Armstrong: “Não quero impôr um limite [no regresso]”

Em entrevista ao site Daily Beast aquando das férias de passagem de ano no Havai, Lance Armstrong, revelou um pouco mais dos seus planos de regresso que podem ultrapassar a temporada prestes a iniciar-se. As citações mais relevantes do corredor norte-americano:

Sobre o regresso
“Não quero impôr um limite. Seria irracional anuncia-lo ou sequer pensar nisso por agora, até porque não comecei sequer a competir-. Mas não quero por limites. Estou a divertir-me e sinto-me forte e saudável. Seguramente não quero limitar-me a um ano. Mas pode ser um, podem ser dois. Gostaria que conquistar outros objectivos que procuro há algum tempo e não tive oportunidade na minha carreira”

Sobre o Tour
“Temos cinco corredores que já estiveram no ‘top-five’ do Tour. Teoricamente cada um deles (Armstrong, Contador, Andreas Kloden, Levi Leipheimer ou Haimar Zubeldia) – pode estar muito perto da vitória no Tour. Mas penso mais realisticamente do que teoricamente e, por isso, se calhar, conseguiriamos por três corredores no pódio se corrermos bem”.

Sobre uma possível carrreira política

“Se sentir que se pode fazer o trabalho melhor do que outros o fazem, e se sentir que pode realmente fazer diferença, e se houver uma vontade em servir, acho que se tem que o fazer. Senti um forte desejo de regressar e competir agora porque senti que tinha um lugar e que poderia ter um impacto forte. Não creio que se deva entrar na vida política sem sentir que causa impacto. Não o deve fazer por uma aposta ou um desafio pessoal ou ainda para o ego. Ou por outro qualquer desejo do competição.  Assim, virá uma altura, ou não, que para mim mesmo diga, “Posso ajudar a fazer a mudança.” Se esse dia chegar, então podem contar comigo.”