Ciclistas tiram dúvidas com Luís Horta

Uma reunião de trabalho inédita decorreu na tarde de segunda-feira, no Porto: de um lado os ciclistas, e, de um outro, a Alta Autoridade Anti-dopagem de Portugal (ADOP), representada por Luís Horta. O encontro teve lugar nas instalações do Instituto de Desporto e pretendeu esclarecer algumas dúvidas essencialmente relacionadas com a notificação dos controlos anti-doping surpresa.

“Foi uma reunião de trabalho durante a qual os ciclistas colocaram algumas questões que foram esclarecidas pelo Dr. Luís Horta. Considero este encontro, que serviu essencialmente para tirar dúvidas sobre o sistema de localização e da regra dos 60 minutos, foi muito positivo. Também foi abordada a futura aplicação do Passaporte Biológico”, resumiu Paulo Couto, presidente da Associação Portuguesa de Ciclistas Profissionais (APCP) e, ainda, da CPA, a Associação Internacional de Ciclistas Profissionais. No encontro estiveram presentes 32 ciclistas profissionais.

O ciclismo continuou em 2009 a liderar os números, com dez casos, quatro em competições internacionais, mais um do que no ano anterior. Estes quatro incluem os positivos de três ciclistas da Liberty Seguros, durante a Volta a Portugal: Nuno Ribeiro, o vencedor da prova, Isidro Nozal e Hector Guerra.

O encontro decorreu uma semana após a divulgação do relatório anual da actividade do LAD que debruçou-se na análise de 3830 amostras. No total, em Portugal foram detectados 51 casos de dopagem, abrangendo 23 modalidades. O ciclismo voltou a figurar no relatório do LAD: Os positivos por CERA de Nuno Ribeiro, Hector Guerra e Isidro Nozal – todos ciclistas da Liberty Seguros – e ainda um caso no ciclismo amador constituíram quatro infracções anti-dopagem.

3 comentários a “Ciclistas tiram dúvidas com Luís Horta”

  1. Ainda não vi qual foi o resultado do ciclista junior da Adrap. Ou será que este encontro serviu para esclarecer como tomar morfina que depois eu encubro-vos?

Os comentários estão fechados.