Celestino Pinho ganha Volta a Albufeira por um segundo

Cândido diz que são três e Celestino cruza o risco para a vitória à geral
Cândido diz que são três e Celestino cruza o risco para a vitória à geral

Celestino Pinho (CC Loulé-Louletano-Orbitur-Aquashow) ganhou a quarta edição da Volta a Albufeira – Troféu José Martins, depois de uma emocionante luta com Sérgio Sousa (Madeinox-Boavista). O boavisteiro partiu de amarelo, ganhou um segundo numa meta volante durante a última etapa – 107,2 quilómetros, de Guia a Albufeira -, mas foi surpreendido no sprint final. Pinho foi o terceiro a cortar a meta, bonificou quatro segundos, o suficiente para conquistar esta Volta por um segundo. Cândido Barbosa (Palmeiras Resort-Prio-Tavira) repetiu o bom desempenho da véspera e ganhou a tirada, batendo Filipe Cardoso (LA-Paredes Rota dos Móveis), segundo na linha de meta.

A derradeira etapa repartiu-se em três fases. Inicialmente, assistiu-se ao trabalho das equipas com aspirações para levarem o pelotão junto à primeira meta volante. Para que isso sucedesse, foi determinante o trabalho da equipa louletana no pelotão, anulando uma fuga numerosa que se havia formado. Só que o labor dos pupilos de Jorge Piedade não deu resultado, já que o primeiro na meta intermédia foi Filipe Cardoso (LA-Paredes Rota dos Móveis), que, assim, conseguiu vencer esta classificação. Seguiram-se dois homens da Madeinox-Boavista, Marco Cunha e Sérgio Sousa. O líder ganhou um segundo de bonificação… ou terá perdido um? Não vimos o sprint, pelo que não é possível avaliar se Marco Cunha poderia ter deixado passar o companheiro. Se isso sucedesse, haveria empate de tempo entre Sérgio Sousa e Celestino Pinho, com o boavisteiro a ganhar no desempate por pontos.

Seguiu-se uma nova fase na tirada, a da consolidação da fuga do dia. Foram 20 os homens que rumaram para a aventura, destacando-se a presença de dois deles, Luís Silva (Palmeiras Resort-Prio-Tavira) e César Fonte (Barbot-Siper). Ambos tinham o mesmo fito: ganhar a contagem de montanha da etapa e a respectiva classificação. Quem o conseguiu foi o minhoto da equipa gaiense. Passada a montanha, a Barbot-Siper ainda não estava satisfeita com o que alcançara. Por isso, Mário Costa saiu do grupo de fugitivos, isolando-se em cabeça de corrida. Viria a ter a companhia de Tiago Silva (CC Loulé-Louletano-Orbitur-Aquashow) e de Micael Isidoro (ASC/Vitória/RTL).

No pelotão começava a desenhar-se a terceira e definitiva fase da jornada. O Palmeiras Resort-Prio-Tavira tomou conta da perseguição. Até então, o grande grupo era comandado pela Madeinox-Boavista, que não tinha interesse em anular a fuga, já que as bonificações poderiam – como vieram a ser – tornar-se perigosas. Os algarvios “picaram o ponto” com outra intenção e rapidamente anularam a fuga, quando a meta estava a cerca de 10 quilómetros. Entrou-se definitivamente na fase terminal da prova.

O final da primeira etapa da Volta ao Algarve estava vivo na memória de todos. Na altura, o pelotão partiu-se nos topos existentes no último quilómetro. Hoje o terreno era o mesmo. Só que Alberto Contador não estava em estrada para desferir um ataque demolidor que dinamitasse o grupo. Assim, foi um pelotão compacto que discutiu a vitória parcial. Cândido Barbosa bisou, Filipe Cardoso foi segundo e Celestino Pinho cumpriu o objectivo: bonificou e “roubou” a camisola amarela a Sérgio Sousa.

Numa época de poucas corridas e muita incerteza, todas as equipas profissionais saíram da Volta a Albufeira – Troféu José Martins com resultados para apresentar aos patrocinadores. A Madeinox-Boavista ganhou uma etapa e andou de amarelo até ao fim. O CC Loulé-Louletano-Orbitur-Aquashow conseguiu a vitória que todos almejavam, a geral individual. Os vizinhos do Palmeiras Resort-Prio-Tavira conquistaram duas etapas e a geral colectiva. A Barbot-Siper venceu a classificação da montanha e a LA-Paredes Rota dos Móveis conquistou as metas volantes. Mais dificuldades tiveram os colectivos de sub-23, que tiveram de contentar-se com a presença em fugas, apesar de as etapas serem pequenas e pouco exigentes.

Fotos de João Fonseca / Fotojaf
[nggallery id=27]

CLASSIFICAÇÕES
3ª etapa: Guia – Albufeira, 107,2 km
1º Cândido Barbosa (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), 2h36m38s (Média: 41,064 km/h)
2º Filipe Cardoso (LA-Paredes Rota dos Móveis), mt
3º Celestino Pinho (CC Loulé-Louletano-Orbitur-Aquashow), mt
4º Sérgio Sousa (Madeinox-Boavista), mt
5º Bruno Pires (Barbot-Siper), mt
6º Bruno Sancho (LA-Paredes Rota dos Móveis), mt
7º Guilherme Lourenço (Mortágua), mt
8º Bruno Pinto (CC Loulé-Louletano-Orbitur-Aquashow), mt
9º Marco Coelho (Liberty Seguros/SM Feira), mt
10º Pedro Soeiro (CC Loulé-Louletano-Orbitur-Aquashow), mt

Geral
1º Celestino Pinho (CC Loulé-Louletano-Aquashow), 6h15m38s
2º Sérgio Sousa (Madeinox-Boavista), a 1s
3º André Cardoso (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), a 6s
4º Bruno Pires (Barbot-Siper), a 8s
5º Guilherme Lourenço (Mortágua/Basi), mt
6º José Mendes (LA-Paredes Rota dos Móveis), mt
7º Rui Vinhas (Aluvia-Valongo), a 1m24s
8º José Gonçalves (Liberty Seguros/SM Feira), a 1m31s
9º Cândido Barbosa (Palmeiras Resort-Prio-Tavira),a 1m43s
10º Filipe Cardoso (Barbot-Siper), a 1m45s

(em actualização)

16 thoughts on “Celestino Pinho ganha Volta a Albufeira por um segundo”

  1. Então queriam que o Pires fosse à Volta a Albufeira ganhar a Volta a Portugal? LOL Foi a uma prova plana e foi 4º porque mais uma vez mostrou-se combativo e meteu-se nas fugas. Nao se podia pedir mais e outro no seu lugar teria ficado quietinho no pelotao. Para mim, esteve bem.

  2. Se fosse alguem do tavira a ganhar era grande vitória,como foi o louletano coitado ganhou por um segundo ,quantas provas no mundo são ganhas por 1 segundo ,ou será que foi por por ter tirado a camisola ao boavista ,temos que ser sérios ,parabens celestino e a toda equipa

  3. parabens ao celestino e ao c.c.loule pela forma que ganharam o premio é bom ,com tanta lábia o palmeiras nao ganharam o premio e a melhoras ao caldeira

  4. O bruno faz 4º nao geral , e até mesmo numa etapa ao sprint e ainda dizes que vai andar a passear, entao todos que ficaram para tras dele andam ainda a passear mais, vai gozar com o trabalho de outro meu,

  5. Força Loulé, Parabéns Tinão o ciclicross valeu a pena. Parabens para a Associação ciclismo do Algarve

  6. Temos de dar valor a equipa do loule e ao sr jorge piedade boas contrataçoes sem duvida lol. È dos poucos que consegue contrataçoes em saldos e 2 em 1.
    Quanto nao vale ter um Doutor Ciclista Cabreirar na equipa.

    Parabens Candido

  7. manooooooooooooooooooooo parabensssssssssssssssssss

    da-lhe forte mano

    és o maior tinaooooooooooooooooooo

  8. VERGONHA, POREM OS GAROTOS, SUB 23 1º ANO PARA SOFREREM COM OS PROFISSIONAIS, NUM RITMO ALUCINANTE, , , SÓ EM PORTUGAL… GAROTOS DE 18 ANOS COM OS VELHOS PROFISSIONAIS COM MILHÕES DE KILOMETROS NAS PERNAS, VERGONHA…

  9. sim claro que fez…
    Ora ve, se fosse o sergio a ganhar mais esse segundo tinha ganho a votla a albufeira…

  10. Não me digam k o segundo que o Marco Cunha bonificou na 1ª meta volante à frente do Sergio Sousa fez a diferença… lol…

  11. Muitos parabéns para o Cândido , para o Celestino e o Loulé 😉 Mais uma vez o Filipe no sprint , o Paredes tem uma bela equipa 😀

Os comentários estão fechados.