Piepoli recusa-se a identificar fornecedor de CERA

O italiano Leonardo Piepoli, que acusou CERA – EPO e efeito prolongado – na última Volta a França, assumiu sozinho a responsabilidade pelo acto, recusando-se a identificar quem lhe forneceu a substância dopante. “Cometi um erro e é justo que pague por ele. Fui aconselhado pelas pessoas erradas num momento difícil, mas quem cometeu o erro fui eu”, frisou o ciclista em declarações ao jornal Gazzetta dello Sport. O companheiro de equipa de Piepoli na Saunier Duval e também dopado com CERA, Riccardo Riccò, indicou o médico Carlo Santuccione como fornecedor da droga. Piepoli preferiu outra via: “É fútil nomear pessoas, já há demasiados arguidos”, defende o veterano trepador. Leonardo Piepoli enfrenta uma pena de suspensão que deverá ascender aos dois anos, o que pode significar o fim de carreira, pois o ciclista já tem 37 anos.