Arkimedes Arguelyes vence milimetricamente no Sabugal

Russo impôs-se após uma jornada de luta
Russo impôs-se após uma jornada de luta

O russo Arkimedes Arguelyes pode não ter os conhecimentos matemáticos que celebrizaram o grego Arquimedes, mas teve a combatividade para vencer, ao milímetro, a primeira etapa do GP Portugal – Troféu Cidade da Guarda, que hoje se disputou entre Guarda e Sabugal, ao longo de 123,4 quilómetros. O melhor português nesta jornada foi Nelson Oliveira, 14º classificado, a 3 segundos dos primeiros quatro, que conseguiram provocar um ligeiro corte no pelotão.

A etapa disputou-se sob aguaceiros e com vento forte e gelado. A água não assustou o pelotão, que conseguiu concluir a jornada à média de 39,537 km/h. Os mais inconformados do dia foram o espanhol Luis Mas e o russo Arkimedes Arguelyes. O natural de St. Petersburgo, talvez inspirado no grego Arquimedes e no seu “Tratado dos Corpos Flutuantes” – “Todo corpo mergulhado total ou parcialmente num fluido sofre uma impulsão vertical, dirigida de baixo para cima, igual ao peso do volume do fluido deslocado, e aplicado no centro de impulsão” – aproveitou a dureza provocada pelo mau tempo e destilou classe. O último dos ataques deu-se a 11 quilómetros da chegada. Apesar da aproximação do pelotão, Argueles ergueu os braços e pôde gritar “Eureka”. O holandês Tom Dumoulin esteve quase a surpreender o corredor da equipa continental Itera-Katusha, mas teve de contentar-se com a segunda posição. O cazaque Nikita Umerbekov foi o terceiro.

Teoricamente a mais fácil das tiradas, a etapa inaugural tornou-se bastante exigente devido às condições atmosféricas. Isso fez com que os homens mais temíveis tenham tentado resguardar-se no grande grupo, procurando manter intactas as aspirações para amanhã, dia em que a chegada é em alto (terceira categoria), e para o contra-relógio de domingo.

Assim, Arkimedes Arguelyes lidera, beneficiando da vitória na etapa e das bonificações, na meta e nos sprints intermédios. Tom Dumoulin é segundo, a 9 segundos, e Nikita Umerbekov é o terceiro, a 11 segundos. O grosso do pelotão está a 18 segundos do camisola amarela, que também comanda nos pontos e nas metas volantes.

Amanhã corre-se a segunda etapa, que levará os corredores da Guarda para Trancoso, num percurso de 116,4 quilómetros, com três contagens de montanha de terceira categoria, uma das quais coincidente com a chegada. O seleccionador nacional, José Poeira, acredita que a subida final irá ditar cortes que poderão ser preponderantes na luta pelo triunfo final.

CLASSIFICAÇÕES
1ª Etapa: Guarda – Sabugal, 123,4 km

Média: 39,537 km/h
1º Arkimedes Arguelyes (Rússia), 3h07m16s
2º Tom Dumoulin (Holanda), mt
3º Nikita Umerbekov (Cazaquistão), mt
4º Vacheslav Kuznetcov (Rússia), mt
5º Michael Baer (Suíça), a 3s
6º Jesper Asselman (Holanda), mt
7º Ricky Jorgensen (Dinamarca), mt
8º Yannick Martinez (França), mt
9º Jonathan Fumeaux (Suíça), mt
10º Sebastien Reichenbach (Suíça), mt
11º Stanislav Volkov (Rússia), mt
12º Pim Lightart (Holanda), mt
13º Sergey Shilov (Rússia), mt
14º Nelson Oliveira (Portugal A), mt
15º David Hesselbarth (Alemanha), mt
29º Luís Afonso (Portugal B), mt
35º Amaro Antunes (Portugal A), mt
48º Vasco Pereira (Portugal A), mt
60º Guilherme Lourenço (Portugal B), a 5m00s
64º Domingos Gonçalves (Portugal A), a 9m10s
67º José Gonçalves (Portugal B), a 10m57s
69º Joni Brandão (Portugal B), mt
73º Diogo Nunes (Portugal A), a 17m21s
74º Pedro Paulinho (Portugal A), mt
79º Fábio Silvestre (Portugal B), a 22m11s
80º João Correia (Portugal B), mt

Geral Individual
1º Arkimedes Arguelyes (Rússia), 3h07m01s
2º Tom Dumoulin (Holanda), a 9s
3º Nikita Umerbekov (Cazaquistão), a 11s
4º Luis Mas (Espanha), a 14s
5º Vacheslav Kuznetcov (Rússia), a 15s
6º Michael Baer (Suíça), mt
7º Stefan Vreugdenhill (Holanda), a 16s
8º Sergey Chernetskiy (Rússia), a 17s
9º Anthony de Laplace (França), mt
10º Jesper Asselman (Holanda), a 18s
11º Ricky Jorgensen (Dinamarca), mt
12º Yannick Martinez (França), mt
13º Jonathan Fumeaux (Suíça), mt
14º Sebastien Reichenbach (Suíça), mt
15º Stanislav Volkov (Rússia), mt
16º Nelson Oliveira (Portugal A), mt
32º Luís Afonso (Portugal B), mt
37º Amaro Antunes (Portugal A), mt
49º Vasco Pereira (Portugal A), mt
60º Guilherme Lourenço (Portugal B), a 5m15s
64º Domingos Gonçalves (Portugal A), a 9m25s
67º José Gonçalves (Portugal B), a 11m12s
69º Joni Brandão (Portugal B), mt
73º Pedro Paulinho (Portugal A), a 17m33s
75º Diogo Nunes (Portugal A), a 17m36s
79º Fábio Silvestre (Portugal B), a 22m26s
80º João Correia (Portugal B), mt

Fotos: PAD/JLS

10 comentários a “Arkimedes Arguelyes vence milimetricamente no Sabugal”

  1. pois o ARKUS tem razão , há melhores atletas para estes terrenos que ficaram em casa , mas Portugal ainda é um país de cunhas , assim não vamos longe . será que o poeira é selecionador competente ? pois todos nós sabemos quem devia lá ir , pois ele pelos vistos não sabe . que eu saiba há ciclistas para rolar e para trepar , então vocês levavam lá estes 12 ? pois se fosse a rolar talvêz . é caso para dizer abre os olhos mula . Força Amaro és o melhor dos quatro , demonstra isso hamanhã …………………boa sorte…………..dá-lhe com gana como na volta a portugal do futuro de 2009 , . e para responder não somos treinadores de bancada , mas ainda acompanhamos o pouco ciclismo que se vai fazendo por cá . e as classificações estão ao alcance de todos nós , mas o selecionador ainda não se habituou a consulta-las . será isto um bom trabalho levar 8 ou 9 que não tem feito nada de jeito este ano ? pois estes atletas que representam o nosso país mais que queiram fazer ainda não estão no seu melhor ………..

  2. e então o luis afonso não tinha lugar mas foi o segundo portugues mas isso não conta…..força luis e restantes corredores

  3. Não percebo é porque é que o coça do luis afonso tornou a encostar-se para chegar no pelotão. Ele que tenha vergonha e que vergue a mola como lhe mandam.

  4. Sois msm frustados quem vem para aqui comentar é so azia antes de falarem do que não sabem venham ver as provas ao vivo e a cores para verem que a selecçao teve que trabalhar e assumir as despezas da corrida ou se nao poderem ver ao vivo e a cores vao ver no site da pad as fotos axo que dizem tudo, apoiem mas é os rapazes que tanto mereçem msm com falta de copetição tao a fazer te tudo e a dares o seu melhor!Força Portugal e força aos seleccionadores de bancada

  5. raramente opino neste espaço, mas desde a alguns dias a esta parte que tenho lido certos comentàrios que me têm enojado.nos portugueses temos o habito de falar sem medir bem o que dizemos,muitas das vezes sem conhecer por dentro o porque de se terem tomado certas e determinadas decisões e/ou opções e conhecer as capacidades dos ciclistas.digo porque sei que,por exemplo o marco coelho nao foi , pois o seu treinador achou por bem nao o fazer ,correndo o risco de alguma sobrecarga.uma equipa não è composta por “contadores” ou “armstrongs”, mas de um conjunto de atletas que,definidas as tarefas a cumprir ,trabalham em prol de UM objectivo.acredito que amanhã os NOSSOS ciclistas realizarão uma grande etapa.muita força para todos eles,vamos estar em grande.um abraço

  6. ainda faltam dois dias, o nelson é uma boa aposta mas o amaro amanha vai fazer a finta,,avispado como ele é,,

  7. Antes de mais boa tarde! Quero felicitar os 4 integrantes Portugueses no pelotao principal,em especial ao Nelson Oliveira dando provas que realmente merece o cargo de lider na Seleçao Nacional! Em relaçao ao conjunto em si nao estou de acordo com certas escolhas do Sr. Poeira, dos 12 convocados para este GP Portugal metade dos integrantes neste momento nao merecem lá estar a defender a camisola do nosso País. Até é vergonhoso para o nosso País ter ciclistas bem melhores e que ficaram em casa a assistir, ciclistas como por exemplo: Marco Coelho, Antonio Carvalho, Bruno Borges etc… ciclistas como estes que falei agora tinham chegado na frente hoje!!
    Agora para o Sr. Alegre, entao se és assim tao inteligente quem iam levar eles para geral?? Há ciclistas em sub23 melhores que o Nelson Oliveira em portugal?? certamente és um frustrado com dores de corno ou entao algum familiar de algum dos que lá estao a trabalhar para ele contra a vontade, sim porque a maioria deles deve andar lá com uma azia esquisita de ter que trabalhar!! Por fim desejo a maior felecidade e muito boa sorte a toda a equipa em especial aos 4 ciclistas que ainda estao na disputa do GP Portugal! Boa Sorte 😉

  8. tavam á espera de milagres é?
    levam só o nelson para a geral.. o resto que trabalhe em prol dele!

Os comentários estão fechados.