Retrospectiva sub-23 2009: o ano em imagens

O ciclo de retrospectivas na estrada do Jornal Ciclismo encerra com os sub-23, tendo o critério da escolha das imagens seguido a norma das anteriores mostras, estando a cargo de quem acompanha no terreno as corridas. No caso, João Fonseca foi feliz nas suas fotos numa época que cruza a fronteira das águas passadas com o ano de confirmação de novos valores de excepção – como Nélson Oliveira ou Amaro Antunes – e ainda na consolidação de corredores já experimentados de que são melhor exemplo Carlos Baltazar e Marco Cunha.

1º Vencedor da epoca [Jornal Ciclismo]

A primeira do ano. Os primeiros raios de sol banharam os ciclistas na prova de abertura da época 2010. Se o pelotão surgia renovado com as habituais trocas de camisolas nem por isso o vencedor foi um protagonista desconhecido. Bruno Sancho, o mais novo dos irmãos Sancho iniciou a época com pedal direito no sprint em Loulé.

IMG_2031 [Jornal Ciclismo]

Pelotão em marcha. A principal novidade do pelotão 2010 foi o regresso do Sporting mas o “sonho” dos adeptos leoninos cedo virou “pesadelo” para os corredores de leão ao peito. O efeito bola-de-neve foi aumentado e por fim alguns ciclistas libertaram a pressão: já ninguém “recebia” há meses. A bem-dizer, os sub-23 não são “profissionais” e, nessa condição, não dispõem de “salário” mas é comum o auxílio nas despesas, por exemplo. O caos sucedeu no GP de Paredes com a equipa a chegar atrasada à partida e sem condições para competir. Como um mal nunca vem só, um episódio mais grave sucedeu-se na Volta a Madeira. Com as passagens pagas ninguém foi competir. Aqui o pelotão rasga a estrada com Sintra no horizonte.

IMG_2142 [Jornal Ciclismo]

Em força. Domingos Gonçalves é tudo menos um sprinter e dizer que bateu Marco Cunha e Ivo Fernandes ao sprint é apenas força de expressão. Mas força é o que tem o corredor de Roriz que juntamente com o seu irmão gémeo José se vão revelando, graaitivamente, como dos mais combativos corredores do pelotão sub-23.

Subida magistral [Jornal Ciclismo]

Santa Justa. É já a prova com final mais emblemático no pelotão sub-23. A chegada ao alto de Santa Justa, no termo da clássica de Valongo, prova habitual do Troféu RTP, é um sufoco aos pulmões. Na verdade, é uma rampa com cerca de dois quilómetros de extensão – chegaram-se aqui a disputar Nacionais de Rampa noutros tempos – que se percorre em força no empedrado da Serra. Chegar ao alto é meia vitória.

Vencedor Taça Portugal [Jornal Ciclismo]

Regular Baltazar. Não é preciso andar à procura de Carlos Baltazar no pelotão e facilmente Marco Chagas o identificaria num eventual directo na RTP. O corredor com a maior grossura de coxa é um portento de força em escassa técnica e, várias vezes, vai ao seu limite. Ao vencer o troféu RTP Baltazar demonstrou que a sua qualidade óbvia é a regularidade. E isso levou-o à Barbot-Siper, equipa onde passará a profissional em 2o10.

Campeão Nacional  [Jornal Ciclismo]

V de Vitória. O caso é antigo e Vasco Pereira um sobredotado. Depois de se sagrar campeão nacional de juniores em Castelo de Vide a sua primeira época no pelotão sub-23 foi para esquecer. A mudança de equipa resultou e, sob o comando de Pedro Silva,  atingiu o zénite em Santa Maria da Feira numa corrida de classe em que baralhou as contas aos principais adversários.

Pódio sub 23 estrada [Jornal Ciclismo]

O pódio dos eleitos. Cada foto tem a sua história mas na lente de João Fonseca a objectividade é uma virtude.  Aqui apenas permitiu focar os medalhados da prova de estrada Sub-23. Nélson Oliveira, Vasco Pereira e Marco Coelho, vencedor da Taça de Portugal.

Feito histórico - Medalha [Jornal Ciclismo]

Colnago. A mudança mais visível é na bicicleta, a posição mantêm-se idêntica retratando fielmente as suas capacidades na prova da verdade. Desde o prólogo da Volta a Portugal do Futuro à medalha de prata nos Mundiais de contra-relógio, Nélson Oliveira revelou-se um dos protagonistas da época. O trabalho e a sua abnegação levaram-no à Xacobeo-Galicia numa primeira etapa da sua carreira profissional. Se Nélson Oliveira, depois de Tiago Machado e Sérgio Paulinho é melhor contra-relogista nacional poucos tem dúvidas, o interessante seria vê-lo debitar potência no velódromo nacional praticamente à porta de sua casa.

Confirmação Nacional [Jornal Ciclismo]

O ataque do ano. Amaro Antunes à solta nas escarpas de São Macário foi, simplesmente, o ataque do ano. Contrariando a defesa da liderança de Marco Cunha o trepador algarvio deu asas à imaginação lançando-se num ataque solitário na mais difícil subida da Volta a Portugal do Futuro. O cenário foi o ideal: uma subida prolongada, um dia de sol radiante e uma paisagem deslumbrante. E as pernas estavam lá. A caminho de Arouca foi apanhado pelo “trem” da Aluvia-Valongo mas ninguém lhe tira a vitória moral que, como se sabe, também é apanágio dos campeões.

Dominio total [Jornal Ciclismo]

Confirmação. Marco Cunha é um corredor com capacidade mas surgiu na Volta a Portugal do Futuro sem o cúmulo de vitórias que noutras épocas trilharam-lhe o caminho até à mais importante corrida do ano. Mas no tira-teimas não se deixou ficar e conquistou a prova com uma sucessão de vitórias sem memória em tempos recentes. Esta foi em Águeda.

IMG_0485 [Jornal Ciclismo]

Repetente. A Volta a Madeira é uma corrida única e conhecida pelos seus excessos: de montanha e de…poncha. Num dos mais belos paraísos do território português Bruno Silva dominou por completo a geral individual repetindo a vitória do ano anterior.

15 thoughts on “Retrospectiva sub-23 2009: o ano em imagens”

  1. As femininas que se façam à vida e deixem de brincar aos ciclistas. Andor mazé !

  2. Leão do Norte: Caro caraçasqNo outro dia li num jornal desportivo e em peça assinada por um jornalista altamente credível e conhecedor desta modalidade que a maioria dos ciclistas de Sub-23 pagavam para correr e que a maioria das equipas tinha os subsídios, apesar de baixos para regularizar.
    Não concordando minimamente com as dívidas por parte do Sporting, não vejo o porquê de tanto azedume da sua parte. Infelizmente a conjuntura económica não é favorável a ninguém e isso é mais que notório

    Permita-me que lhe responda de forma mais desadequada embora não seja por isso que o não o respeite, mas o que você acabou de dizer é “MERDA”. No momento em que os atletas deixam de ir para outras equipas, porque a equipa em questão, neste caso o sporting, prometeu-lhes, atenção, prometeu que pagava X para poder adquirir esses atletas e rebosca-los de outras equipas.
    Portanto se algo foi acordado por ambas as partes no incio de época, tem de ser cumprido.

    Poupe os comentários e tabelas que lê nos jornais desportivos, porque esses senhores não estão dentro das equipas e muito menos sabem o que realmente se passa.

    Cumprimentos.

  3. Boa noite,
    O que tenho a dizer sobre o Sporting no ciclismo é triste assim como para o Benfica e Porto, pois já se esqueceram da modalidade que lhe mostrou as camisolas no pais todo e estrangeiro, quando não avia TV durante muitos anos e que muito motivou o clubismo (memoria curta, estes senhores do futebol) sou adepto do Sporting e conheço grande parte dos atletas e treinador dessa equipa. É tudo muito triste isto, então o clube gasta tanto dinheiro mal gasta certos jogadores, não podia fazer um jogo particular para arranjar fundos para os miúdos do ciclismo, Senhor presidente pede-se um pouco de respeito pois o desporto não é só futebol, afinal estão de mal a pior, é com muita tristeza que vejo isto. Já agora uma chamada de atenção para os senhores que dizem gostar de ciclismo!!! ou gostam dos frutos que ele dá, outra para o Senhor Ministro do Desporto, é triste o preço que as autoridades cobram por exemplo para fazer a segurança de uma prova de ciclismo, as colectividades vivem de cotas de miséria, bem já chega, mas avia mais.

    Bom ano 2010

  4. Caro caraçasq

    No outro dia li num jornal desportivo e em peça assinada por um jornalista altamente credível e conhecedor desta modalidade que a maioria dos ciclistas de Sub-23 pagavam para correr e que a maioria das equipas tinha os subsídios, apesar de baixos para regularizar.
    Não concordando minimamente com as dívidas por parte do Sporting, não vejo o porquê de tanto azedume da sua parte. Infelizmente a conjuntura económica não é favorável a ninguém e isso é mais que notório

  5. José Carlos Gomes,

    Desde já o meu muito obrigado pela atenção dispensada

    Um feliz 2010 para si e para este projecto brilhante de uma modalidade que muito gosto desde sempre

  6. Caso eles fizerem vão ter graves problemas, pois ainda devem muito dinheiro aos seus ex-atletas, e se caso tenham dinheiro para fazer uma equipa também têm para pagar aos ex-atletas, se essa equipa vier para as estradas vai haver barracada da séria, tomem nota.

  7. Caro Leão do Norte,

    Parece claro que os responsáveis pela equipa do Sporting em 2009 querem continuar com o projecto em 2010. No entanto, depois das atribulações que a equipa viveu na época passada, o Jornal Ciclismo espera por informações mais palpáveis para referir-se a esse assunto.

    Assim que haja matéria noticiável, daremos essa informação aos nossos leitores.

  8. Nenhum editor deste site me sabe dizer algo sobre a possibilidade do Sporting ter ciclismo em 2010 como A Bola, em peça escrita pelo Fernando Emílio dava como certo.

    Obrigado

  9. Como já li em A Bola que o Sporting está certo no pelotaõ de 2010, alguém me sabe informar se é o Clube que pega na modalidade, ou se haverá novos patrocinadores?

    Bom 2010 para todos!

Os comentários estão fechados.