Bartoli:”Ver Armstrong deu-me vontade de regressar”


Michele Bartoli
Michele Bartoli

É a vez de Michele Bartoli. Aos 38 anos, o corredor que deslumbrou o mundo do ciclismo nos anos 90 e se retirou no mesmo ano que Lance Armstrong admitiu, em entrevista à Gazzeta Dello Sport, o que para já não passa de uma intenção: “Depois de ver Armstrong, minto se não disser que tenho vontade de regressar”. Bartoli, vencedor de duas Taças do Mundo (1997 e 1998) além de diversas clássicas de primeira ordem, confessa que treina diariamente com Ivan Basso e Alessandro Petacchi e que a vontade de regressar é ainda maior quando avalia que a idade não é problema “como demonstra o Rebellin (37 anos)”. “O regresso não mudaria a minha vida, seria apenas puro divertimento”, confessa.


Protagonista da década de noventa, Bartoli teve na CSC de Bjarni Riis a sua última época. Aquando da Operação Puerto, a Gazzetta Dello Sport identificou-o como “Sansone” [o nome do seu cão na altura] na listagem de Eufemiano Fuentes.

Principais vitórias

Taça do Mundo (1997, 1998) Volta a Itália (duas etapas) Tirreno-Adriatico (1999) Amstel Gold Race (2002) Volta a Lombardia (2002, 2003) GP Ouest-France (2000) Liège-Bastogne-Liège (1997, 1998) La Flèche Wallonne (1999) Ronde van Vlaanderen (1996)Züri-Metzgete (1998)

2 comentários a “Bartoli:”Ver Armstrong deu-me vontade de regressar””

  1. Com ou sem Operación Puerto, o Bartoli foi e será sempre um fora-de-série, um daqueles corredores que quase nem precisariam de resultados para serem considerados craques – um daqueles que basta ver pedalar para se perceber a imensa classe. A isso, felizmente, juntou vitórias importantes e conquistadas de forma espectacular, com ataques secos e imparáveis nos quilómetros finais. Bettini foi o seu melhor aprendiz e mais fiel herdeiro, embora fisicamente nada tenham a ver um com o outro. Chamem-lhe saudosismo mas adorava que regressasse e em boa forma. O ciclismo precisa deste tipo de craques, que escapam ao estereótipo do robot!

  2. Se hoje adoro e estou ligado ao ciclismo devo a um grupo muito restrito de ciclistas, o Michele Bartoli foi sem dúvida um deles. Para mim será sempre um ciclista de top.

Os comentários estão fechados.