação “NeoRecormon 6000”, produto com epoeitina beta. Medicamento que apenas pode ser vendido em farmácias hospitalares, para administração hospitalar ou em centros de hemodiálise
– 2 seringas contendo um líquido com a designação “NeoRecormon 5000”, produto com epoeitina beta. Medicamento que apenas pode ser vendido em farmácias hospitalares, para administração hospitalar ou em centros de hemodiálise
– 2 seringas contendo um líquido com a designação “NeoRecormon 4000”, produto com epoeitina beta. Medicamento que apenas pode ser vendido em farmácias hospitalares, para administração hospitalar ou em centros de hemodiálise
– 1 seringa contendo um líquido com a designação “Anaresp 100”, produto com darbepoeitina alfa. Medicamento que apenas pode ser vendido em farmácias hospitalares, para administração hospitalar ou em centros de hemodiálise
– 1 seringa contendo um líquido com a designação “Anaresp 60”, produto com darbepoeitina alfa. Medicamento que apenas pode ser vendido em farmácias hospitalares, para administração hospitalar ou em centros de hemodiálise
– 164 comprimido e cápsulas de cafeína (substância de utilização livre)

Substâncias e equipamentos encontrados na residência de Afonso Azevedo:
– 1 frasco contendo um substituto plasmático intravenoso, produto que faz parte da lista de agentes mascarantes. Usado para baixar rapidamente o nível de hematócrito
– 1 seringa para administração de insulina
– 2 sistemas de infusão com agulhas butterfly
– 1 saco com duas seringas para injecções intramusculares, com agulhas colocadas, e um frasco de soro fisiológico.
– 12 comprimidos de efedrina, substância cuja utilização está restrita, em competição, a um máximo de 10 microgramas por mililitro
– 1 tudo de comprimidos contendo apenas uma cápsula amarela, cuja composição continha riamcinolona acetonido, um glucocorticosteróide
– 1 tubo de comprimidos contendo apenas um comprimido castanho, cuja composição revelou pseudoefedrina, substância que integra a lista de produtos que não são proibidos mas estão em monitorização. O comprimido enconttrado é um manipulado não controlado por qualquer autoridade do medicamento
– 14 cápsulas cor-de-laranja embrulhadas em papel de prata. A composição revelou presença dos anabolizantes oxandrolona e de dehidroepiandrosterona (DHEA). As cápsulas constituem manipulado, sem designação comercial e sem controlo das competentes autoridades públicas
– 53 comprimidos e cápsulas de cafeína (substância de utilização livre)

Substâncias e equipamentos encontrados na residência de Tiago Silva:
– 2 seringas destinadas a aplicações intramusculares ou endovenosas

Substâncias e equipamentos encontrados na residência de Rogério Batista:
– 1 seringa para administração de insulina

Documentos apreendidos no carro de João Cabreira:
– Duas folhas com inscrições manuais, em castelhano, relativos a um plano de administração de substâncias dopantes

35 comentários a “Largas centenas de comprimidos apreendidos no caso LA-MSS”

  1. VERGONHA:)

    ZEFERINO ::::::::::::VERGONHA

    AINDA NAO FORAM A CASA DO CABREIRA_____SO AO CARRO E JA TINHA LA O DETELHE DO DOPING:) AINDA DIZIA Q ERA INOCENTE

    ESTES NUNCA VAO A LADO NENHUM;
    SÂO UNS FRACOS E UMA VERGONHA

  2. Quero deixar uma coisa bastante clara, SOU ANTI DOPADOS! Mas meus senhores não tenho de condenar o Sr. Manuel Zeferino ou qualquer outro atleta e dirigente pelo uso de Doping, temos tribunais que se ocupam dessa materia, e isto apenas contribui para a má imagem do ciclismo. Agora tmabém digo uma coisa que todos os que sabem de ciclismo não podem esconder! Não vou condenar um homem que para um duelo de pistolas resolveu tazer uma basuca!

  3. Isto não é novidade nenhuma. Nesta altura de maior controlo anti-doping, quem se quer safar sem deixar marcas tem de se sujeitar a esta panóplia de medicamentos. Já na Kelme era o mesmo…
    Além disso, acho muito difícil alguém dentro da equipa desconhecer algo relacionado com doping. E lembrem-se: é tão culpado aquele que teve a ideia como aquele que colabora e se cala…

  4. Bem, o que eu estou a imaginar são os masters em frente ao computador a tomar nota destas substancias todas, bem, alguns por cero que já as conhecem há bastante tempo.

  5. Parece que estou a ver , alguns pseudo ciclistas profissionais em frente ao computador a apontarem os nomes das Gasosas.
    🙂

  6. E nao tomam nada…Imagine se toma-se!!! nao ha Santos no desporto profissional nao ha. E quando digo desposto profissional nao estou a dizer no ciclismo profissional estou a falar no desporto em geral,e quem me dizer o contrario sou obrigado a ser um pouco mal educado e dizer a essa pessoa que é BURRO. so que uns abusam mais um bocado (muito) como os da “Povoa” Custa mas é a realidade e as pessoas tem de entender isso,isto e um negocio e os desportistas sao a base desse negocio.Pena e pagar sempre os mesmos os Desportistas.

  7. LOOL, agora que o pessoal já sabe os nomes dos produtos vai ser um ver se te avias! LOOL. Nem i INEM anda tão bem equipado! LOOL

  8. Ai campeões xD isto é que é poder haha… ignorai estas notícias, eles vão ser julgados e preciso ter calma, agora dai é valor a jovens como o tiago machado, que ganhou a sua 1ª corrida na radio shack ;d

  9. Pois é, isto é um dos materiais encontrados naquele caso que foi investigado, mas ainda anda por aí muita gente que não dão nada por eles e estão carregadinhos de material, claro só disponivel a troco de €€€€ ou outras benesses transacionáveis. Nesta situação em concreto dá a sensação que havia utilização pessoal e tudo o mais era para passar a patacos, não à corpo que aguente tal carrada…independentemente das doses. Fica o alerta e é necessário investigar mais, por ginásios, e localizações de laboratórios clandestinos, a China produz toda a efedrina mundial , Holanda e Rússia as anfetaminas, nã havia por ali significância de epo, mas é preciso estar alerta onde se produz, PORQUE TUDO ISTO TEM PEIXE MAIS GRAÚDO…. É muito constrangedor onde passa um ciclista ou uma corrida saber-se que vai ali um laboratório ambulante, cambada de FDP….mataram-me e ao meu desporto favorito.

  10. Não me venham com histórias. vão dizer que não sabias que eles tomavam muita coisa? Tanto eu também não imaginava mas vejam as farmácias dos profissionais normais, claro que acredito que não tenha tanta coisa ilegal mas que tomam bastantes coisas tomam. Agora não me venham dizer que o Pires não esta dentro nem que os espanhois tb não estão. E já agora se alguem com responsabilidades sem ser de treta na federação ler isto porque não investigaram da mesma forma a Liberty… certamente tb deveriam encontrar assim mtas coisas.

  11. Como é possivel o Bruno Pires, morar na Povoa e para federação tem morada dos pais no Alentejo.

  12. e acham que se o Bruno Neves que estava à tão pouco tempo na equipa se toma-se este arsenal não acusava nada numa AUTOPSIA???? poupem-me, ele era novo na equipa ainda não estava dentro do esquema…

  13. A equipa Barbot deveria chamar o Pires e ter uma conversa, é um risco ter um ciclista assim.

  14. sinceramente…n sei no q isto vai dar, mas pareceme mais daqueles casos do tipo apito dourado, freeport ou casa pia………..há material para se punir severamente, mas no final a montanha vai parir um rato.

    qt ao b.pires, j.cabreira e aos espanhóis da equipa, os 2 primeiros escaparam por uma suposta troca de moradas q lhes deu margem para fazer desaparecer o “material” e os espanhóis pq n poderiam ser feitas buscas pela judiciária na espanha.

    Ao ler a noticia acima fico com a sensação de q n estamos a falar de ciclistas…estamos a falar de toxicodependentes!!!!

  15. desculpem lá mas etsa noticia nao pode ser publicada!!

    nao axam que estao a ensinar os miudos???

    tudo detalhado nome das substancias tudo tudo!!

    axo que isto nao tem jeito nenhum, até vou tirar o magalhaes ao meu filho para ele nao ver esta noticia

  16. Onde estão os que diziam que nada tinham encontrado? e que eram todos uns coitadinhos… etc etc. Apareçam agora! Pessoas que se sujeitam a isto só podem não estar doentes, com uma visão distorcida da realidade. NADA JUSTIFICA ISTO! A troco de quê ? de 5000 mil euros por mês? fora o que gastam depois nas compras… De vitórias? Uma autêntica palhaçada…

  17. …………O que logram em passar esta informação num jornal que deve exaltar o ciclismo?….. Poupem-me. Metade das pessoas que lerem esta noticia nem sabem o que é Insulina…..Até vã ficar a pensar que é um medicamento perigoso….. Perdoem-me a indignação….Não sou a favor do doping. Mas deixem as pessaos que sabem, tratar do assunto. É ridiculo colocarem o caso em praça pública……

  18. Ja acabaram c eles.
    O bruno pires tem muitos amigos.
    Eu n o conheço mas ao que vejo aqui dá para perceber que existe muita gente c dor de cotovelo.
    Fizeram lhe a ele o msm que fizeram aos outros, so que n apanharam nada ou numa equipa têm que ter todos o msm material?
    Falem da noticia e deixem os outros em paz.
    Como Ex ciclista acho que é um escandalo 3 ciclistas terem tanta coisa. Posso dizer que assim até eu seria bom. Mas isso já eu sabia.
    Tenho pena é de não ter apanhado o fim do escape livre em portugal, pois certamente ainda seria ciclista.
    Acho bem que se aperte o cerco e andem em cima das equipas sub 23. Em especial uma que cria campeões que quando passam a profissionais n andam nem pra frente nem pra trás. São bidões autenticos na estrada.
    Claro que é fácil ser campeãozinho quando não se sente nada. Quando se acaba o escape livre é que a coisa complica.
    Estou a gostar do ciclismo actual. Só falta o passaporte biologico para todos os elites e sub23.

  19. A lei é dura mas é a lei!…tenho por lema que a ingestão de substancias farmacológicas deve terminar onde começãm os danos psicofisicos…mas pelo que leio e quem me conhece sabe como penso,devo proclamar-me ESTUPFACTO?..alguem deve estar fora da realidade e desse modo ser inimputavel!..

  20. Nao entendo mesmo que nisto tudo nem a casa do pires nem apareça nada em nome dele.ou apareçe e alguem esta a proteger por ele abrir a boca?
    Investiguem…..

  21. INACREDITAVEL………

    como é possivel esta gente ter isto tudo……

    façam justiça!!!

    acabem com esta gente no ciclismo!!!!!

  22. inacreditavel como é possivel, será para ser ciclista profissional é necessário esta farmácia?

  23. Estou sem palavras com o que li, como é possivel ainda haver pessoas que defende esta rede de doping. deveriam de ver o que se passa tambem com os espanhois e o Bruno Pires, estes tambem deveriam de ter.

Os comentários estão fechados.